Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Indecisões

Véspera de Ano Novo, noite de Passagem de Ano, e eu sem saber o que vestir.

Nos outros anos tem sido fácil - roupa do dia ou pijama! 

Este ano, como vamos passar fora, tenho oportunidade de dar uso aos meus vestidos que há séculos estão guardados no roupeiro.

O primeiro é demasiado justo, e já não tenho o mesmo corpo de há 10 anos atrás para o vestir.

Natal-Passagem Ano 2009 007.jpg

 

 

 

Depois tenho este, que me assenta bem e que o marido e a filha aprovaram.

 Natal-Passagem Ano 2009 003.jpg

 

Tenho um outro, de alças, básico, em tons de preto e dourado, mas é mais curto e fica melhor com sandálias.

E depois, lembrei-me de experimentar uma camisola cinzenta sem mangas com umas calças pretas justas e os sapatos de salto alto. Gostei de ver. Algo deste género:

transferir (1).jpg

 

O meu marido preferiu esta última hipótese. A minha filha continua a querer o vestido! E eu, gostava de ter mais ocasiões para poder usar tudo!

Mas está tanto frio, não tenho casacos que fiquem muito bem com estas roupas, e a vontade é esquecer as alcinhas e vestir uma camisola de lã e um casaco quentinho! 

Não tenho muito tempo para me decidir...

Como as novas tecnologias nos (des)preparam para a vida

É impressionante como nos habituamos tão facilmente às novas tecnologias, e como é tão mais difícil, depois, voltarmos aos métodos antigos.

Para mim, por exemplo, o microondas é uma das melhores e mais úteis invenções dos últimos tempos! Não há um dia em que não o utilize, a não ser quando falta a electricidade, ou se avaria. É nessa altura que a minha vida se complica. Uma coisa tão simples como aquecer o leite ao pequeno almoço - encher uma tigela com leite e aquecer no microondas durante 2 minutos para ficar na temperatura certa - torna-se uma aventura quando feito no fogão. Não sei que quantidade de leite dá para duas tigelas e, ou desligo antes do tempo e continua frio, ou aqueço demais e ferve, e depois já não o bebo!

No outro dia, a minha máquina de lavar roupa deixou de a torcer. E agora? Agora, é torcê-la à mão! Não seca tão depressa mas não é o fim do mundo. Antigamente, quando era mais nova, cheguei a ajudar a minha mãe a lavar roupa à mão, e torcê-la.

Abrir uma torneira e ter água quentinha à mão é uma maravilha. Um esquentador e água canalizada dão imenso jeito e já não sei viver sem ambos. Mas a verdade é que, noutros tempos, também se tomava banho. A diferença era que tínhamos que aquecer primeiro a água, em grandes panelas, e depois colocá-la num recipiente qualquer, e ir deitando sobre o corpo. 

Antigamente, tínhamos que saber escrever à mão correctamente. Hoje, teclamos, são-nos indicados os erros e a devida correcção, e escolhemos o tipo de letra que mais nos agradar. Antigamente, fazíamos os cálculos à mão, ou de cabeça. Hoje, corremos para a calculadora mais próxima. E desaprendemos a fazer contas!

Tenho a sensação que todas estas, e outras, tecnologias nos despreparam para a vida, no sentido em que nos acomodamos de tal forma a elas que é difícil desenrascarmo-nos quando elas falham. Ainda assim, estou grata por elas existirem, e fazerem parte do meu dia a dia!  

  • Blogs Portugal

  • BP

  • Pág. 1/6