Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Acordo ou (Des)acordo Ortográfico

Em tempo de regresso às aulas, e já com as escolas a adoptarem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa neste ano lectivo, penso várias vezes se não deverei eu também voltar a aprender a escrever!

Pelo menos se quiser acompanhar a minha filha nos estudos e ajudá-la nos trabalhos de casa! È que senão, corro o risco de estar a dar-lhe informações erradas e isso não convém mesmo nada!

Para quem não sabe, o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi assinado em Lisboa a 16/12/1990 por 8 países, incluindo Portugal – Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal.

A ideia era criar uma ortografia unificada de língua portuguesa, defendendo e ao mesmo tempo prestigiando a nossa língua. Pretendia-se, uma vez que até então a língua portuguesa tinha duas normas – a do Brasil e a dos restantes países de língua portuguesa, reduzir ao máximo as diferenças adoptando uma única norma.

O que eu me pergunto, e talvez grande parte das pessoas o façam também, é o porquê de se ter optado pela norma brasileira.

Sendo o português uma língua pertencente a Portugal, e que foi adoptada por outros países, não deveriam ser esses a adaptarem-se à nossa própria norma e não o contrário?

Ainda mais questionável se torna, na medida em que este novo Acordo Ortográfico apenas reduz, mas não resolve todas as divergências, uma vez que prevalecem ainda práticas ortográficas resultantes da tradição de cada país.

Mas enfim, como em Portugal é tudo cada vês menos português, lá nos teremos que aguentar!