Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Nuvens negras

 

Como é que duas pessoas que se amam chegam a este ponto? Não sei...mas a verdade é que chegámos. Pior que dois estranhos, vejo-nos, de repente, quase como dois inimigos em plena batalha. Batalha que nenhum de nós alguma vez quis lutar.

É um facto que cada vez temos menos tempo, e esse pouco tempo que temos, não o temos ao mesmo tempo. Parece que a falta de tempo e a rotina são mesmo os piores vírus de uma relação.

Vão-se sucedendo situações atrás de situações e, quando damos por isso, juntamente com o tempo que nos escapou, parece ter ido também a amizade e a cumplicidade. E isso não é um bom sinal. Nenhum de nós está feliz assim.

Se continuamos a amar-nos? Continuamos. E nenhum de nós tem culpa que o dia tenha apenas 24 horas, e que nem uma consigamos estar juntos sem coisas para fazer pelo meio. Não tivemos um dia de anos de namoro romântico, não tivemos um dia dos namorados romântico, e não há nada de romântico numa gripe, mal estar, cansaço e enjoos permanentes, em tarefas domésticas sem fim, em jogos de futebol ou playstation, em trabalhos de casa da filha, em compras e tudo o mais que surge pelo caminho. E mais uma vez repito, nenhum de nós tem culpa. No entanto, parece ir-se acumulando de ambos os lados uma espécie de ressentimento em relação ao outro, e daí a surgirem acusações é um instante. Quando começam, parecem uma espiral sem fim à vista, e a visão daquilo que já vivemos de tão bom surge bem distante, sem promessas de algum dia voltar a acontecer.

De repente, damos por nós a conversar. Afinal a amizade parece voltar a surgir, a cumplicidade reaparece de mansinho e tudo se parece resolver. Mas as ameaças permanecem - a rotina continua, e a falta de tempo também. Vamos ver como conseguiremos lidar com elas daqui em diante...

Preocupações de mãe

 

Tal como já estávamos a prever, a minha filha está mesmo com uma infecção urinária. A sua primeira e, espero, a última!

Todas as mães ficam apreensivas quando os seus filhos estão doentes, e eu não sou excepção. Sobretudo, quando lhe aparece tudo de seguida. E principalmente quando uma coisa influencia a outra.

Sempre que ela tiver uma infecção, inflamação, constipação ou algo que mexa com o sistema imunitário, é normal a púrpura voltar a surgir. E foi o que aconteceu. As pintinhas começaram já a marcar presença. E sendo a principal preocupação em relação à púrpura, a longo prazo, com os rins, espero que uma infecção urinária não venha a influenciar negativamente esse quadro.

Mas o que me deixa ainda triste, como mãe, é ver a minha filha condicionada e limitada nas brincadeiras com as colegas, e farta de estar doente. 

Sem paciência

 

Já lá vai o tempo em que eu desesperava por não saber como lidar com a minha filha. As crianças gostam de testar os nossos limites, de ver até onde podem ir, e como devem agir para nos afectar. A minha filha não poderia ser diferente. Ela tem o seu feitio (por vezes terrível), mas também passou e presenciou muito quando era pequena. Se juntarmos a isto pais separados, em que a mãe assume o papel de má e o pai, de santo que lhe faz todas as vontades, estavam reunidos os ingredientes para me deixar os nervos em franja.

E, perdoem-me a expressão, que se lixem os manuais, os médicos, os psicólogos e afins. Por muita teoria (ainda que comprovada) que apresentem, na prática, só quem passa pelas situações é que sabe o que sente.

Entretanto, ela foi crescendo, e eu aprendendo a lidar com as birras dela, que felizmente diminuiram. Mas, de vez em quando, lá está ela outra vez a tentar pôr-me os cabelos em pé.

O grande problema dela é ser respondona, refilona e não fazer aquilo que lhe mandam. Só que me apanhou num daqueles dias em que a paciência não me brindou. Há muito tempo que não me chateava com ela desta maneira, e espero que o castigo de uma semana sem televisão, computador e playstation lhe sirva para acalmar. 

O que mais irá acontecer?

 

Sexta-feira passada - depois de termos ido às nossas vidas (escola/ trabalho) já constipadas, chegamos a casa e estamos as duas com febre!

Sábado - a minha filha foi para o pai, já sem febre, mas com tosse. Eu vou alternando entre estado normal e febre ligeira.

Domingo - a minha filha está em recuperação. Eu fico sem olfacto, e toda a comida me sabe mal. Começo a ficar enjoada e mal disposta a tempo inteiro e mal consigo comer.

Hoje - vim trabalhar, no mesmo estado de ontem, tosse e dores no corpo, mas não piorei. Já a minha filha, está com sintomas de infecção urinária.

 

Que mais nos irá acontecer?...

Cheia de sorte

Eau de Toilette

 

Há já algum tempo que andava para comprar este perfume. Usei-o há uns anos atrás, depois fui comprando outros, mas agora estava-me a apetecer voltar a usá-lo.

Como não tenho tempo para ir a centros comerciais, registei-me no site da Perfumes & Companhia para encomendar online. E não é que estavam com este preço fantástico de €19,35 pelo perfume de 30ml. Mandei logo vir, afinal, mesmo com os portes de envio, ainda poupei quase 20 euros em relação ao preço habitual.

E fiquei satisfeita com o serviço - ofereceram-me o transporte urgente (encomendei num dia e recebi no seguinte), e enviaram-me o perfume em papel de embrulho, como tinha pedido, juntamente com as três amostras de perfume que escolhi no acto da encomenda.

 

Uma dessas amostras era precisamente deste perfume:

Eau de Toilette

 

Que, por sinal, adorei e que, por acaso, está no top de vendas! O único defeito que tem é ser muito caro - um frasco de 25ml custa cerca de 46 euros. O que é bom, paga-se bem.

 

Eu até nem sou viciada em perfumes, não gosto muito de mudar e fico danada quando aqueles que mais gosto deixam de ser fabricados. Além disso, sou muito esquisita e é muito difícil encontrar perfumes que goste.

Mas este será, provavelmente, o próximo da lista...se entretanto não desaparecer! 

  • Blogs Portugal

  • BP