Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Histórias soltas #4

Resultado de imagem para folhas de papel soltas

 

"Não tenho muitos amigos. Verdade seja dita, não tenho qualquer amigo ou amiga.

Não sou muito de socializar. Não porque não goste. Apenas não surgiu a oportunidade. Não sou uma criança com quem os meus colegas gostem muito de estar. Não sou bonita, não ando na moda, não me junto a grupos. Muitos deles até gozam comigo, com o meu aspeto, com a minha simplicidade. Diria até, com a minha pobreza.

É por isso que tento passar despercebida, enquanto puder, para não ser alvo de chacota por parte da maioria da turma.

Os meus pais também não ajudam muito. A minha mãe ainda se preocupa um pouco comigo. Já o meu pai, pouco para em casa, e quando vem, não quer saber se estou viva ou morta. Apenas a minha mãe leva algum dinheiro para casa, fazendo limpezas em algumas casas. O meu pai há muito ficou desempregado e acomodado à situação.

Chamo-lhes mãe e pai, mas na verdade eles não são meus pais. Mas isso é uma outra história, que talvez vos conte um dia destes.

Como eu estava a dizer, não tenho amigos, mas de há uns tempos para cá, eu e uma outra miúda, mais velha que eu, começámos a falar e tornámo-nos muito unidas. É bom ter uma amiga com quem conversar. Não me sinto tão sozinha.

Hoje ela convidou-me para ir até à sua casa. Fiquei feliz!

Disse-me que podíamos utilizar o computador dela para fazermos os trabalhos, mas na verdade fizemos tudo menos isso. Sei que sou uma criança inteligente, que aprende depressa, embora muitas vezes dê alguns erros e falhe respostas propositadamente, para não dar nas vistas. E aplicada, também. Mas esta tarde tudo era diferente.

Primeiro a minha amiga falou com o namorado através de videochamada. Sim, ela já tem namorado. Um namorado a sério, com direito a beijos e outras coisas mais. Quer dizer, não será bem sério, porque também fala com outros rapazes sem ele sequer desconfiar. Mas quem sou eu para me meter nisso.

Sinto-me bem com ela e é o que importa.

Também eu gostava de, um dia, experimentar esses beijos e ir aos “treinos”, como ela lhe chama.

Enquanto ela foi buscar qualquer coisa para comermos, deixou-me a falar com um desses rapazes com quem ela também fala. Pareceu-me simpático. Andei a ver o seu perfil, mas não tinha fotografias dele, a não ser uma em que escondia a cara. Pedi-lhe para ele enviar uma foto dele, mas disse que mais tarde mandava. Claro que não poderia enviar para mim, que nem sequer um computador tenho. Mas quis que eu enviasse uma fotografia minha, para avaliar. Perguntei à minha amiga se dava para o fazer e ela explicou-me como funcionava a câmara fotográfica.

Ele achou-me bonita! Provavelmente, diz isso a todas mas não quero saber. Hoje estou feliz. Estou em casa de uma amiga (como é bom poder dizer esta palavra) e a falar com um rapaz que me acha bonita!

Pergunto-lhe o que está a fazer, mas hesita em responder. Diz que, se o disser, não vamos mais querer falar com ele. Insisto, e ele lá acaba por dizer “masturbação”. Fico na mesma, mas entretanto chega a minha amiga com o lanche, e deixamos o computador de lado.

Ele diz que é daqui perto. Que um dia pode vir ter connosco. Ficou de enviar mensagem para a minha amiga, a combinar o dia e a hora. Ele sabe onde estudamos, e já nos conhece pelas fotografias.

Estou ansiosa por o conhecer pessoalmente.

Ele diz que tem 19 anos. Eu tenho apenas 12. Mas o que é que isso importa?

Hoje, estou feliz!"

 

O que fizeram à Deolinda?

 

Relativamente à gala de ontem, e ainda antes de falar dos concorrentes, tenho que falar primeiro da surpresa da noite.

Assim que falaram em regresso desejado ao palco do The Voice, meti na cabeça que era a Deolinda. Até comentei com a minha filha e o meu marido que ela iria apresentar o seu próprio tema. Não fazia a mínima ideia, mas por acaso até foi mesmo isso!

Ouvi a música. Gostei. Da letra e da música. Mas não reconheci a Deolinda! Aquela Deolinda que chegou na edição passada e virou as cadeiras. A Deolinda detentora daquele vozeirão, que achámos logo que podia ser a potencial vencedora. A Deolinda que elevou, de tal forma, as expectactivas, que ainda não tínhamos conseguido encontrar igual nesta edição.

Ontem, ouvi a Deolinda e, se não soubesse quem era, e estivesse no lugar dos mentores, talvez nem tivesse virado a cadeira. Esta não é a Deolinda que todos conhecemos. Esta é uma nova Deolinda, que cantou mas não encantou.

Prometo ouvir hoje novamente, até porque ontem posso ter-me deixado distrair pelo sono e não ter estado com a máxima atenção, mas foi com este sentimento que fiquei depois de a ouvir - de desilusão, de desapontamento. Talvez seja por ser cantado em português, algo que só ouvimos uma vez na voz dela. Ou porque a música não se presta a grandes rasgos de voz. Ou, simplesmente, os meus ouvidos estão a pregar-me uma partida, já que li imensos comentários a elogiar a sua prestação.

Há por aí mais alguém que sofra do mesmo mal que eu e não tenha reconhecido a voz da Deolinda?

 

 

Quanto aos concorrentes, os que mais gostei de ouvir foram:

 

A Sónia - apesar de não ser apreciadora de fado, gostei muito da forma como ela cantou.

 

O Francisco - pode não ter um vozeirão mas brinca com a música como poucos! E o que me ri com aquelas expressões físicas dele enquanto cantava. Muito talentoso e genuíno!

 

A Inês - voz bonita e melodiosa, a juntar a uma postura calma. Adorei ouvi-la, mas não sei como se sairá noutros estilos musicais.

 

A Tamara - tem estilo, tem power, tem voz, tem atitude. Vamos ver até onde chega.

 

E ainda a Inês, obstetra.

 

 

Os que não gostei tanto de ouvir:

Joana - disse ela que tinha mestrado em musicoterapia. É verdade que a música é uma boa terapia, mas houve ali partes em que ela assassinou a música, desafinou, arranhou. Espero que o trabalho corra melhor.

Nádia, a cantar Celine Dion - senti que lhe faltou um pouco mais de garra

Francisco - estava muito "preso", contraído, e não sei se a guitarra não o terá atrapalhado. Gostei mais de o ouvir a cantar o seu tema, muito ao estilo dos DAMA, por sinal

Juliana - não é que não tenha talento, mas penso que a música não a favoreceu

 

Todos os restantes tiveram partes em que estiveram bem, mas outras em que as coisas correram menos bem, e nenhuma voz se destacou.

 

Caras conhecidas:

Tiago - Assim que o vi, disse para a minha filha "este não fazia parte dos Opera Buffa, que participaram no Got Talent?". E é mesmo ele!

 

Achei curioso o facto de o Anselmo ter virado várias vezes a cadeira, quando mais minguém parecia com vontade de o fazer, e ter aproveitado esta última prova cega para dar oportunidade a alguns concorrentes, quando mais ninguém se dispôs a isso.

 

As equipas:

Parece-me que, à primeira vista, as equipas do Mickael e da Marisa têm mais concorrentes de peso. Mas a Aurea e o Anselmo têm um ou dois trunfos que podem ser o suficiente para vencer.

 

 

 

 

Fechadas as equipas, já nos começamos a preparar para as batalhas que aí vêm no domingo, e que são uma das fases mais injustas do programa. Se colocarem um concorrente forte com um fraco, é injusto. Se colocarem dois concorrentes fortes, sabem que um deles vai perder, e perdem um dos trunfos, o que também é injusto.

Vamos ver como correm as batalhas da próxima semana!

Para já, temos novos looks para os mentores, mas devo dizer que o Mickael, com aquele rabicho, fica horrível!

 

 

Imagens The Voice Portugal

 

  • Blogs Portugal

  • BP