Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Ru Vasconcellos na Inominável de Abril

Imagem 1 Ru Vasconcellos.jpg

Ru Vasconcellos é uma artista multifacetada, nascida em Portugal e de ascendência britânica, que tem vindo a desenvolver o seu trabalho como compositora, cantora, pianista e guitarrista, e tem sido a grande responsável pela gestão da sua própria carreira.

Talvez por ter uma história familiar de pianistas e músicos, Ru terá herdado a paixão e o talento para a música.

Iniciou os seus estudos com apenas 3 anos, tendo começado pelo piano e, mais tarde, na guitarra, devido à sua paixão pela música rock.

Estudou piano, guitarra, bateria, jazz e voz na prestigiada Escola de Jazz do Hot Club, e tirou o curso de “Jazz e Música Moderna” na Universidade Lusíada. Terminou também um curso de composição online no Berklee College of Music, para além de uma licenciatura em Design.

 

 

Imagem 2 Ru Vasconcellos.jpg

Ru costuma, com frequência, escrever e compor para artistas nacionais e internacionais.

O seu percurso na música é longo, com passagem por várias bandas, mais de uma centena de concertos, e atuações em diversos países e em locais mediáticos, o Palácio Il Bottaccio Luxury Venue, em Londres.

O Single “So Many Reasons”, pertencente a uma das bandas que integrou, fez parte da banda sonora da série “I Love It”, da TVI. Compôs ainda o tema “Janeiro”, para o filme alemão “Before Dawn”.

Em julho do ano passado, apostou numa carreira a solo, lançando o seu primeiro single “Summer Blaze”, que foi destaque em algumas rádios portuguesas.

 

 

A memória mais antiga que tenho é de ficar fascinada com o som, especialmente aquele produzido pelo piano. A minha mãe conta que antes de falar cantava, a imitar os pássaros.

 

Este ano foi dos mais desafiantes da minha vida (se não O mais desafiante), cresci muito e mudei muito a minha forma de pensar de “super perfeccionista” a “just do it”, daí ter decidido “largar” de certo modo o seguro, e os clientes todos que tinha cá e mudar-me para Londres onde o meu single está a passar em muito mais rádios do que em Portugal (assim como na Austrália, Gibraltar e US).

 

No Festival LIUNA havia um público de 30 mil pessoas no primeiro dia, e 40 mil no segundo. Foi indescritível.

 

Na Inominável de Abril, podem ler a entrevista completa que Ru Vasconcellos concedeu (páginas 10 a 12) para a rubrica Musicalizando. É só clicarem na imagem, e espreitarem:

 

19415621_hW8eB.png

 

Musicalizando na Inominável

Imagem 1.jpg

 

A Joana foi a minha convidada da rubrica Musicalizando, para a edição de Fevereiro da Inominável. Deixo-vos aqui o artigo/ entrevista:

 

Joana França nasceu a 2 de abril de 1986, em Lisboa, e é cantora, autora e também atriz. Desde muito cedo que começou a pisar os palcos do teatro, passando também pela televisão. Passou pelo Parque Mayer, participando em duas Revistas à Portuguesa, e fez parte do Musical Amália de Filipe Lá Feria, onde interpretou a irmã de Amália, Celeste Rodrigues.

Em 2007, como vocalista da banda portuguesa de Pop/Rock “Pluma”, Joana deu-se a conhecer como cantora, tendo os seus temas integrado as bandas sonoras de várias novelas da TVI e SIC. Em televisão, contou com participações nas séries “Camilo em Sarilhos”, “Maré Alta” e “Bem-vindos a Beirais” entre outras.

Joana assinou contrato com a editora Farol Música, tendo editado em Junho de 2015, nas plataformas digitais, o seu EP “This…Is Me”. O single escolhido para apresentação deste trabalho foi “Try”. Esse mesmo single faz parte da banda sonora da telenovela “Os Nossos Dias II”.

 

 

Imagem 2.jpg

O segundo single deste EP, intitula-se “Turn It All Around”. Joana França esteve, em novembro de 2015, no programa Grande Tarde, onde teve oportunidade de apresentar este novo single, que consta também da nova compilação online da Farol Música - H1T2016.

 

M: Joana, começo por perguntar, como nasceu esta paixão pela música?

JF: Desde já muito obrigada pelo convite e pelo vosso apoio. Desde pequena, a música sempre esteve presente na minha vida. Fazia parte da nossa casa e das nossas vidas. Por isso não sei mesmo quando me apaixonei pela música porque na realidade nunca vivi sem ela.

 

M: Contando já com experiências em diversas áreas, nomeadamente, teatro, televisão e música, pergunto com qual delas mais se identifica, e lhe dá mais prazer?

JF: Todas. São amores diferentes. São formas de fazer artes distintas por isso não consigo mesmo dizer qual delas gosto mais. Na realidade a minha realização total acontece quando consigo que todas se conciliem.

 

M: Para além de cantora, a Joana é também autora, tendo escrito o tema “Try”. De onde vem a sua inspiração?

JF: Eu sou a autora de todas as letras do meu EP. A minha inspiração vem da minha maneira de ver e estar na vida. Eu acredito que o Ser Humano não foi feito para estar só, mas para vivermos todos juntos, nos ajudarmos uns aos outros, cuidarmos uns dos outros e crescermos uns com os outros. Por isso tento passar uma visão de conjunto e não de individualidade e egocentrismo, o grande mal que assola todas as civilizações.

 

M: Considera que, hoje em dia, para além de uma boa voz e saber interpretar uma letra, ser autor é também um requisito quase obrigatório para se ser bem-sucedido no mundo da música?

JF: Não o vejo como requisito associado ao sucesso, mas vejo-o como um dos elementos para completar o puzzle do “Artista”. Na realidade a interpretação de algo que foi composto pelo intérprete muda toda a performance.

 

M: Como define o seu estilo musical?

JF: Defino como estilo Pop querendo puxar ainda mais para o Soul. (risos)

 

M: Os temas “Try” e “Turn It All Around” são cantados em inglês. Considera que é mais fácil expressar-se nesta língua, ou que será, de alguma forma, mais fácil atingir sucesso além-fronteiras, cantando em inglês?

JF: Ambas. Cantar numa das línguas universais, sem dúvida, que facilita muita coisa, como o passar fronteiras sem se perder a mensagem do tema, mas na realidade, para mim é a forma mais intuitiva de compor.

 

M: Qual tem sido o feedback que tem recebido do público?

JF: Muito positivo. Na realidade há uma frase que se repete quando comentam os meus temas: “É diferente”! Ainda bem. Mission accomplished.

 

M: Para quem não conhece a Joana, o EP “This…Is Me” pode dar a conhecê-la melhor?

JF: Sem dúvida. Foi esse o objetivo, também.

 

M: O lançamento do primeiro álbum já tem data marcada?

JF: Ainda não. Este EP foi um “filho” muito querido que envolveu muito trabalho e muita gente. Prefiro esperar e deixar que ele dê os seus frutos, para já.

 

M: Onde vamos poder ouvir a Joana?

JF: Onde o público me colocar e me quiser! (risos)

M: Joana, muita sorte para a sua carreira!

JF: Mais uma vez muito obrigada e o maior sucesso para vocês, também.

 

 

Para ficarem a par de todas as novidades sobre a Joana França aqui ficam os respetivos links:

https://www.facebook.com/joanafranca2014/

https://twitter.com/officialjoanaf

 

Artigo da revista INOMINÁVEL N.º 2, rubrica Musicalizando, págs. 6 e 7

  • Blogs Portugal

  • BP