Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Médicos sem Fronteiras

 

Por certo já ouviram falar desta organização humanitária que tem vindo a desenvolver um trabalho notável um pouco por todo o mundo.

 

Os Médicos sem Fronteiras têm como principal missão prestar cuidados de saúde, tanto levando assistência imediata a quem dela precisa, como também atuando na prevenção, seja em que país for. No entanto, também faz parte do seu trabalho mostrar determinadas realidades que não devem ser ignoradas, nem tão pouco negligenciadas. E sensibilizar o público para o sofrimento daquelas pessoas afetadas.

 

Por norma, a ajuda médico-humanitária é enviada para locais onde se verificam conflitos armados, epidemias, desastres naturais, desnutrição e exclusão de acesso a cuidados de saúde. A organização pode ainda fornecer água, alimentos, saneamento e abrigos, se também disso depender a sobrevivência daquela população que estão a ajudar, e não apenas de cuidados médicos.

 

Curiosidades:

* Esta organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas que atuaram como voluntários, no final dos anos 60, em Biafra, na Nigéria, durante uma guerra civil.

 

* Foi na sequência desse voluntariado, ao socorrer as vítimas que lhes iam chegando, que se aperceberam de algumas dificuldades ou limitações, não só a nível do acesso, mas também a nível burocrático e político, relativamente à ajuda humanitária vinda de outros países,

 

* Em 1999, a organização Médicos sem fronteiras recebeu o prémio Nobel da Paz.

 

* Atualmente, a MSF leva ajuda humanitária a pessoas em cerca de 70 países, espalhados pelos vários continentes.

 

 

Artigo elaborado para a edição de novembro da Blogazine.

Vem ai VAIANA!

 

A pensar nos mais novos, e na época de Natal que se aproxima, a Disney estreia no próximo dia 24 de novembro, um novo filme de animação que promete ser um sucessor à altura de Frozen.

E como não podia deixar de ser, vem aí mais uma princesa - Vaiana!

Vaiana é uma jovem adolescente, navegadora e muito corajosa, oriunda da Polinésia, filha única de um chefe de uma longa linhagem de navegadores - os Tui.

Vendo que a sua família precisa de ajuda, Vaiana parte em busca de uma misteriosa ilha lendária e, na companhia do semideus Maui, ela irá aventurar-se pelos mares, e deparar-se com perigos que nunca imaginou.

Esta produção tem vindo a causar polémica devido ao nome escolhido para a protagonista da história, uma vez que esta princesa foi, inicialmente, apresentada como Moana (Waialik).

Assim, se em alguns países o nome original se mantém, em outros, como é o caso de Portugal, a Disney decidiu alterar a designação para “Vaiana”.

Tendo a mitologia da Polinésia como base, esta obra foi realizada por Ron Clements e John Musker, e conta com as vozes, na versão original, de Auli’i Cravalho e Dwayne Johnson.

Não percam este grande filme da Disney!

 

 

Este artigo consta da edição de novembro da Blogazine.

Saúde Porta a Porta

 

São cada vez mais as pessoas que, ao chegarem à velhice, acabam por se sentir isoladas, desamparadas ou negligenciadas.

Algumas, porque simplesmente não têm família, amigos ou alguém que possa olhar por eles vendo-se, assim, abandonados à sua sorte.

Outras, porque não existe disponibilidade, por parte das famílias, para acompanharem o envelhecimento dos seus familiares.

Também pode acontecer que alguns idosos, mesmo tendo familiares ou conhecidos que os poderiam ajudar, rejeitem essa possibilidade, porque consideram que são ainda capazes de se valer a si próprios.

Há ainda aquelas que, ao longo de toda a sua vida, foram afastando quem lhes queria bem, com atitudes, gestos e palavras, acabando entregues à solidão.

Nesses casos, quem fica responsável por essas pessoas? Quando as relações com a família estão cortadas, deverão ser os vizinhos a ter essa preocupação, por uma questão de solidariedade? Existem associações ou entidades que possam prestar assistência a estas pessoas, sem fins meramente lucrativos?

