Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Reclamar, por vezes, compensa

transferir.jpg

Ou, pelo menos, assim espero, tendo em conta os últimos desenvolvimentos.

No mesmo dia em que reclamei, novamente, para a MEO, por telefone, enviei também, por email, uma reclamação para a Provedoria do Cliente PT.

Ontem à noite, recebi uma chamada de um número que não conhecia. Atendi. Era da Provedoria do Cliente, para me informar que tinham analisado a minha reclamação e que, de facto, a informação consta do site. Mas como não está muito explícita irei, a "título excepcional", receber nos próximos dias um voucher de 10 euros para gastar no videoclube.

Reafirmaram que a informação do site é a correcta, e que a validade do meu cartão era 31/12/2014, ou seja, não me souberam explicar as contradições entre a informação do site e a mensagem recebida, embora eu tenha chegado às minhas próprias conclusões.

Mas também confesso que não estive para insistir mais, afinal, vou poder utilizar o meu crédito no videoclube (espero eu) como era a minha intenção. E podem crer que desta vez vou gastá-lo em pouco tempo, não vá o "diabo tecê-las"!

E assim termina, com um final feliz, esta telenovela! 

 

Coisas que só me acontecem a mim

 

Todos os dias a rotina matinal é a mesma.

Hoje não foi excepção: tirei o pacote do leite do frigorífico, enchi o copo, e tornei a colocá-lo no frigorífico. Só que hoje, ao contrário dos outros dias, tive uma supresa: no tempo em que virei costas para arrumar o pacote, e me voltei para o copo, deparo-me com a Tica, muito descontraidamente, a beber o leite do copo!

Ela, que há meses não toca em leite, nem mesmo quando eu ponho um bocadinho numa tigela para ela, lembrou-se hoje de me pregar esta partida!

Resultado: tive que deitar o leite numa tigela (não bebeu mais nenhum e acabei por deitar fora), lavar o copo, e voltar a enchê-lo, e deixá-lo fora do alcance da menina.

 

De há uns tempos para cá, cada vez que vou ao banco fora do horário de atendimento, nunca consigo abrir a porta com o meu cartão multibanco. Dá erro de leitura.

Ou tenho a sorte de estar alguém a entrar ou a sair nesse momento, ou a sorte de alguém estar lá dentro e abrir a porta, ou nada feito.

Das últimas vezes teve que o meu marido abrir a porta com o cartão dele, de outro banco!

Como estava com tempo, dirigi-me ontem ao balcão para ver o que se podia fazer. A funcionária foi comigo à porta, e experimentou o cartão. Funcionou! Uma, duas, três vezes. Eu própria experimentei e abriu a porta.

Posto isto, que poderia eu fazer? Agradeci, e vim embora. Ao final do dia, fui experimentar a ver se funcionava. Nada! Erro de leitura, e eu na rua!

Mas por que raio é que o cartão funciona quando não deve, e quando deve não funciona?!

Cinema no fim de semana

 

A Vida de Pi - gravado desde o verão, tinha estado até agora em standby. Minto. Uma vez comecei a ver com a minha filha, mas não passámos mesmo dos primeiros 2 minutos iniciais. Não nos inspirou, e vimos outro.

Este fim de semana, decidi-me a vê-lo, quanto mais não fosse para apagar e desocupar espaço. Não foi mau. Mas, por tudo o que tinha ouvido dizer sobre o filme, esperava bem melhor. Tem algumas cenas engraçadas, outras comoventes e ainda uma ou duas situações violentas. No entanto, para mim foi um filme "sem sal", que acaba por se tornar muito cansativo.

O tigre é lindo, mas a relação entre Pi e o tigre não me convenceu. Quanto ao naufrágio e aos dias em que estiveram em alto mar, também foram cenas que não me inspiraram. Convenceu-me mais a relação humano/animal do filme Comprámos um zoo, e o naufrágio de O Náufrago.

E depois, temos ainda a dualidade de interpretações do filme: qual a história verdadeira, qual a história fictícia?

Eu quero acreditar que Pi e Richard Parker estiveram realmente juntos, e que tudo se passou como se vê no filme porque, senão, a pouca magia que ainda tem, perde-se por completo. E, tendo em conta que esta é a história verdadeira, fez-me confusão o tigre ter ido embora sem olhar para trás. Talvez seja mesmo assim a sua natureza, talvez o pai de Pi tivesse razão. Por vezes dou por mim a pensar, de cada vez que a minha gata quer ir à rua, sai porta fora assim que tem oportunidade, ou foge, como já aconteceu, se ela realmente pensa em nós, em como gostamos dela e ficamos preocupados com a sua ausência, ou se ela simplesmente sai porque é essa a sua natureza, e só volta porque sabe que tem ali comida e um abrigo. E se encontrasse isso em outro lado? Será que voltava para nós? Não quero nem pensar...

 

 

12 Anos Escravo - mais um filme bastante aclamado, e que tinha curiosidade em ver, até por se basear em factos verídicos. E mais um filme bom, mas nada por aí além. Com cenas bastante violentas, a retratarem a realidade sobre a forma como os escravos eram encarados e tratados, ainda assim poderia ter sido muito melhor.

 

 

 

transferir.jpg

Conhece Joe Black - este estava há meses gravado, tal como A Vida de Pi. À espera de um dia em que estivesse para aí virada, ainda mais depois de perceber que o filme durava 3 horas. Mais um que comecei a ver este fim de semana, para desocupar espaço. Fiquei a meio. Não porque tenha perdido a vontade de ver o resto, mas porque tive outras coisas para fazer e a minha filha ocupou-se da televisão.

Mas, até agora, foi o que mais me entusiasmou e estou ansiosa para ver o resto do filme. Uma hora e meia passou e nem dei por isso. Estou a gostar da história, dos actores, da música, e das cenas comoventes entre Susan e Joe, e entre pai e filhas.

Palpita-me, pelo que já li, que não vou gostar do final (não no sentido de ser mau, mas para uma romântica eles deviam ficar juntos), mas provavelmente devo soltar algumas lágrimas. A ver vamos...

 

  • Blogs Portugal

  • BP

  • Pág. 5/5