Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Águas Perigosas

Resultado de imagem para águas perigosas filme

 

Para desanuviar um bocadinho das emoções do fim-de-semana, decidimos ver este filme que tínhamos gravado.

Quando li sobre o mesmo, fiquei com a ideia que a protagonista ficaria presa numa ilha, e que haveriam vários tubarões. Só depois percebi que não era bem assim.

E desanuviar é só uma maneira de dizer, porque na verdade uma pessoa está sempre tensa a ver o filme, à espera do ataque, à espera que tudo dê certo, à espera que não haja mais incidentes.

 

 

 

Resultado de imagem para águas perigosas filme

 

A ilha não é bem uma ilha, como nós imaginamos, mas apenas umas rochas no meio do mar que, a determinada altura, com a subida da maré, irão ficar submersas. E haverámais inimigos a enfrentar, além dos previsíveis.

Por outro lado, nem num filme destes uma pessoa deixa de se emocionar com os animais! E não falo do tubarão, mas de uma baleia que por ali anda, ferida e a servir de refeição.

E, sobretudo, de uma gaivota! Uma gaivota que será a grande companhia de Nancy, e que não pode voar porque tem a asa ferida. Nancy consegue tratar dela, e colocá-la no caminho de volta à praia, mas só no final saberemos se foi bem sucedida, ou apanhada pelo tubarão.

 

À semelhança de um outro filme que vi, em que a Sandra Bullock foi a única personagem na maior parte da duração do filme, também neste Blake Lively teve seu cargo essa missão. E a verdade é que não faz ali falta mais ninguém para nos manter presos ao ecrã.

 

Era suposto ser uma ida à praia. Não uma praia qualquer, mas uma especial, escondida, desconhecida da maior parte das pessoas. E uma tarde de surf, tal como tinha acontecido há muitos anos atrás. Só isso.

Mas o que torna esta praia tão especial e misteriosa, é também uma desvantagem, que pode fazer a diferença entre a vida e a morte de quem lá vai.

 

Houve cenas que me fizeram imensa confusão, e não recomendo para quem é sensível a ver sangue, ou a alimentação alternativa, mas adorei o filme!

Digam-me que não estamos assim tão mal de cultura!

Muitas vezes me diz, a minha filha, para eu e o meu marido nos inscrevermos neste programa.

Respondo-lhe sempre que não. Porque não basta ir. Por muito que eu goste de brincar, e até saiba umas coisitas, e por muito que gostasse de ganhar aqueles prémios, é preciso muito mais para concorrer.

E entre ir até lá fingir que sei muito quando, na verdade, não sei, ou ter que andar a estudar à pressão nem se sabe bem o quê, para não fazer má figura, correndo o risco de a fazer na mesma, prefiro ficar em casa.

 

Mas há perguntas que são tão básicas, do senso comum, que fazem parte da nossa vida e da nossa cultura, que fico parva com as respostas que por ali surgem a alguns concorrentes.

Eu sei que lá é tudo muito diferente. Há nervos, não se tem noção se a Cristina estará a ajudar, ou a confundir, e parece que todas as nossas certezas se desvanecem, e começamos a duvidar de tudo. 

Ainda assim, digam-me que os portugueses não estão assim tão mal de cultura, e que estes concorrentes são uma minoria, um "erro de casting"!

 

Sem Título1.jpg

A esta pergunta, o parceiro estava hesitante entre quarto crescente e quarto minguante mas, não querendo arriscar, trocou com a companheira, que também não sabia a resposta!

Nós damos isto na escola. As luas estão presentes em agendas, calendários, notícias na internet. Como é possível haver quem não saiba o ciclo da lua?

Sem saber a resposta certa, ela arriscou a Lua Nova, porque diz ter a ideia de que esta vinha logo a seguir à lua cheia, e então, depois, os quartos. 

Foram a andar para casa!

 

 

Sem Título2.jpg

Outro dia, outros concorrentes, e nova pergunta básica!

Isto também vem nas agendas e calendários. E também se dá na escola!

O concorrente não sabia. Mas os seus palpites estavam muito frios. Trocou com o colega que, de imediato, respondeu "5 de outubro". E eu só levava as mãos à cabeça.

