Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Verdades e Mentiras - as respostas!

 

Ninguém conseguiu adivinhar as afirmações falsas deste desafio, por isso aqui fica toda a verdade sobre mim, para os quatro participantes O Mundo da InêsMiss AnaPaulo e Rúben Matos:

 

1 - Sou alentejana FALSA - apesar de ser filha de pai alentejano, eu sou mesmo saloia!

 

2 - O meu primeiro animal de estimação foi um grilo - VERDADE - podem não acreditar, tendo em conta o meu pavor a bichos, mas quando era pequenita, ao que parece, não era assim. Lembro-me que foi o meu pai que o apanhou, colocou numa caixa de fósforos e eu estava toda contente! Só que, de tão entusiasmada, abri a caixa para espreitá-lo e ele fugiu! Durante vários dias ouvi-o a cantar no quintal em frente.

 

3 - Já agredi um homem - VERDADE - e, foi por causa de um gato! Culpa das hormonas que por altura da minha gravidez andavam todas alteradas, e do meu já conhecido amor aos gatos, ao ver o meu ex-marido a fazer mal a um gatinho, dei-lhe uma estalada!

 

4 - Já fui atacada por um cão - VERDADE - quando era pequena, a minha vizinha tinha um cão preto -o Tigre, do qual eu tinha muito medo. Um dia saí de uma festa onde estavam os meus pais e fui para casa (a poucos metros) mas, como não tinha chave, quis entrar pelo portão que dava ao quintal da vizinha, e por aí ao meu. Quando vi o cão, assustei-me, fiquei com medo e comecei a correr só que tive azar - tropecei e caí. Foi nesse momento que o cão me atacou. Lembro-me que vieram logo ajudar-me mas o meu pai ainda me desinfectou as feridas, e ainda hoje tenho a marca (quase imperceptível) nas costas.

 

5 - Já assisti a um espectáculo de sevilhanas em Sevilha - VERDADE - numa daquelas viagens de turismo de empresas de publicidade. Viagem de dois dias a Sevilha, com viagem de barco (para variar), e um espectáculo de sevilhanas no Palácio Andaluz.

6 - Já cheguei a pesar 43 kg - VERDADE - quando andava com a mania das dietas e que estava muito gorda, quando já quase era pele e osso. Felizmente, passou-me.

 

7 - Já fiz de cigana numa peça de teatro - VERDADE - eu, que tenho pavor de público, por ter escolhido a disciplina de Oficinas de Expressão Dramática, fui obrigada a representar a personagem de uma cigana, num auditório, para toda a gente ver! 

 

8 - Já trabalhei na Câmara Municipal de Mafra - VERDADE - antes de trabalhar onde estou hoje, candidatei-me aos tempos livres, e cheguei a estar na parte do Contencioso, Contabilidade, Recursos Humanos e, a que mais gostei, na Biblioteca! Quando ia iniciar os três meses no Museu, arranjei emprego.

 

9 - Já escrevi para um revista - VERDADE - escrevi para duas edições da M Revista, uma revista de distribuição gratuita, aqui do concelho. Depois, por incompatibidades, fui dispensada.

 

10 - Já tive mais de 6 namorados - FALSA - só tive metade, e já me chegou!  5 anos com o primeiro, 8 com o segundo e, até agora, 5 anos com o meu marido.

 

11 - Tenho 3 sobrinhos - FALSA - só tenho dois!

 

12 - Não sou baptizada - FALSA - embora até há uns anos atrás fosse verdade. Fui baptizada aos 24 anos, para poder ser madrinha da minha sobrinha.

 

13 - Se não fosse Marta, chamar-me-ia Sara - VERDADE - era a segunda opção da minha mãe.

 

14 - Já fiz um aborto por vontade própria - VERDADE - ver mais aqui

 

15 - Tenho a mania da organização - VERDADE - não gosto de ver nada desarrumado nem fora do sítio, e tenho muitas manias quanto à organização!

 

16 - Tenho uma tia que é freira - VERDADE - é enfermeira de profissão, e freira de vocação. Normalmente, está em Roma, mas vem muitas vezes a Portugal em missões.

 

17 - Só costumo ir à igreja em casamentos e/ ou funerais - VERDADE - ir à igreja não me diz nada, nem tão pouco o discurso da maioria dos padres. Por isso, só vou quando sou convidada para algum casamento, ou para funerais. 

 

18 - Já mergulhei de uma prancha de 5 metros - FALSA - totalmente! Nem da beira da piscina sou capaz de mergulhar, quanto mais de uma prancha!

 

19 - Já fui vítima de violência doméstica - VERDADE - infelizmente, mas há muito ultrapassada - ver mais aqui.

 

20 - Tirei um vinte num teste de contabilidade - VERDADE - e a minha formadora do curso levou nas orelhas porque dar um 20 a um formando era o mesmo que dizer que sabia tanto quanto ela!

 

Atenção às facturas das despesas de saúde!

 

Até agora, para efeitos de dedução no IRS, os contribuintes podiam declarar as despesas de saúde isentas de IVA, ou com IVA à taxa de 6%, e as despesas de saúde com IVA à taxa de 23%, desde que justificadas por receita médica.

Aquando do preenchimento da declaração, bastava fazer contas e colocar, nos respectivos espaços, os valores gastos em cada uma das situações.

As facturas podiam, assim, conter despesas com IVA a taxas diferentes, cabendo a nós fazer essa distinção na declaração.

Agora, com as alterações introduzidas com a reforma do IRS, e sempre que as suas compras incluam despesas sujeitas a diferentes taxas de IVA, os contribuintes passam a ser obrigados a pedir facturas separadas, sob pena de as mesmas não serem deduzidas no IRS.

Porquê? Porque as despesas de saúde com IVA à taxa de 23%, ainda que prescritas pelo médico, deixam de ser dedutíveis. E, se colocarem, numa mesma factura, despesas à taxa de 6% e à taxa de 23%, a aplicação não consegue diferenciar, separar, nem considerar no âmbito da dedução. 

Como o sistema informático não é capaz de fazer essa distinção, essas despesas acabam por entrar nas deduções relativas às despesas gerais das famílias. A questão é que esta dedução tem um limite baixo e facilmente atingível, enquanto que na saúde o limite é mais elevado, ou seja, estão a ocupar uma "categoria" de deduções com despesas que não lhe pertencem, deixando assim de haver espaço para outras, enquanto que na "categoria" onde as mesmas deveriam ser colocadas, sobra espaço. E isso pode prejudicar os contribuintes.

No entanto, é de lamentar que só agora tenha vindo a público esta orientação, e não no início do ano estando, por isso mesmo, a geral alguma polémica. É que, a esta altura, já muitos contribuintes pediram facturas, referentes a despesas de saúde, sem recorrer a esta separação.

Por isso, a partir de agora, tenham muita atenção ao pedirem as vossa facturas!

 

Actualização: ao que parece, o governo quer voltar atrás na decisão, e continuar a considerar as despesas com IVA a 23%. De qualquer forma, pelo sim, pelo não, mais vale pedir na mesma em separado. 

 

 

 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP