Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Arriscariam passar a noite nesta tenda?!

 

Pode até ser extremamente romântico passar uma noite nesta tenda, com quatro metros de tamanho, que pode albergar duas pessoas.

E acredito que seja uma experiência excepcional dormir numa tenda transparente, ou simplesmente aproveitar para apreciar a paisagem e o céu estrelado, as ondas e o horizonte.

Mas não sei se arriscaria colocar-me dentro desta bolha. Apesar de garantirem que estamos protegidos, e que é à prova de água, parece-me que, com uma onda maior, ainda era levada e ia dar por mim a navegar em pleno mar, dentro da mesma. 

E vocês, gostavam de experimentar?

 

À Conversa com Brito Ventura & Os Desalinhados

Foto promo 01.jpg

 

“O Que Será de Mim” se não deixar “No Meu País”, e como legado, a música que em mim habita, deve ter pensado Brito Ventura, um advogado criminal de profissão, quando se decidiu aventurar no mundo musical. Afinal, “Não Faço Mal a Ninguém” por transmitir aquilo que me vai na alma!

Ou, talvez, o seu pensamento fosse completamente diferente!

 

 

Foto promo 03.jpg

 

O que é certo é que, de um encontro de amigos, “No Mesmo Sítio” do costume, e “Sem Olhar Para Trás”, surgiu a ideia de gravar um disco. Não “Um Poema Sem Fim”, mas uma reflexão sobre a forma como as coisas acontecem ou não na nossa vida, e da forma como acabam, nunca deixando, contudo, de existir.

Depois da sua estreia, em 2015, com um álbum de onde foram escolhidos dois temas para as telenovelas da TVI, Destinos Cruzados e Belmonte, Brito Ventura & Os Desalinhados já sentiam “Saudade” de fazer boa música, e foi essa “The Reason” (a razão) que os levou a regressar com um novo álbum, até porque “A Vida São Dois Dias” e há que aproveitá-la ao máximo para fazer o que mais se gosta.

 

 

Outra Vez.jpg

 

E assim nos chega agora, em 2016, “Outra Vez”, um conjunto de músicas simples, que falam sobre a vida e os seus desencontros, e que mostra um lado mais intimista de Brito Ventura.

São eles os meus convidados de hoje da rubrica “À Conversa com…”, que aceitaram vir aqui falar um pouco mais sobre o seu trabalho e projeto, e a quem agradeço desde já pela disponibilidade!

 

 

 

Começo por perguntar, quem é o Brito Ventura, e os “Desalinhados” que o acompanham?

O Brito Ventura é um advogado criminal de profissão, que encontra refugio na música enquanto espaço e momento de reflexão e libertação. É o momento em que se soltam as amarras e podemos navegar mar adentro sem rumo nem destino. Os Desalinhados, são um conjunto de músicos de excepção, que ajudam a dar corpo e partilham comigo estes momentos.

 

Como é que surgiu este nome para a banda?

O nome é a expressão de que a musica quebra todas as barreiras: todos diferentes, todos iguais.

 

A partir de que momento é que sentiu vontade de se dedicar à música e criar canções?

Esse desejo, já há muito em mim habita, mas por vezes, existem determinadas circunstâncias na nossa vida, que nos fazem, parar, reflectir, e redireccionar as nossas opções na vida.

 

A música é algo que faz por prazer, no tempo que tem livre, ou é uma aposta a tempo inteiro? Ainda continua a exercer a atividade de advogado criminal?

A Advocacia é a minha profissão, a música faz parte da minha condição humana. Dai que, na minha vida, ambos os elementos são essências para o meu equilíbrio, tal qual o sol que me aquece e a lua que me inspira.

 

Quais são as principais diferenças entre o primeiro álbum “Até Sempre” e este novo álbum “Outra vez”?

Creio que existe uma ligação de continuidade entre os dois discos, na medida em que continua por um lado a existir um conjunto de canções simples e directas, em que a melodia anda a par e passo com a letra, e na medida em que ambos são discos despidos de pretensões. Admito uma maior componente da electrónica e das guitarras eléctricas neste segundo álbum, algo que não estava tão presente no primeiro, enquanto álbum mais acústico.

 

“A Vida São Dois Dias” é o tema de apresentação do novo álbum, já disponível nas lojas digitais. Esta música representa, de alguma forma, a vossa forma de estar na vida, e o lema que vos leva a fazer a vossa música?

Sem dúvida, é o nosso ponto de partida, é o meu modo de estar na música e na vida.

 

“The Reason” é o único tema do álbum em inglês? Por algum motivo em especial?

Acima de tudo foi um desafio a que me propus, compor uma canção em inglês e perceber em que medida as pessoas iriam reagir.

 

Que feedback têm recebido por parte do público? As pessoas identificam-se com as mensagens transmitidas nas vossas canções?

A receptividade tem sido muito boa, ate porque e ate ao momento, tenho-me apercebido que as pessoas não se sentem defraudadas com esta linha de continuidade: continuam a ter um conjunto de canções com as quais se identificam e partilham momentos da sua vida.

 

Por onde vão andar os Brito Ventura & os Desalinhados ao longo dos próximos meses?

Seguramente, enquanto houver pessoas que gostem de nos ouvir, iremos continuar a compor e a fazer música simples, para pessoas simples: porque a vida é assim…”Este quadro pintado num poema sem fim”.

 

Muito obrigada!

 

Todas as novidades sobre Brito Ventura & os Desalinhados em:

https://www.facebook.com/Brito-Ventura-Os-Desalinhados-415272335226864/?fref=ts

 

Nota: Esta conversa teve o apoio da editora Farol Música, a qual cedeu também as imagens. 

  • Blogs Portugal

  • BP