Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Achei uma nota de 5 euros

Resultado de imagem para nota de 5 euros

 

Eu, a carochinha de serviço, habituada a encontrar na rua moedas de 1 e 2 cêntimos, esporadicamente uma moedita de 10 ou 20 cêntimos, e uma única vez uma moeda de 50 cêntimos, mais habituada a perder notas sem saber bem como, do que a encontrá-las, achei uma nota de 5 euros!

 

Li no outro dia, que encontrar moedas na rua pode ser um sinal, uma forma de aqueles que já partiram comunicarem com quem cá está.

Curiosamente, encontrei a nota no dia 25, um ano após a morte da Tica. Coincidência?

Suponho que sim. Até porque era um nota, e não uma moeda!

Mas o que quer que signifique, a verdade é que deu jeito. 

Um ano sem a nossa Tica

Tica

 

 

Primeiro dia sem a Tica

Segundo dia sem a Tica

Terceiro dia sem a Tica

Um mês sem a Tica

Cinco meses sem a Tica

 

E faz hoje um ano que a Tica partiu...

Como disse, há uns dias atrás, à Mula, este dia nunca fará parte do passado. É um dia que nunca esquecemos. Uma dor e saudade que nunca passa. E há dias em que volta a doer tanto como naquele em que tudo aconteceu.

 

O susto de não a ver em casa...

Os nervos de ir procurá-la antes que fosse tarde...

A aflição de vê-la caída no chão, inerte...

O pânico de não saber o que fazer, e o veterinário nunca mais atender...

O choque ao perceber que não havia nada a fazer, e que ela não estava mais no mundo dos vivos...

 

Depois, veio a minha própria inércia e falta de reacção. Como me arrependo de ter deixado o veterinário levá-la naquela noite...

 

"Já não há nada que possam fazer por ela. Está morta. É apenas um cadáver. Vai começar a cheirar mal. Se não têm onde enterrá-la, será melhor levá-la já, para cremar."

 

E nós, parvos, deixámos que a levassem...E nunca nos despedimos dela como queríamos. Mas estávamos ainda tão incrédulos, que nem conseguimos raciocinar.

Hoje, temos duas meninas  - a Becas e a Amora - por quem já estamos rendidos. E muitas vezes, têm gestos e acções tão parecidas com a Tica que me vejo a dizer "estás armada em Tica!?". No outro dia, ao olhar para uma fotografia da Amora, sem me aperceber no início de quem era, dei por mim a pensar que era a Tica, e só então percebi que, por vezes, até fisicamente há semelhanças.

 

 

Tica 227.jpg

 

Há dias em que o tempo passa a correr que nem me dá tempo para pensar.

Outros, em que tenho que me focar naquilo que é necessário naquele momento.

E outros em que me lembro das coisas boas que vivi contigo.

Mas há dias em voltam à memória todas as imagens daquele dia fatídico, volta toda a saudade dos momentos passados contigo, toda a frustração de teres partido sem aviso, quando ainda tinhas tanto para viver...

Volta toda a culpa por aquilo que devia ter feito por ti, e não fiz, crente de que eras a gata mais feliz e saudável do mundo, que nada te afectaria, e só morrerias velhinha. 

Volta toda a revolta, por te terem arrancado de mim, por não te terem permitido viver uma vida ainda mais feliz ao nosso lado, por muitos anos.

Tínhamos uma relação especial, tu e eu...E, embora ame as tuas afilhadas, não é a mesma coisa.

 

Tica 18

Tu eras a minha castanhinha linda! E sabes que no outro dia encontrei o teu ratinho velhinho? Lembrei-me logo de ti. Um sinal, quando se aproximava esta data que não deveria ter existido há um ano.

 

 

Resultado de imagem para o blog da Tica

Esta imagem é a que tenho sempre no computador, como fundo. Nunca mudei.

 

 

Tica 321.jpg 

As tuas fotografias continuam espalhadas pela casa, para te termos mais perto de nós.

 

 

Resultado de imagem para o blog da Tica

E tu, continuas a ter o teu lugar, único e especial, dentro do meu coração...

Espero que, onde quer que estejas, também não te esqueças de mim, de nós... 

 

 

 

 

 

Cinco meses sem a Tica

 

Faz hoje 5 meses que partiste...

Parece que foi ontem. E, por outro lado, parece que já foi há tanto tempo.

Estamos em Julho, o mês do teu aniversário! Já terias completado os 4 aninhos!

 

Partiste, mas todos os dias vemos um bocadinho de ti em cada uma das tuas amigas que agora temos em casa:

 

- a Becas vai beber água na tacinha do lava-loiça, tal como tu fazias. E também já aprendeu a tentar esgueirar-se pela janela da entrada, mas é ainda mais atrevida, porque ela própria empurra a janela para conseguir passar!

- a Amora é muito parecida contigo fisicamente, embora tu fosses a nossa castanhinha, e ela tenha mais tons de cinza. Mas quando se olha para o seu focinho, é fácil lembrar-me também de ti!

