Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

A importância de um blog na nossa vida

Resultado de imagem para blog

 

Um blog pode fazer parte da nossa vida, mas não deverá ser nunca, exclusivamente, a nossa vida.

 

Por muito difícil que seja lidar ou conviver com as pessoas cara a cara, fazer novas amizades, travar novos conhecimentos na nossa vida, fora da blogosfera, e se procure colmatar essa dificuldade, seja ela por que motivo for, na blogosfera, as coisas quase nunca correm como idealizamos. A maior parte das vezes, é um engano.

Nem todas as pessoas que encontramos na blogosfera são exactamente como se apresentam. Muitas vezes, são personagens criadas especificamente para aquele blog.

Além disso, alguns blogs chegam e partem, uns mais rapidamente que outros, não dando tempo para criar laços ou, quando criados, acabam por se quebrar. 

 

Se é possível nascer amizades neste mundo virtual? Sem dúvida! Não faltam exemplos de bloggers que se conheceram através dos respectivos blogs, e que levaram essa amizade para além da blogosfera. E, quando isso acontece, é bom! Eu que o diga.

No entanto, e como é óbvio, essas amizades são (ou deveriam ser) apenas uma parte do conjunto de pessoas que fazem parte das suas vidas.

 

 

 

Resultado de imagem para blog

 

Por muito bom que seja pertencer a este mundo da blogosfera, e sermos mimados com comentários, visualizações, destaques, supresas e prémios, que o é, sem dúvida, até que ponto a nossa vida se pode resumir à felicidade que daí advém?

 

Sermos reconhecidos pelo que escrevemos é óptimo. Sentir que os seguidores se identificam e partilham as suas opiniões, também. Saber que um post nosso chegou a muita gente e nos fizemos ouvir, idem. São pequenos mimos que nos deixam com um sorriso no rosto. É quase como um presente por aquilo que andamos aqui a fazer.

 

Mas é algo que depressa vem, e depressa vai.

 

 

Ninguém, por mais comentários ou visualizações que obtenha (salvo raras excepções) fica mais rico por isso! Ninguém anda a coleccionar troféus (tipo óscares da blogosfera), pelos destaques obtidos ao longo dos meses.

A única riqueza que recebemos de um blog, é o seu conteúdo, aquilo que quisemos pôr cá para fora, o nosso testemunho. São as amizades que eventualmente se façam, e que se fortaleçam também fora do mundo virtual. É a troca de experiências, opiniões e conhecimentos que poderemos fazer através deste meio. E um ou outro prémio que se vença em algum passatempo. 

Se passarmos a nossa vida numa tristeza, porque não conseguimos isto ou aquilo aqui na blogosfera, amargurados porque naquele dia ninguém nos visitou ou comentou, frustrados porque fizemos um texto tão bom, e não o destacaram, enfurecidos porque alguém tem mais "protagonismo", e com o coração cheio de negativismo porque a vida que idealizámos conquistar na blogosfera não é aquela que esperámos, então não estamos, de facto, a viver.

 

 

 

 

Imagem relacionada

 

 

Estamos a reduzir a nossa vida a muito pouco, se acharmos que, somente num blog, estará escondida a chave para a nossa felicidade. 

 

 

Sim, um blog pode ser importante em determinadas fases da nossa vida, ou até mesmo sempre, por um motivo ou por outro. E não há qualquer mal nisso. Mas não podemos viver, unica e exclusivamente, encerrados dentro da blogosfera, e esperar que os restantes bloggers façam o mesmo.

Um blog poderá ter sempre um lugar reservado na nossa vida. Já a vida, é abrangente demais para a reduzirmos ao espaço de um blog.

 

 

 

 

Qual é a tempestade de hoje?

 

Depois de alguém ter aborrecido, e bem, a "menina Stephanie", fazendo-a descarregar toda a sua fúria em cima de nós, no passado fim de semana, e quando já pensávamos que tudo voltaria ao normal, após uma segunda-feira de aparentes tréguas, heis que volta o mau tempo.

Vento forte, chuva, queda de neve e agitação marítima marcam presença nesta terça-feira. Evoluímos de avisos vermelhos e laranjas para amarelos mas, mesmo assim, este tempo não convida ninguém a sair à rua.

Infelizmente, para muitos, não há outra opção. E para quem não anda de transportes, é melhor preparar as capas, as galochas, e uma reserva de guarda-chuvas porque, à semelhança de outros dias de temporal, serão muitos os que se irão partir, voar, despedaçar e parar ao caixote do lixo mais próximo.

Quem será que enfureceram desta vez? 

Há mar...e mar!

 

É incrível como o mar é capaz de mudar e se transformar tão rapidamente, de um extremo ao outro, quase como um ser humano passa de um estado de fúria, para outro de paz.

Por vezes, impõe respeito. Mete medo. Lá ao longe avistamos aquelas ondas que nos parecem enormes, a dirigirem-se para nós, cheias de força.

Quando tocam na areia, varrem tudo à sua passagem, desnorteadas.

Com a mesma força que nos empurram quando chegam, também nos puxam e arrastam com elas, quando partem.

Há alturas em que parecem mesmo não querer tréguas, surgindo umas atrás das outras, a ver quanto tempo aguentamos até sermos derrotados, à espera de uma oportunidade de nos enrolar com elas, de nos engolir…

Mas há momentos em que, pelo contrário, está calmo e sereno como se estivesse adormecido. As suas ondas embalam-nos. Mostram a bandeira da paz!

Vêm ao nosso encontro, tão pequenas e suaves, como se nos quisessem acariciar.

E que seria de mim sem esta bela e poderosa força da natureza…

  • Blogs Portugal

  • BP