Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Deixei-te Ir, de Clare Mackintosh

Resultado de imagem para deixei-te ir livro

 

Sabem aqueles desafios que nos costumam surgir, de frases com palavras pela metade, ou frases escritas no sentido inverso que, ainda assim, conseguimos decifrar porque o nosso cérebro faz a associação automática?

Também na escrita, acontece o mesmo. O autor do livro pode descrever dois acontecimentos separadamente, e o nosso cérebro fazer a associação entre os dois, sem qualquer dúvida. Por vezes, essa associação é correcta. Outras vezes, não. Pode apenas servir para o autor conduzir o leitor ao caminho que quer que ele siga, para depois o impacto da verdade ser maior. Ou significa apenas distracção ou falta de atenção do leitor.

Não sei se a autora de "Deixei-te Ir" teve alguma dessas intenções, mas a verdade é que o meu cérebro associou, de tal forma, uma coisa à outra que passei metade do livro, enganada!

De facto, nesta história, nada é o que parece. Nem sempre aqueles que julgamos vítimas são as verdadeiras vítimas. Nem sempre os que julgamos bons o são de verdade. Nem sempre aqueles que nos parecem culpados, têm culpa.

A qual destes grupos pertencerá Jenna Gray? Quem poderá confiar nela, e em quem poderá ela confiar?

Um livro a ler, para quem gosta do género!

 

SINOPSE

"Numa fração de segundos, um acidente trágico faz desabar o mundo de Jenna Gray, obrigando uma mãe a viver o seu pior pesadelo. Nada poderia ter feito para evitar esse acidente.
Ou poderia? Essa é a pergunta que a inquieta quando tenta deixar para trás tudo o que conhece, procurando um novo recomeço refugiada num chalé isolado na costa de Gales.

Também o detetive Ray Stevens, responsável pela investigação por este caso que procura a verdade, começa a ser consumido pela sua entrega ao mesmo, deixando a vida pessoal e profissional à beira do precipício.
À medida que o detetive e a sua equipa vão juntando as pontas do mistério, Jenna, lentamente, permite-se vislumbrar uma luz de esperança no futuro, o que lhe dá alguma segurança, mas é o passado que está prestes a apanhá-la, e as consequências serão devastadoras."

Das mini férias de Julho...

Foto de Marta E André Ferreira.

O que é bom acaba depressa, e esta semana de férias passou a correr!

 

Constatações:

- a minha filha mudou - se até ao ano passado preferia mais piscina, este ano fez saber que prefere praia; e, ao contrário dos outros anos, não quer ficar muito tempo na praia;

- houve muitos adolescentes a apanharem o autocarro à mesma hora que nós, pelo que deve ser um "mal geral";

- eu própria, apesar de querer aproveitar bem a praia, dei por mim a não me importar, porque nos despachávamos mais cedo, e podia aproveitar ainda para descansar e ler;

- a maioria dos jovens vai no autocarro agarrada aos telemóveis (o autocarro tem internet), enquanto eu levava um livro;

- ainda há jovens educados, a dar lugar aos mais velhos e mães com filhos ao colo, coisa que já raramente se vê;

- ando tão cansada, que este ano nem tive vontade de jogar raquetes - de qualquer forma, a praia está tão cheia que nem há espaço para isso;

- soube-me bem estes dias e as caminhadas autocarro-praia-autocarro, a fazer-me parecer quase uma turista no meio de todos os que por lá andam no verão, sem horários nem preocupações de trabalho;

- apesar de o primeiro dia não ter tido um grande aproveitamento, tive sorte com a semana que escolhi - mar calmo a permitir-nos nadar à vontade, sol, apesar de algum vento que se fazia sentir, apenas ontem o tempo estava óptimo aqui em Mafra, e completamente encoberto na Ericeira;

- as bichanas gostaram de ter a dona mais tempo em casa, e estão cada vez mais exigentes de atenção e mimos;

- apesar de já não conseguir acordar muito tarde, poder dormir uma hora a mais que nos dias de trabalho, e não ser acordada com despertador, fez toda a diferença;

 

Conclusão:

Posso voltar a ir de férias, e só regressar no final de Agosto?!

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP