Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Vamos todos ser refugiados?!

 

Não querendo minimizar a situação complicada que os refugiados estarão a viver, não deixa de ser triste quando os problemas dos outros se conseguem sobrepor aos que se vivem no nosso país. E quando é manifesta a facilidade e rapidez com que os resolvem, por comparação às lutas que temos que travar por direitos fundamentais, e que quase sempre perdemos, com justificações que já não convencem ninguém.

A última notícia, que caiu como uma bomba entre nós, diz respeito à saúde. Ao que parece, os refugiados vão ter direito, no prazo de uma semana, a um médico de família! O meu marido, está à espera da atribuição de um médico de família há meses! Como ele, estão muitos outros portugueses.

E, adivinhem, vão ficar isentos do pagamento de taxas moderadoras!

Por outro lado, 4500 refugiados "não representam um número importante de pressão para os serviços", diz Francisco Jorge, responsável para a Saúde do Grupo de Trabalho para a Agenda Europeia para as Migrações. Mas basta haver um surto de gripe ou outro problema, para os serviços de saúde ficarem caóticos.

Aos portugueses, que se vêem de um momento para o outro numa situação financeira complicada, retiram-lhes as casas que não conseguiram pagar ao Banco. Essas mesmas casas, servem agora para alojar os refugiados que precisam de abrigo! E isto são apenas alguns exemplos.

Então e nós? O que somos aqui em Portugal? Que consideração é que mostram por nós?

Se calhar, temos todos que passar a ser refugiados... 

 

 

As ofertas do Intermarché

 

 

 

No fim de semana fui às compras ao Intermarché. O meu marido também. 

Descobrimos que está em vigor uma campanha de Natal.

Por cada 30 euros de compras, o Intermarché dá presentes, em forma de um pequeno envelope fechado para descobrir o que nos calhou na sorte.

Pois entre 500 euros de compras em cartão, tablets e smartfones, ao meu marido calharam-lhe dois brindes surpresa de Natal, que nada mais são que pequenos bonecos de plástico, a levantar no balcão central.

Já a mim, em quatro envelopes, 4 "experiências gourmet"! Logo a mim, que não sou muito dada a coisas gourmet. Estas ofertas consistiam, então, em degustação de vinhos, provas de queijos ou enchidos, workshops de chocolate, etc.

Vou ao site consultar os parceiros para efectuar a marcação mas, sinceramente, estes prémios não me cativam mesmo nada.

Em último caso, o que ainda me agrada é provar o bolo de chocolate mais feio de Lisboa e o chocolate quente, no restaurante vegetariano Bem Me Quer, em Lisboa. Mas o mais certo é irem todas parar ao lixo, sem qualquer uso.

  • Blogs Portugal

  • BP