Sim, existem associações, projetos e voluntários que se dedicam a visitas e acompanhamento dos idosos, para combater a solidão, vigiar a sua saúde, dar-lhes um pouco de alegria, alertar para os perigos que correm, e proporcionar-lhes, se for o caso, melhores condições de vida e um pouco de dignidade nestes últimos anos das suas vidas.

 

Um desses exemplos é o Projeto “Saúde Porta a Porta”.

Assinado pela Associação de Estudantes da NOVA Medical School/ Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa e as Juntas de Freguesia da Estrela, Campo de Ourique e da Misericórdia, para os anos 2015/2016, o Protocolo de Colaboração do Projeto “Saúde Porta a Porta”, estabelece também a cooperação com o Hospital CUF Infante Santo e a Câmara Municipal de Lisboa.

O projeto consiste no apoio efetivo aos mais idosos, em situação de carência de saúde ou socioeconómica, e tem por objetivo a “realização de visitas regulares à comunidade idosa, de forma a diminuir o isolamento social, fazer acompanhamento e aconselhamento do estado de

saúde das pessoas referenciadas, elaborar propostas de conciliação terapêutica, e sinalizar carências sociais ou de saúde”.

Na Estrela, em 2014/2015, o projeto foi iniciado com os 10 idosos previstos, tendo, no entanto, sido incluídos mais 12 idosos em acompanhamento.

No presente ano, encontram-se a usufruir do projeto, na Estrela, 35 idosos. Campo de Ourique tem 6 idosos em acompanhamento. A Freguesia da Misericórdia junta-se este ano.

 

Este artigo foi escrito para a BLOGAZINE de Agosto.

Entrevista completa aos Amor Electro

 

 

Formada por Marisa Liz, Tiago Pais Dias, Rui Rechena e Ricardo Vasconcelos, esta banda estreou-se em 2011 com o álbum “Cai o Carmo e a Trindade” e, desde então, não tem parado de crescer.

Hoje, os Amor Electro são um dos principais projetos da música portuguesa que alia, simultaneamente, modernidade e tradição, raízes populares e eletrónica, dando origem a um som original, com carisma, emoção e portugalidade. 

 

 

 

Com vários prémios e distinções, como o Globo de Ouro para melhor banda e melhor música com “A Máquina”, em 2012, ou o prémio European Border Breakers Awards 2013, e vários concertos esgotados, ao longo dos últimos anos, um pouco por todo o país, ninguém fica indiferente à qualidade do trabalho dos Amor Electro, e à inconfundível voz da Marisa Liz.

 

 

 

Depois de “Cai o Carmo e a Trindade” e de R(Evolução), de onde saíram, à semelhança do tema “A Máquina”, outros temas de igual sucesso, que fizeram parte da banda sonora de telenovelas portuguesas de horário nobre, os Amor Electro estão agora na fase de preparação do seu terceiro álbum.

 

 

 

Neste novo trabalho, para além do tema “Juntos, somos mais fortes”, apresentado na gala final do programa The Voice Portugal, no qual a vocalista era uma das mentoras, o público poderá também contar com uma música escrita por um dos fãs da banda – um poema escolhido entre os vários que os fãs escreveram e lhes chegaram às mãos.

Os Amor Electro foram os convidados da edição de Julho da Blogazine. Deixo-vos aqui a entrevista completa!

 

 

Como é que nasceram os Amor Electro?

Os Amor Electro juntaram-se para criar uma banda de versões chamada Catwalk em 2010, passado uns meses tivemos a sorte de ter um convite para gravar um disco de originais e nasceram os Amor Electro.

 

Como é que definem o vosso género musical?

Como é tão difícil para uma banda definir o seu som, quisemos dar um nome àquilo que fazemos e assim surgiu o nome Amor Electro. Amor Electro representa música eletrónica, rock, pop, tradicional e o que mais nos apetecer, dando-nos a liberdade para navegar nestes estilos e evoluir para o desconhecido, falando sobre tudo o que nos rodeia, mas principalmente de amor.

