Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Um Gato de Rua Chamado Bob

Resultado de imagem para filme gato bob

 

No passado fim-de-semana vi, finalmente, o filme sobre a história do gato Bob e o seu dono, James Bowen.

A expectactiva era alta, sobretudo depois de ter lido os dois primeiros livros.

 

As conclusões a retirar são as seguintes:

- o gato Bob é lindo e único, sem dúvida o grande protagonista

- o actor que deu vida a James foi muito bem escolhido, e gostei muito da sua prestação no filme

- o filme em si, deixou muito a desejar, estava à espera de muito mais, de muitas emoções como as que os livros provocaram, e a única cena que se aproximou de algum tipo de emoção foi aquela em que o Bob fugiu e esteve uns dias sem aparecer

 

Foi, de certa forma, uma desilusão.

Sobre o Festival da Canção - A final

Foto de RTP - Festival da Canção.

Estava na expectativa para ver o Festival da Canção, até ao momento em que a Catarina e a Sílvia dizem que o voto do público só iria contar 50%, e que os restantes 50% seriam atribuídos por jurados em vários pontos do país. 

 

 

Foto de RTP - Festival da Canção.

A partir daí, percebi que nunca iria vencer a minha preferida, nem tão pouco uma das menos más. O programa já estava feito para isso não acontecer. Os responsáveis não iriam deixar os portugueses escolherem uma música, e tinham que encontrar uma forma de travar o poder do público. Conseguiram!

Nem me dei ao trabalho de ficar acordada até à uma da manhã, a assistir a um espetáculo dois em um, que para além da escolha da música representante de Portugal, ainda serviu para celebrar os 60 anos da estação.

Vi os resultados hoje.

Antes disso, já a minha filha me tinha perguntado um palpite, e respondi-lhe que talvez tivesse vencido o Salvador Sobral. Acertei. 

No entanto, quis perceber qual tinha sido a votação do público. Embora não tenham dado a pontuação máxima à minha favorita, e que pensei mesmo que seria a mais votada do público, continuo a achar mais justa a votação do público, do que a dos jurados.

 

 

 

Foto de RTP - Festival da Canção.

Está escolhida a música e não há nada a fazer. Agora é esperar que "Amar Pelos Dois" se transforme num "Amar por Todos", e consiga conquistar o maior número de votos, para ficarmos bem classificados. E quem sabe os restantes países não achem piada à forma singular como o Salvador interpreta a música.

Até porque uma coisa é certa: para uma música que não é festivaleira, já tem lugar garantido em Kiev! E provou a todos os que diziam que esta música até era bonita, mas não para um festival, que afinal até vai à Eurovisão!

 

 

Na minha opinião, continuo a preferir a música do Pedro Gonçalves ou até mesmo os Viva la Diva.

Há 3 semanas que Quantico recomeçou...

 

...e ninguém me disse nada!

Estava eu ontem a ver as gravações que tinha na box, para apagar o que não interessava quando, de repente, vejo gravações da série "Quantico" em Abril.

O quê? Estarei a ver bem? Pára tudo.

Último episódio gravado em Dezembro de 2015, e 3 novos episódios gravados em Abril deste ano (a 7, 14 e 21).

Finalmente! Quatro meses depois, lembraram-se de dar seguimento à série. Ao que parece, agora às quintas-feiras.

Continuo a achar um total absurdo a pausa que fizeram. Se tivesse terminado uma temporada, ainda se aceitava. Agora deixá-la a meio, deixar o público na expectativa, e fazê-lo esperar 4 meses, não se admite. Quem é que ainda se lembra de tudo o que deu antes, quem é que consegue seguir a história e o ritmo, sem ter que voltar um pouco atrás? 

Enfim, posso sempre ver o lado positivo: agora tenho 3 novos episódios para ver enquanto espero pelo desta semana, e posso vê-los seguidinhos, sem pausas ou interrupções!

Porque é que gosto da telenovela "Coração d'Ouro"?

 

Imagem sic.sapo.pt

 

Porque, até agora, conseguiu prender-me todos os dias, com um acontecimento ou reviravolta em cada um dos episódios que exibiu!

O que é muito raro, porque existem muitas em que os principais acontecimentos são apenas no início, e depois passam o resto do tempo em "banho maria".

Penso que esse é o grande segredo para o sucesso de uma telenovela, e para as audiências se manterem - uma boa história, excelentes actores, a expectativa e acção constante e, claro, um horário acessível.

Que continue sempre assim!

Curiosamente, está a passar durante a tarde a repetição da telenovela Dancin Days, que foi uma das poucas que gostei e acompanhei do início ao fim.

Sobre o filme Agora Fico Bem...

 

Há cerca de um ano atrás, logo depois de ter visto O Impossível, vi o trailer deste filme, que ia estrear no cinema no mês seguinte, e pensei "quero ir ver este filme"!

Mas como tinha acabado de experimentar emoções intensas com O Impossível, achei por bem esperar mais uns tempos antes de me propôr a viver mais umas quantas. O tempo foi passando e acabei por não o ver.

Na semana passada, quando o meu marido me perguntou que filme queria ver, falei-lhe deste. Ele pesquisou e vimos que ia dar no TVCine no dia 15. Gravámos. 

A expectativa era grande e já tínhamos os pacotes de lenços preparados para quando surgissem as lágrimas que, estávamos convencidos, iam marcar presença.

Mas, se o meu marido adorou, eu fiquei desapontada. Estava à espera de muito mais.

É certo que tem algumas partes mais marcantes, como a que o pai deixa cair a postura de optimista, forte e controlado, e mostra o seu medo, a sua impotência e a ausência de sentido para a sua vida, sem a sua filha. Ou a cena em que a Tessa e o Adam decidem ficar juntos e fazem planos para o futuro, um futuro que nunca chegará... Ou ainda algumas demonstrações ou gestos de amor, e a forma como é abordada a doença.

Mas, ainda assim, esperava mais. A acção parece-me muito parada, a maioria das cenas muito básicas, sem entusiasmo. Parece-me que falta ali qualquer coisa, e que há ali coisas que não fazia falta estarem.

A amiga que, numa relação casual, fica grávida, e a antítese entre a vida e a morte, não me convenceu. E no final, na hora da despedida, em que estão os pais e o irmão, por que razão não está também o namorado?

Gostei, não digo que não, e recomendo, mas penso que podiam ter feito muito mais!

  • Blogs Portugal

  • BP