Em vários gestos do dia-a-dia, conseguimos vislumbrar um pouco de ti mas, ao mesmo tempo, elas conseguem ser muito diferentes.

Estamos rendidos a elas, sim.

Mas tu continuarás a ser a nossa eterna princesa, a nossa referência, e sabemos que as estás a abençoar e tomar conta delas onde quer que estejas!

O teu dono tirou este fim-de-semana os teus vasos das ervas, do sítio onde eu os tinha posto. Diz que já está na hora de te deixar seguir, em paz. Pode até ser. Mas estranhei não vê-los lá. Há-de passar.

O que importa é que te temos sempre no nosso coração,e nunca de lá sairás! 

Primeira semana sem a Tica

 

Tiquinha, faz hoje uma semana que nos deixaste.

Ainda me custa aceitar que não vais mais brindar-nos com as tuas turrinhas, beijinhos, companhia e brincadeiras. 

Mas já me vou sentindo um pouco melhor. A fonte já vai deitando menos água, e menos vezes por dia. 

Por vezes, sabe-me bem estar aqui em casa, na casa que partilhámos enquanto cá estiveste, e sinto-me bem. Como se soubesse que também estás ali comigo, como se sentisse a tua presença. Mas claro que ainda dói, quando penso que não te posso ver, nem tocar.

Ontem, enchi-me de coragem e fui estender roupa no quintal. Lembrei-me de quando ias ao meu colo lá fora, e eu tinha que estender e apanhar a roupa só com uma mão, porque a outra era para te agarrar!

Apareceu a Boneca. Dei-lhe o resto da comida que tinha ficado intacta na tua taça. Ela ainda petiscou, mas depois assustou-se e foi embora.

Temos falado muito de ti, e das tuas manias, dos saltos que davas para a parede, como se estivesses a fazer parkour, da forma como te escondias e esperavas que eu passasse para te atirares às minhas pernas, de quando me desafiavas para brincar à apanhada!

E parecemos uns maluquinhos, a falar para as fotografias como se estivesses mesmo ali, em vez de um pedaço de papel. 

Continuo a vir cá a casa de manhã, depois de deixar a Inês na escola, e ao almoço. Há hábitos que demoram o seu tempo a perder-se.

Mas sinto falta de me despertares, como costumavas fazer, sempre que eu ficava uns minutos na ronha, em vez de me levantar quando o outro despertador tocava!

Este fim de semana, vamos visitar uma associação de amiguinhos felinos. Vamos ver como nos sentimos na presença de outros felinos. Mas cada vez sinto menos falta de ter aqui uma gatinha por perto. Quem eu queria eras tu. Como não podes estar, ficam as tuas recordações.

A não ser que me pregues uma partida e me faças, involuntariamente, deixar cativar por alguma bichana. 

 

 

 

 

 

Terceiro dia sem a Tica

 

Pedi-te um sinal, e esta noite sonhei contigo! Estavas bem, a brincar. Peguei-te ao colo e pude abraçar-te e despedir-me de ti. Contigo, trazias dois gatinhos pequeninos. E acordei... Queria mais, queria continuar a sonhar contigo. Quero continuar a sonhar contigo. E quero que consigas comunicar comigo todos os dias, de alguma forma. Sinto-me mais confortada se o fizeres, embora logo em seguida volte o aperto no peito, e o nó na garganta.

Hoje fui comer Nestum e, inevitavelmente, senti a tua falta ali na bancada à espera que te colocasse um pouco no prato, para comeres comigo.

Fui arrumar o roupão da Inês, e pensei que foi aquele o último roupão que te tapou, antes de te levarem da nossa casa. Sabias que a Inês até pôs uma foto tua no seu telemóvel?!

E nós também queremos espalhar fotos tuas em cada divisão desta casa. Talvez se torne menos doloroso passar aqui os dias, e percorrer cada divisão sem a tua presença. Assim, temos-te mais perto e podemos falar contigo. Chamem-nos loucos...

Recolhi todos os teus brinquedos do chão, guardei o teu peluche favorito e o teu copinho das ervas, e tirei a tua cama da cadeira da entrada. A almofada ainda tem as tuas pegadas!

Também já temos um título para o teu livro "Tica - a nossa eterna princesa"!

Estivemos a ver algumas imagens tuas, e também de outros gatinhos. Vimos uma gatinha preta e branca, a quem deram o nome provisório de Tomatada (não me perguntes porquê), tem 6 meses, e vai ser esterilizada na próxima semana. Nós achamos que ela tem cara de Becas. É muito patusca e bonita, mas não quero estar já a trazê-la para cá.

O teu sonho pode até ter sido um sinal de que queres aqui um outro animal para nos alegrar e sofrermos menos com a tua ausência. Mas quem eu queria mesmo aqui eras tu...

Hoje, arrumámos também a tua tacinha da água. A da comida, ainda se mantém. Tem que ser aos poucos...

E descobri um pelo teu nos lençóis, enquanto fazia a cama :) Juntámos aos teus outros vestígios que foste deixando pela casa.

E assim termina mais uma dia sem ti...

  • Blogs Portugal

  • BP