Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sobre a Robot Sophia

Apesar da aparência humana e do belo rosto que criaram para a robot Sophia, tenho a dizer que já vi robots com um ar bem mais amistoso e simpático que esta.

Pode ser impressão minha, até porque é apenas um robot, mas a única imagem que ela me consegue passar, relativamente a expressões humanas, é cinismo. Um cinismo escondido por detrás daquele sorriso fingido que a programaram para fazer.

Olho para ela e parece-me, de certa forma, sinistra. Uma ameaça disfarçada de bondade, subtileza e delicadeza. 

 

E por aí, o que acharam da Sophia? 

 

Resultado de imagem para robot Sophia

Imagem relacionada

Resultado de imagem para robot Sophia entrevista

Imagem relacionada

Nunca percam a vossa capacidade de sorrir

 

Dias cansativos, trabalho que nunca mais acaba, stress, correria, casa para arrumar, filhos para cuidar, falta de tempo para aquilo que mais gostaríamos, são vários os motivos que nos fazem viver o dia a dia de forma mais séria, sem alegria ou grande disposição para sorrisos.

Mais ainda, se juntarmos a isso problemas, ou situações mais negativas que, por vezes, acontecem e nos apanham de surpresa.

Mas o que será de nós se, para além de tudo isso, perdermos também a nossa capacidade de sorrir? Podemos até não ter motivos para isso, mas é uma forma de tornarmos menos pesado o fardo que carregamos, de aligeirar uma situação complicada, de criar um momento descontraído numa vida onde tudo está programado ao pormenor.

Rir faz bem! Pode não nos resolver mais nada, mas pelo menos é benéfico para a saúde. E podemos rir do que quisermos.

Não tenham medo de parecer ridiculos. Aqui em casa, a palhaça de serviço sou eu! Não imaginam a quantidade de vídeos que a minha filha tem gravado, comigo a fazer figuras parvas e malucas como Martita (uma personagem que inventámos). O meu marido também colabora de vez em quando. E o que nos rimos depois quando vamos ver as figuras que fizemos!

Mesmo ao longo do dia vou dizendo umas parvoíces e fazendo umas figuras tolas. Se não fosse assim, a nossa vida seria séria demais.

Já basta toda a miséria e tristeza que nos rodeia. E, se temos que envelhecer e ficar com rugas, que seja das nossas risadas, e não de lágrimas derramadas por tristeza, que também não irão mudar o rumo das coisas.

Se conseguirmos sair de casa com um sorriso, nem que seja guardado no bolso ou na mala, para utilizarmos durante o dia, estamos no bom caminho!

Nunca percam a vossa capacidade de sorrir!

Saudades

 

Na hora da despedida, é bom vermos também a parte boa! Para que uma lágrima se transforme em sorriso, e o aperto no coração dê lugar a pensamentos reconfortantes...Para que a tristeza e o desespero da partida temporária, possam ceder a passagem à força e à alegria do próximo reencontro!

É nestes momentos que confirmamos a importância que a pessoa amada tem para nós! Não porque não lhe damos o devido valor quando está por perto, mas porque a valorizamos ainda mais quando está longe! 

Porque...

...a parte boa de ires embora, é saber que voltas!

...a parte boa de estarmos alguns dias sem nos vermos, é ficarmos com saudades e podermos matá-las quando estamos juntos!

...a parte boa de estar sozinha é poder, nessa altura, parar, estar em sossego, e perceber como é bom ter-te na minha vida, como é bom estar contigo, e como te amo!

Abraço apertado

Que pode uma mãe fazer quando a sua filha de 7 aninhos acorda a chorar, depois de ter tido um pesadelo em via que ia morrer?

Dar-lhe um abraço bem apertado, que a conforte e a faça sentir segura, umas festinhas na cabeça e uns miminhos para acalmar, mostrar-lhe que não passou de um sonho mau e, por último, nada como umas palhaçadas da mãe para lhe voltar a ver o sorriso estampado na cara!

  • Blogs Portugal

  • BP