Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Da minha ida à rádio...

Foto de Marta E André Ferreira.

 

...e dos 5 minutos de pânico que passei!

Quando estamos habituados a algo, ficamos de tal forma com aquela imagem na cabeça, que nem concebemos o cenário diferente.

Nos tempos em que o meu irmão trabalhou nesta rádio, ainda ficava noutro local. Mas há já alguns anos que sabia que tinha mudado para o edifício em frente ao Tribunal. E foi com essa imagem na cabeça que fui para lá.

Era para ir apenas com a minha filha. Depois, o meu marido disse que também ia. No entanto, ele acabou por ficar a dormir. E a minha filha demorou uma eternidade a despachar-se. A entrevista estava marcada para as 11 horas. Eu queria chegar antes, mas foi completamente impossível.

Quando chego, estaco a olhar para o local onde eu achava que era a rádio e...nada de rádio! Nada de edifício, sequer!

O dito edifício já não existe, porque foi onde construíram o novo edifício da Loja do Cidadão, onde em costumo ir quase todos os dias, em serviço.

 

Boa! Estou em cima da hora, e não faço a mínima ideia de onde fica a rádio, nem sequer tenho o contacto deles para ligar!

Lembrei-me de ir aos CTT perguntar, mas estava uma fila enorme. Fui então à Loja do Cidadão, perguntar ao segurança. Quando ele me diz "fica aqui no último piso", foi um alivio!

Como é que vou lá tantas vezes, e nunca tinha percebido?

Chegadas à radio, não vimos ninguém. A Carla, a entrevistadora, estava em estúdio, por isso não podíamos interromper. Por isso, esperámos que ela nos visse.

Entrámos para o estúdio, conversámos um pouco em "Off" antes do directo, que a Carla gravou em vídeo para a página de facebook da rádio e, depois, lá aconteceu a entrevista, como previsto.

Ficámos a conhecer, de certa forma, como funciona uma emissão de rádio. 

Por último, as fotografias da praxe.

 

Para quem quiser ver a entrevista, aqui fica o link: https://www.facebook.com/mafrafm/videos/1380267278709041/

 

A Tua Cara Não Me É Estranha - 3º programa especial

Sem Título1.jpg

Confesso que não tenho acompanhado estes programas especiais de A Tua Cara Não Me É Estranha mas ontem, ao ver a apresentação, quis ver quem iria imitar a Pink, e como o faria.

Só poderia mesmo ser a Wanda Stuart! Pode não ter estado igual à Pink, mas adorei vê-la vestida de chapeleiro, e a interpretar este tema.

 

 

 

Sem Título.jpg

Mas o que me deixou mais estupefacta foi o primeiro convidado a actuar.

Parecia-me ele mas estava na dúvida. Não estive atenta à conversa e só mais tarde percebi, pelo nome, que não me tinha enganado.

Este rapaz, que este domingo até venceu como melhor imitação, dando vida a David Bisbal, foi o mesmo que, quando convidado a participar na minha rubrica de entrevistas "À Conversa Com...", há uns meses atrás, me respondeu o seguinte:

 

"Olá Marta. Daqui fala o Ricardo (Soler) e em primeiro lugar quero agradecer o facto de se ter lembrado de mim. Seguidamente gostaria de lhe pedir desculpa por não participar na sua rubrica, mas já abandonei a carreira musical e consequentemente afastei-me do meio público e não me faz sentido estar a dar-me a conhecer quando de momento quero é ser "esquecido."

 

Ao que parece, mudou de ideias! 

Ou isso, ou então usou uma das desculpas mais esfarrapadas que alguma vez ouvi :)

 

 

 

Imagens http://www.tvi.iol.pt/

A minha primeira entrevista para o Fantastic

Como sabem, tenho a meu cargo a rubrica "Fora de Casa", do Fantastic, que todas as semanas apresenta sugestões para quem queira sair de casa e aproveitar os diversos eventos que o país tem para oferecer. Hoje à noite sairá mais uma edição.

No entanto, convidaram-me também para elaborar uma entrevista a um grupo musical - os The Oafs - para a rubrica "Saídos da Rádio".

Aqui está o resultado, para quem quiser ficar a conhecer um pouco mais esta banda, de Viana do Castelo!

 

 

 

(cliquem na imagem para ler a entrevista)

A Lupa de Alguém na Blogazine de Fevereiro!

 

 

Este mês, não percam a entrevista da Anabela, autora do blog A LUPA DE ALGUÉM, na BLOGAZINE!

Está mesmo nas páginas finais (76 a 81), e é uma oportunidade para conhecer melhor alguém que se mostrou, nesta entrevista, uma caixinha de boas surpresas!

Adorei ler a entrevista, merecida, já que é uma das colaboradoras mais antigas da revista, e tenho a certeza de que foi um miminho muito bom para a Anabela.

