Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Já não sou capaz de comer batatas fritas!

 

Pelo menos sem me sentir mal disposta a seguir.

É o que dá estar meses e meses sem comer batatas fritas!

Em casa, opto por batatas cozidas, massa ou arroz, puré de batata ou salada. Se vamos ao McDonald's, como apenas o hamburguer, e deixo as batatas para a minha filha ou para o meu marido. E, sempre que vamos almoçar a um restaurante, prefiro salada a acompanhar a carne, ou então como algum prato que não tem sequer batatas fritas.

Nem no verão, naqueles dias em que levamos comida para a praia ou para a piscina, para o dia inteiro, me apetece comer batatas fritas de pacote! Logo eu, que sempre adorei as Ruffles de presunto!

No outro dia, porque já estavam lá há algum tempo em casa e era mais prático, dividi com a minha filha o resto de um pacote de Pringles. Comi meia dúzia e bastou.

Hoje, a minha mãe fritou batatas para o almoço. Pensei: "também mereço comer um belo bife com batatas fritas de vez em quando". Pois. Mas a verdade é que as comi, e fiquei mesmo mal disposta!

E, tão depressa, não volto a repetir a façanha! É que além de fazer mal, e de me sentir indisposta depois de as comer, ainda tenho que aguentar o resto do dia com o cheiro a óleo e fritos que ficou impregnado no cabelo e na roupa.

Por isso, batatas fritas, nos próximos tempos, só se for bem longe do meu prato!

A nova edição do The Voice Portugal

 

De uma forma geral, gosto dos vários concursos de talentos que os diferentes canais de TV costumam exibir.

No entanto, tal como a Áurea refere, o The Voice acaba por ser o mais justo! Pelo menos na selecção dos concorrentes durante as provas cegas.

Porque o que se está a avaliar ali é a voz, não o aspecto físico. E, infelizmente, ainda julgamos muito as pessoas pela forma como se apresentam, mesmo antes de abrirem a boca. Até eu, ontem, o fiz!

E depois, quando começam a cantar e a mostrar porque ali foram, ficamos de boca aberta, tal como o júri, e a pensar "Wow, que vozeirão! Quem diria!".

De entre os jurados, gostei muito da postura da estreante Áurea, no que respeita aos comentários aos concorrentes. Avalia a prestação, diz o que tem a dizer, se a quiserem escolher para mentora, melhor, se não, não há problema.

Não tenho paciência para os joguinhos e disputas, ainda que na brincadeira e propositados, do Anselmo e do Mickael.

Já a Marisa, tem uma postura, aparentemente, mais séria e responsável. Está ali para trabalhar com as melhores vozes, e que sabe que podem ir além. Penso que foi por isso mesmo que vários concorrentes a escolheram para mentora. Porque vêem nela a oportunidade de trabalhar a sério, aprender e chegar longe. Não que não o consigam com qualquer outro dos mentores.

Nesta primeira prova cega, houve muito talento, alguma irreverência e umas boas risadas. Um serão de domingo bem passado, sem dúvida!

Imagens - http://media.rtp.pt/thevoiceportugal

  • Blogs Portugal

  • BP