 

Pegando no título do vosso segundo álbum, consideram que os Amor Electro revolucionaram, de alguma forma, a música portuguesa a que estávamos habituados?

Quem faz da música uma revolução são as pessoas. A nossa intenção era fazer um disco que, para nós enquanto músicos e seres-humanos, seria revolucionário musicalmente e emocionalmente. Ficamos imensamente gratos por podermos ter a oportunidade de mudar para melhor a vida de alguém, isso para nós é uma revolução!

 

Depois do sucesso dos dois primeiros álbuns “Cai o Carmo e a Trindade” e “R(Evolução), quais são as vossas expectativas relativamente a este novo trabalho?

Fazer um disco em que acreditemos, dar o melhor de nós e esperar que alguém sinta e entenda a nossa mensagem.

 

O videoclip do novo single “Juntos, somos mais fortes” contou com a participação de 200 pessoas, que os Amor Electro convidaram para se juntar à banda, sob o lema “juntos somos mais fortes”, em dezembro de 2015. Como foi essa experiência?

Foi brutal! Foi um dia em que todos se juntaram para estarem juntos!!  Um dia em que a energia, o carinho e o apoio de todos foram fundamentais para termos um dia feliz. Infelizmente, por motivos técnicos, tivemos que ir por outro caminho que em breve iremos mostrar, mas que se regeu pelas mesmas vontades e convicções, mostrando que juntos, somos mais fortes!

 

Como é que surgiu a ideia de fazer uma música com um poema escrito pelos vossos fãs?

Queremos cada vez mais partilhar e unir aquilo que fazemos com todos os sentem e entendem a nossa música reforçando sempre a ideia de que juntos, somos mais fortes!! Ficámos surpreendidos pela enorme adesão e, emocionados por termos tanta ajuda nesta nossa viagem.

 

Foi difícil fazer uma escolha entre os 522 poemas que receberam?

Não foi, está a ser difícil…já temos algumas letras de parte, mas realmente o talento em Portugal é gigante e a nossa escolha vai ser feita até ao último momento.

 

Já têm alguma data prevista para o lançamento do vosso terceiro álbum?

Acreditamos que vai ser este ano e estamos a trabalhar imensamente para que isso aconteça.

 

O que gostariam de concretizar em 2016, que ainda não o tenham conseguido fazer até agora?

Queremos continuar a trabalhar no nosso país, fazendo o melhor 3º Disco possível, tentando sempre inovar e trazer alguma frescura ao nosso Portugal.
Queremos também abrir as portas ao mercado internacional, temos algumas intenções previstas para 2016/2017 e gostávamos muito de conseguir que a música dos Amor Electro fosse escutada pelo mundo!

 

Onde é que os vossos fãs vos vão poder ouvir este ano? Já têm atuações agendadas?

Felizmente já temos uma agenda bastante preenchida para este ano, vamos andar um pouco por todo o país. Não querendo deixar nenhuma cidade de fora, o melhor a fazer é visitarem os Amor Electro no Facebook / Site !!

 

Muito obrigada pela vossa disponibilidade, e votos de muito sucesso!

 

 

 

Para ficarem a saber mais sobre os Amor Electro, aqui ficam os links do twitter, facebook e, claro, o site oficial da banda:

twitter.com/amorelectro

https://www.facebook.com/AmorElectroPT/?fref=ts

www.amorelectro.com/

 

 

Este artigo foi escrito para a Blogazine de Julho.

 

 

Passatempo Blogazine - Chiado

transferir (2).png

 

 

 

Querem ganhar um livro oferecido pela CHIADO? E ter a oportunidade de escolher o que mais vos agrada?

Então participem já neste passatempo exclusivo da Blogazine!

 

As regras são muito simples, como podem ver acima:

- seguir a Chiado Editora no facebook

- seguir a Blogazine no facebook

- preencher o formulário disponível no facebook da Blogazine, a que também podem aceder AQUI.

 

Depois, é só esperar pelo dia 20, para saber quem foi o grande vencedor!

 

Participem já, e habilitem-se a ganhar um livro à vossa escolha, à distância de um clique! 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP