Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Para lá da ribalta - o filme

 

 

 

 

 

 

 

Imagem relacionada

Noni Jean é filha de mãe solteira. O seu pai não quis saber de nenhuma delas, a família não deu o apoio que seria de esperar e, quando Noni nasceu, passaram a estar por sua conta.

Quem vemos no início do filme é uma mãe desesperada, que parece querer o melhor para a filha. Noni irá participar num concurso de talentos no dia seguinte, e Macy precisa de ajuda para "domar" o cabelo da filha, para que ela cause boa impressão.

 

 

 

 

Resultado de imagem para noni jean

Noni era apenas uma criança, que gostava de cantar, gostava de música, e tinha uma bonita voz. E ficou felicíssima com o 2º lugar alcançado no concurso, e com o seu primeiro prémio. Tudo poderia ter ficado por aqui. Mas não...

Macy queria mais para a sua filha. Macy não se contentou com o 2º lugar alcançado pela filha, e obrigou-a a deitar fora o prémio, e a lutar para ser uma vencedora.

 

 

Resultado de imagem para para lá da ribalta filme 2015

 

E é assim que, anos mais tarde, vemos uma Noni Jean completamente diferente, na entrega do seu primeiro prémio Billboard, pelo tema que partilhou com o mundialmente conhecido Kid Culprit (interpretado por Machine Gun Kelly).

Noni poderia ser uma Beyoncé, uma Rihanna, uma Miley Cyrus, ou tantas outras cantoras da actualidade, que aliam a beleza, muitas vezes "postiça", a uma boa voz, e a uma equipa por detrás, que diz o que deve e não deve fazer, o que deve e não deve vestir, o que deve e não deve cantar.

 

 

Resultado de imagem para para lá da ribalta filme 2015

É esta Noni Jean que existe na actualidade - a filha que a mãe "vendeu" e obrigou a "prostituir", pelo sucesso, pela fama, e pelo dinheiro.

Não sei se é o que se passa em muitos dos casos reais que conhecemos, e que levaram ao suicídio de grandes artistas, sem que encontrássemos uma explicação para tal. Mas foi o que levou Noni a tentar suicidar-se - uma tentativa de fuga à "prisão" que é a sua vida.

Nada em Noni é real - as roupas ousadas são uma questão de imagem, o namoro com Kid é marketing e aliança para sucesso, as músicas que canta não lhe dizem abolutamente nada, mas são aquelas que dão dinheiro e prémios. Tudo são aparências.

A própria tentativa de suicídio teve que ser camuflada, mascarada de deslize por ter bebido demais, por conta da comemoração pelo prémio recebido. E a polícia vê-se "obrigada" a corroborar a história, para não estragar a pintura. 

 

 

Imagem relacionada

A única pessoa que percebeu que Noni precisava de ajuda, foi o polícia que a salvou. Foi também o único a ver o que havia por baixo daquela imagem fabricada, da bonequinha sexy que todos os homens deveriam desejar.

Mas isso não chega. Noni terá que perceber por ela própria aquilo que quer, e decidir se quer libertar-se da mãe/agente e daquilo que espera dela, de uma vez por todas, fazendo a sua própria música, e tomando as rédeas da sua carreira, ou continuar naquele mundo em que é preciso vender o corpo para ser alguém.

 

 

Blackbird-5-she-wrote-the-song.jpg

Será que ainda resta alguma coisa da Noni Jean que era em criança?

Quem é a Noni, para além das extensões, unhas postiças, e roupas vulgares e diminutas?

Será que a sua voz ainda vale por si, e mais que tudo o resto?

Poderá ela ainda ser um exemplo para todas as adolescentes, sendo ela própria?

Ou acabará engolida pelo mundo que a mãe lhe mostrou desde cedo, até ao dia em que a tentativa se converta em suicídio consumado, e a mãe perceba , então, que há muito a sua filha precisava de ajuda, de uma mãe que a defendesse e ajudasse, e não uma agente que a atirasse aos lobos?

 

Um filme que pode até ser exagerado ou meramente fictício, mas que eu acredito que mostra uma situação bem real, e que explica muita coisa... 

 

Noé - o filme

Resultado de imagem para noé filme

 

Na altura em que estreou no cinema, fiquei muito tentada a ver.

Depois, quando deu na televisão a primeira vez, apanhei um bocadinho, e não me inspirou, até porque era enorme. Este domingo, acabei por vê-lo.

 

Desde pequena que fiquei a conhecer diversas histórias que vêm na Bíblia, e esta é logo uma das primeiras, que não deixa ninguém indiferente: a famosa Arca de Noé, onde foram preservados um casal de animais de cada uma das espécies, enquanto Deus inundava a Terra com um enorme dilúvio. Depois de parar de chover, enviaram um pássaro para determinar quando poderiam voltar a sair da arca. Se não estou em erro, o pássaro foi e voltou duas vezes, sem nada. À terceira, voltou com um ramo no bico. E por último, não voltou. Foi quando perceberam que poderiam sair da arca, e voltar a terra firme. Há ainda a parte do arco-íris que surge no céu, e que simboliza a aliança de Deus com o Homem.

 

Li várias vezes estas histórias, nas Bíblias para crianças que me ofereceram em pequena. Na altura, gostava de lê-las. Hoje, ao recordar-me delas, apercebo-me que, a serem verdadeiras, mostravam um povo que levava a sua fé e crença em Deus a extremos e, até, a um certo fanatismo.

 

Sempre me ensinaram que Deus é amor, e que é justo. Sempre duvidei da sua existência. Não consigo perceber onde é que esse Deus encaixa num mundo em que tantos inocentes sofrem as maiores atrocidades, enquanto os "maus" permanecem impunes. 

 

Neste filme, um dos descendentes de Caim, que representa o mal, afirma: "Deus criou o Homem à sua imagem. Ele não é diferente de nós. Nós somos o reflexo dele."

Não teria ele uma certa razão? Como poderia um Deus bondoso matar? Ou mandar matar? Sim porque, por exemplo, na história de Abraão, depois de supostamente lhe ter dado o seu filho Isaque mandou, em seguida, matá-lo como sacrifício para pôr à prova a sua fé em Deus. Que Deus é este que condena à morte quem tem o mal dentro se si, quando ele próprio incita a cometer actos como este?

 

Por outro lado, Noé dizia à sua mulher, tentando justificar a sua decisão de nem eles próprios entrarem na arca e se salvarem "Todos temos o mal dentro de nós. Não poderemos ser salvos."

Mais uma verdade! 

Por muito bons que sejamos, há sempre algo que nos pode corromper. Haverá sempre algo capaz de nos levar a cometer actos de maldade, nem que seja para defender-nos e aos nossos.

 

No caso concreto do filme, no que era Noé diferente daqueles que estavam agora a ser condenados pela justiça divina?

Noé não hesitou em deixar morrer uma jovem, que nada tinha a ver com estas guerras, para se salvar a si e ao filho. Noé não hesitou em declarar a sentença de morte para toda a família, incluindo as próprias netas, que quase matou com as suas próprias mãos, por achar que era o que Deus queria. Onde é que está aqui a bondade, o amor?

E o que conseguiu com isso? Conseguiu que todos se revoltassem contra si. Conseguiu que um dos seus filhos se passasse para o lado dos "vilões", contra o próprio pai, por não perceber que moral tinha o pai para condenar os outros, quando se estava a tornar igual.

 

Ainda a respeito do filme, estava à espera de melhor. É muito tempo de filme, para uma história tão pequena. Há partes que não batem certo com aquilo que se conta, e que levantam algumas incongruências e questões:

- Na história do filme, Noé e o pai parecem viver sozinhos. Quando o pai morre, sendo Noé ainda criança, como é que ele sobreviveu sozinho todos aqueles anos, até à idade adulta?

- No filme, o que a história dá a entender é que havia apenas a família de Noé, do lado do "Bem", e todos os restantes do lado do "Mal". Seria mesmo assim?

- No filme, não há um limite para a entrada dos animais. No entanto, se formos pesquisar, há diversas versões de imposição de quantidade de animais de cada espécie. A ser assim, porque teriam de morrer todos os outros?

- A própria construção da arca suscita dúvidas. Conseguiria uma arca como aquela, construída unicamente de madeira, como pareceu, manter-se intacta com todos aqueles animais dentro?

- Como era possível haver lume dentro da arca, sem a incendiar?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Obsessão online

Resultado de imagem para obsessão online

 

Sinopse:

"Estamos constantemente ligados através dos nossos telefones, laptops e da Web. Contudo, enquanto olhamos para os nossos ecrãs, quem olha para nós? Conheça Emma, uma bela estudante universitária do Midwest que acabou de chegar a Nova Iorque, entusiasmada por estar sozinha na grande cidade. Contudo, quando um perseguidor consegue entrar nos seus dispositivos, ele destrói as ilusões de Emma de privacidade e ela descobre quão frágil pode ser a nossa noção de segurança. Ashley Benson protagoniza este thriller psicológico inovador que explora um mundo em que as câmaras estão sempre ligadas e alguém está sempre a ver."

 

Vimos este filme no sábado à noite. O meu marido, que já estava com sono, ia adormecendo!

É um filme estranho, parado, não é daqueles com acção, que nos assusta a ponto de nos fazer saltar do sofá, mas não deixa de ser assustador.

Em determinados momentos, torna-se aborrecido mas, ao mesmo tempo, sinistro.

Embora com temáticas totalmente diferentes, lembrou-me um pouco o "Projecto Blair Witch", uma espécie de gravação amadora. Poderia ter sido, dentro do caminho escolhido, muito melhor explorado e com maior credibilidade. Parece muitas vezes uma tentativa falhada.

 

 

Mas, continuo a dizer, é assustador! 

Assustador quando vemos aquele vulto preto a deambular pela casa. Quando percebemos que alguém anda a vigiar. Que alguém consegue ter controlo sobre as nossas conversas, sobre o nosso telemóvel, sobre a nossa vida.

Assustador quando essa pessoa está a uns passos de nós enquanto dormimos, sabe tudo sobre nós, mesmo aquilo que não era suposto.

Assustador porque, no final, Emma, que já está em pânico e aterrorizada, vai mesmo ser atacada, enquanto conversa com a mãe no pc, e vamos permanecer na incógnita sobre o que lhe aconteceu, e quem esteve por detrás de toda aquela perseguição e obsessão.

Não daquela forma em que os sustos são momentâneos, mas passam. É mais aquele receio que se infiltra no nosso subconsciente.

 

As cenas que me fizeram mais confusão foi a que Emma chega a casa e se depara com o seu gato morto. E a cena em que, durante segundos, se vê uma sombra preta passar pela porta interior.

No meio de todo este mistério, há uma frase bem real, e que acho que ainda não percebemos bem as consequências que daí poderão resultar:

 

"Na internet, consegue-se encontrar tudo..."

Fomos ver a Bela e o Monstro

Resultado de imagem para a bela e o monstro filme

 

Há algum tempo que a minha filha me andava a pedir para irmos ao cinema ver o filme A Bela e o Monstro.

Aproveitámos as férias da Páscoa, em que os fins-de-semana não são passados a estudar, e fomos ontem as duas.

Como já estreou há algum tempo, havia apenas 4 pessoas na sala, por isso, conseguimos os lugares que mais gostamos, e silêncio era algo que certamente haveria.

 

O que a minha filha achou do filme?

Adorou! 

 

O que eu achei do filme?

Como se costuma dizer em muitas ocasiões "menos é mais", e neste filme, menos cantoria significaria poupança de tempo, e mais interesse no mesmo. Ao fim da segunda música, eu já bufava, e cada vez que alguém começava a cantar, eu só perguntava quando é que a música acabaria, para poder voltar a concentrar-me no filme. Será que este filme é um musical, e eu não sabia?

Quanto à história propriamente dita, também fiquei desapontada, porque não é a história que eu conheço e sempre ouvi contar.

Na "minha" história, a Bela não era filha única, tinha duas irmãs ambiciosas. Não era a Bela que ia ter com o pai ao castelo do monstro, era o pai que voltava a casa e contava que, para se salvar, umas das filhas tinha que ir morar para o castelo, tendo a Bela se oferecido para ir no lugar do pai.

Na "minha" história, o montro deixava-a visitar a família, por curtos períodos, entregando-lhe um anel que, ao rodar, a transportava para casa, e de volta ao castelo. Nesta, ela viaja através de um livro, mas para o passado, para a casa onde os pais moravam quando era pequena, e onde a mãe morreu.

Na "minha" história, não havia mobiliário, castiçais, loiça ou relógios falantes, havia uma governanta, com quem Bela conversava muito, e a quem ajudava na estufa de rosas.

Na "minha" história, não havia Gastón. Não havia qualquer pretendente para Bela.

Na "minha" história, eram as irmãs que, com inveja, fizeram tudo para que Bela fosse ficando em casa, e adiasse o regresso ao castelo, para que o monstro morresse e Bela não pudesse fazer nada.

 

Esta adaptação, não é a história da minha infância. É uma das muitas adaptações que foram surgindo. Mas não foi tanto isso que desiludiu, foi mesmo as cantorias excessivas e desnecessárias.

 

Tendo em conta outros filmes da Disney, adaptados para personagens de carne e osso, esperava muito mais deste filme. Não me convenceu, embora tenha gostado de algumas partes, nomeadamente, algumas cenas cómicas com o monstro que, devo dizer, em certas alturas estava mesmo fofinho!

 

 

 

 

 

Mestres da Ilusão

Vi ontem o filme, e adorei!

Já tínhamos visto, em tempos, o trailer. Nessa altura estava para alugar. 

Há dias, passou na RTP, e gravei.

 

 

Resultado de imagem para mestres da ilusão

Finalmente, um filme diferente!

Um filme que nos chama a atenção, que nos prende, que nos faz ficar de boca aberta com aqueles truques de ilusionismo, que não passam disso mesmo, truques e ilusão. Como sabemos, tudo tem uma explicação lógica. E alguns dos segredos vão mesmo sendo explicados ao longo do filme.

Tudo começa com 4 ilusionistas que recebem uma carta, e se apresentam mais tarde num mesmo local. O objectivo é que trabalhem juntos, formando os 4 Cavaleiros.

Um ano depois, em pleno espectáculo, apresentam um número nunca antes visto: um roubo de um banco em Paris, sem sair do palco!

O FBI ainda tenta mantê-los detidos mas, sem provas, tem que os soltar.

E eles preparam um novo truque. Desta vez, roubando o seu próprio patrocinador, colocando o seu dinheiro nas mãos de várias pessoas do público. Mas tudo isto foi uma "manobra de distracção" para algo maior que está por vir.

 

 

Resultado de imagem para mestres da ilusão

Este homem está habituado a desmascarar todos os truques de ilusionismo, e arruinar algumas carreiras. Vai tentar fazer o mesmo aos 4 cavaleiros. No entanto, sofre um percalço pelo caminho. E ele até sabe como aconteceu. Só não sabe a razão por que aconteceu...

 

 

Resultado de imagem para mestres da ilusão alma

O que mais me cativou neste filme foi o facto de os 4 cavaleiros estarem sempre vários passos à frente dos agentes do FBI, e lhes dar um grande baile. Sobretudo, ao agente Dylan Hobbs. Alma, a agente destacada para o ajudar no caso, é mais de observar e estudar, tentar perceber como tudo funciona. Dylan só quer vê-los presos, mas está continuamente a ser ridicularizado, pelas situações em que os ilusionistas o colocam, enganando-o a cada instante.

 

 

Como é que o filme termina? 

Com a revelação mais inesperada que poderíamos ouvir, e que tornou o filme ainda melhor e mais espectacular!

Quem por aí já viu?

 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP