Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

As crianças e a importância de um espaço só delas

 

 

Até que ponto uma criança precisa de um espaço que possa chamar de seu?

Não faço a mínima ideia, não sou especialista no assunto, nem tenho conhecimento válido para afirmar, com certeza, que é de facto fundamental.

Os tempos são de crise, e cada vez mais se vêem casais a mudarem para casa dos pais, a ter que partilhar quartos e camas, e todos os outros espaços de uma casa que não é sua.

A minha filha, na nossa casa, tem o seu próprio quarto. E não é que ela passe lá muito tempo que não seja para dormir, mas é dela. Tem as suas coisas, os seus brinquedos (embora estes estejam espalhados um pouco por toda a casa), a sua cama - é o seu cantinho.

E era algo assim que eu gostava que ela tivesse à sua espera, nos dias em que vai com o pai. Já chegou a acontecer, ela ir dormir a casa da madrasta, onde pelo menos tem um quarto só para ela. Mas falta também estabilidade.

É sempre uma incógnita, a cada fim de semana, saber onde, como e com quem vai dormir. Ora vai para casa da madrasta (que eu prefiro e fico mais descansada), ora vai para casa dos avós. Ora dorme sozinha, ora dorme com os primos ou com a tia, ou com todos na mesma cama. E, sinceramente, não acho que isso seja muito saudável para ela.

Talvez por isso, porque nunca sabe para que lado vai, também não tem nada de seu em nenhum lado que não seja a nossa casa. O que ela quer, leva de casa para aqueles dias, e traz de volta. Porque não tem um espaço seu do outro lado, onde também possa ter as suas coisas. 

O quarto da criança é o espaço que normalmente, contém o que lhe é íntimo, desde a cama, onde dorme e sonha, até aos brinquedos, livros de histórias e outros. É como que um refúgio, um espaço privilegiado para a criança enfrentar os seus medos, frustrações e angústias. 

E ela tem isso cá. Mas gostava mesmo que também tivesse do outro lado...

 

 

    

 

  • Blogs Portugal

  • BP