Muitos parabéns! E cá estaremos para continuar a acompanhar A Lupa por muitos anos :)

 

Os Shout! na Inominável

 

 

Os convidados da última edição da rubrica Musicalizando, da revista Inominável, foram os Shout!, um grupo que transmite, através da sua música, toda a energia, alegria e sonoridade do Gospel.

Fundada em 1995, esta banda surge para acompanhar a cantora Sara Tavares no seu primeiro trabalho tendo, desde então, colaborado com diversos artistas como Santos & Pecadores, Adelaide Ferreira ou Rui Veloso, entre outros.

Para celebrar os 20 anos de carreira, os Shout! preparam-se para lançar o quinto álbum da banda. “Make It Right” é o single de apresentação, de um trabalho que promete surpreender, e mostrar uma nova sonoridade, mais atual.

Aqui fica a entrevista:

 

 

 

Resultado de imagem para microfone desenho

 

Como é que nasceram os Shout!?

Os Shout! nasceram em Março de 1995 com o objetivo de acompanhar a cantora Sara Tavares, após esta ter ganho o 1º Chuva de Estrelas e Festival da Canção. Por iniciativa da Ani Fonseca (manager da Sara) e do Dale Chappell (o então professor de canto da Sara e futuro diretor vocal dos Shout!) surge esta colaboração resultando no álbum “Escolhas”, o primeiro álbum português com uma sonoridade mais Gospel. A primeira formação era composta por 21 cantores, escolhidos por casting, que se identificassem com a mensagem e estilo musical. O nome Shout! foi escolhido “quase” por sorteio. Nas várias propostas apresentadas, este foi o que teve mais votação. E assim ficou Sara Tavares & Shout!.

 

 

Porque é que optaram pelo gospel?

Na sua maioria, os cantores de Shout!, à semelhança da Sara, tinham influência da Igreja Evangélica e, embora o Gospel não fosse um estilo de música muito ouvido ou consumido em Portugal, era muito promovido na Igreja. O teor da mensagem inspiradora, assim como a atitude com que era transmitida, era transversal a todos os cantores de Shout!. A influência dos coros Gospel vinda dos Estados Unidos e a possibilidade de “brincar” com tantas vozes foi um desafio.

 

 

Consideram que o gospel é um estilo ainda pouco ouvido e valorizado em Portugal?

Sim! Por tradição Portugal não é um País consumidor “natural” do Gospel. É um estilo de música mais utilizada e conhecida no universo da Igreja Evangélica onde, aí sim, é mais familiar. No entanto, nestes últimos anos com o aparecimento de outros coros Gospel Portugueses e por outras influências externas musicais começa a ser um

pouco mais valorizado. Sinceramente, achamos que contribuímos muito para que isso acontecesse, o que muito nos agrada.

 

 

Paralelamente ao vosso trabalho a nível dos Shout!, têm colaborado com outros artistas portugueses na criação de arranjos para temas desses mesmos artistas. Conseguem destacar uma dessas colaborações que mais prazer vos tenha dado participar?

É impossível destacarmos apenas uma delas. Todos os artistas com quem temos colaborado são grandes nomes da música portuguesa e músicos que admiramos, tais como Boss Ac, Rui Veloso, Ala dos Namorados – cujo tema “Caçador de Sóis” foi nomeado para tema do ano 2015, João Gil, etc. Não podemos no entanto deixar de salientar a colaboração com a cantora Beninense Angélique Kidjo no Rock in Rio. Esse foi de facto um momento especial para nós!

 

 

 

 

Que balanço fazem destes 20 anos de carreira? O que é que ainda gostariam de concretizar?

Tem sido um processo de crescimento e aprendizagem constantes. Ao longo destes 20 anos fomos evoluindo como grupo e individualmente fazendo de Shout! aquilo que é hoje. O balanço é bastante positivo, mas claro que queremos muito mais. Talvez um concerto no Meo Arena, ver um dos nossos temas associados a uma grande marca portuguesa, ou ser reconhecidos internacionalmente... Acho que todos nós queremos sempre mais!

 

 

Vem aí o vosso quinto álbum. Como é caracterizam este novo trabalho? Que mudanças nos traz?

Este próximo disco dá continuidade a nossa evolução como artista. Tem sido um percurso natural e sentimos necessidade de voltar a gravar originais. As várias influências que temos e a nossa identidade como grupo acabaram por se ir revelando e resultou neste conjunto de músicas que estamos a gravar. É certamente um álbum diferente daquilo a que acostumámos o público e estamos ansiosos pelas reações.

 

 

Já têm alguma data prevista para o lançamento deste trabalho?

Queremos trabalhar estes novos temas com calma e sem a pressão de termos uma data para lançamento do disco. Mas será em 2017!

 

 

 

Podem saber mais sobre os Shout! em:

www.shoutportugal.com

https://www.facebook.com/shoutportugal/

 

 

Entrevista elaborada para a revista 

capa.jpg

 

  • Blogs Portugal

  • BP