A Cristina, para o ajudar, falou da Implantação, para ver se se fazia luz. Deve ter resultado, porque ele lá se decidiu pela resposta certa.

 

 

Sem Título3.jpg

No entanto, logo a seguir, espalharam-se de vez!

Esta pergunta é, das 3, a que menos fácil era, porque estamos a falar de algo específico - símbolos químicos, muitas vezes parecidos e confundíveis. Ainda assim, esta era fácil. Já perdi a conta às vezes que este símbolo me apareceu em palavras cruzadas.

O concorrente, com toda aquela conversa da Cristina, conseguiu passar por todas as respostas, menos pela que estava certa: começou por escolher o ouro, cujo símbolo é Au (este eu sabia), passou para o azoto e, no fim, bloqueou selénio. Era sódio!

Foram para casa à terceira pergunta.

 

A Rapariga de Antes, de JP Delaney

doc20170428000300_001.jpg

 

Emma e Jane - duas mulheres, duas inquilinas do n.º 1 de Folgate Street. Emma, a anterior inquilina. Jane, a actual. O que as une, e o que as separa? O que têm em comum, e o que têm de diferente estas duas personagens?

 

Emma, num momento anterior, procurava, juntamente com o namorado Simon, uma nova casa para arrendar, e com a máxima segurança, dado que tinha sido vítima de assalto uns dias antes.

Jane, no presente, procura uma nova casa, para tentar recomeçar a sua vida, após a perda da sua bebé, que nasceu sem vida.

Ambas foram selecionadas, após preencherem um extenso questionário, e irem a uma entrevista com o arquitecto que construiu a casa, e que é o senhorio.

Viver no n.º 1 de Folgate Street não é para todos. Existem demasiadas regras que muitos não estão dispostos a aceitar e cumprir. Eu própria nunca o faria. Seria quase como estar a viver constantemente vigiada, com receio, a planear cada movimento e cada gesto - uma espécie de prisão domicilária.

Muitos inquilinos não aguentaram mais que umas semanas, e sairam.

Ainda assim, é uma casa incrível, que capta a atenção de quem a visita, e dotada da mais alta tecnologia, para que tudo funcione de forma perfeita, e nada falhe.

A determinado momento, alguém diz: "Quer um conselho? Arranje uma casa normal e coloque-lhe uma fechadura dupla."

E não é que até tinha uma certa razão?! É que a tecnologia é fantástica, mas também pode ser falível.

 

 

Mal comecei a ler este livro, a vontade era só parar na última página!

A história vai alternando entre o passado, com Emma, e o presente, com Jane. Confesso que, a determinado ponto, já não sabia bem se o que estava a ler dizia respeito a uma ou a outra, tal a forma como tudo se repetia com as duas.

 

 

Ambas estão abaladas psicologicamente. Ambas são parecidas, e igualmente parecidas com a falecida mulher de Edward, o senhorio. Ambas se envolverão num relacionamento com Edward, e repetirão muitas das conversas, das cenas, dos momentos que passaram com este.

Até ao momento, existe apenas uma diferença entre elas - Emma está morta. Jane ainda vive. Por enquanto...

 

 

Tudo o resto que distingue as duas, irão descobrir à medida que forem avançando na leitura do livro que, apesar de nos querer empurrar à força para uma determinada direcção, nada mais faz do que nos distrair para que não percebamos de onde vem o verdadeiro perigo.

 

A Bailarina - o filme

Resultado de imagem para bailarina filme

 

Assim que vi a apresentação do filme soube que o queria ver.

E, na segunda-feira, lá fomos nós ao cinema ver A Bailarina!

A sala estava quase esgotada, e a maioria dos espectadores eram, claro, as crianças.

 

 

Resultado de imagem para bailarina filme

A história em si não traz nada de novo. Fez-me lembrar um filme da Barbie, em que a personagem principal vai ser ajudada e treinada para ser uma grande bailarina.

Mas, ainda assim, adorei o filme! E gostei logo no início, com uma música espectacular a prenunciar o que aí vinha. E podem criticar a banda sonora deste filme, como já li, mas para mim é perfeita. Tem várias músicas que gosto muito, e que fazem todo o sentido.

 

Se querem ver o filme e manter a surpresa, não leiam o resto do post.

 

 

Resultado de imagem para bailarina filme

Tudo começa com dois amigos, órfãos - Felícia e Victor - a fazerem planos para fugir do orfanato onde vivem, para concretizar os seus sonhos - o dela, de ser bailarina, e o dele, de se tornar um grande inventor.

E é assim que ambos vão parar a Paris, onde tentarão mostrar aquilo que valem. 

 

Sobre Felícia, há uma frase que a define "tens a energia de uma bala, e a leveza de um elefante".

 

 

 

Resultado de imagem para bailarina filme

Ela vai ter que treinar muito e melhorar a sua técnica, que é a única coisa que lhe falta.

Se é verdade que qualquer um, com maior ou menor dificuldade, consegue adquirir alguma técnica trabalhando para isso, também é verdade que a paixão pelo que se faz, neste caso a dança, nem todos a têm e sentem.

 

Pelo caminho, Felícia vai cometer erros e ter atitudes menos correctas com as pessoas que mais a ajudaram, como Victor e Odete. Isso irá sair-lhe caro, e prejudicar quem a ajudou. E ela vai voltar para o orfanato, desta vez sem a alegria e vivacidade de antes.

 

Como em todas as histórias, existem os maus da fita, a menina rica e mimada que quer o protagonismo só para si, os aparentemente duros, mas que escondem um coração bondoso, e os amigos tontos.

 

 

Resultado de imagem para bailarina filme

Felícia perdeu para Camila a oportunidade de dançar ao lado de uma das maiores bailarinas daquele tempo, interpretando o papel de Clara, em Quebra Nozes. Em vez disso, está a arrumar a cozinha no orfanato, e os seus dias vão passando, sempre iguais. Mas, poderá ela ainda vir a ser uma bailarina?

 

 

Imagem relacionada

E o que terá acontecido a Victor, que ficou em Paris?

 

Poderão mesmo os sonhos tornar-se reais, se nunca desistirmos deles?

 

Para mim este é já um dos grandes filmes de animação do ano!

Se puderem, vejam.

Transcendence: A Nova Inteligência

Resultado de imagem para transcendence a nova inteligência

 

Um filme que tem fantasia a mais para o meu gosto, mas que nos faz pensar em algumas coisas como:

- ter cuidado com aquilo que desejamos porque, um dia, quem sabe, isso pode vir a ser concretizado, e tornar-se mais assustador do que benéfico

- a ciência é espectacular, mas há certas coisas que devem permanecer como estão, e deixar a natureza seguir o seu curso, sem interferir

- por muito boas que sejam as intenções de alguém, quando se lança nestas experiências, até que ponto a capacidade de controlar tudo e todos, e o próprio mundo, não desviarão alguém do seu carácter, e a sede de poder não a levará a actos abomináveis?

- poderá uma máquina substituir um humano a todos os níveis, e ser vista pelos demais como se fosse a pessoa, e não a máquina, que ali está à sua frente?

 

 

 

Sinopse:

"Will Caster é um dos mais importantes investigadores no campo da Inteligência Artificial, dedicando toda a sua vida a criar uma máquina capaz de pensar e sentir por si mesma. As suas experiências e criações controversas tornaram-no famoso na sua área de estudo, mas transformaram-no também num dos principais alvos dos grupos extremistas antitecnologia. Com o projecto quase concluído, Will é atacado por um grupo terrorista e deixado gravemente ferido. Antes que ele morra, Evelyn, a sua mulher, insere no seu cérebro um protótipo que lhe retira a consciência e a transfere para um supercomputador. Evelyn verifica que a mente de Will ressuscitou no processador da máquina e que continua a funcionar na perfeição. Porém, Caster revela uma vontade de adquirir conhecimento que parece ter perdido qualquer noção dos limites. Decidido a ganhar poder e controlar o mundo, ele tem um objectivo muito específico: tentar convencer a mulher a ligá-lo à internet para que ele se possa propagar por todos os computadores existentes e criar uma inteligência colectiva. Apesar de isso significar o sucesso de décadas de estudo e total dedicação, Evelyn percebe o impacto que poderá ter não apenas na sua vida, mas na de toda a Humanidade." 

  • Blogs Portugal

  • BP