Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Como é que ela consegue?!

Resultado de imagem para mãe e filha a passear

 

Segunda-feira de manhã:

Levantar cedo, despachar parte das coisas e levar a filha à escola, já em cima da hora. Voltar a casa, tratar do resto das coisas e seguir para o trabalho, a acelerar.

Quando estou a chegar ao destino, já cansadíssima da correria e caminhada ainda antes das 9h, deparo-me com uma mãe, a passear calmamente com a sua filha, sem pressas, como se tivesse todo o tempo do mundo! 

E se calhar tem!

Também gostava de poder disfrutar dessa calma matinal, nem que fosse só de vez em quando...

A Tua Cara Não Me É Estranha - 2ª gala

Resultado de imagem para barbara branco a tua cara não me é estranha

 

E o prémio para a melhor imitação vai para Bárbara Branco!

Pois. Certo. Ela é apenas a convidada. Mas foi a imitação que mais gostei e a que mais se pareceu com o original, neste caso a Jessie J, tanto fisicamente como em termos de voz.

 

Quanto aos concorrentes, destaco pelas semelhanças físicas:

Marta Andrino, como Katy Perry

Sérgio Rossi, como Michael Bolton

 

Pelo boneco e imitação geral:

Darko

Maria Sampaio

 

Melhor que na gala anterior:

Jorge Mourato

Carolina Torres

Melânia Gomes

 

Pior que na gala anterior:

David Antunes - tenho a sensação que ele estava a cantar como David, e não como Tracy

 

Esta coisa do Treinador Vip:

A sério que, no meio de tantos bons artistas nacionais, tinham mesmo que ir buscar a Romana?

 

Sobre o programa em si, e o formato:

Não existem critérios específicos nem bem definidos, nem tão pouco isenção ou justiça na hora de votar.

 

Sempre tive em boa conta o Luís Jardim, mas os comentários dele neste programa deixam muito a desejar.

 

A Alexandra enrola e fala de tudo menos daquilo que interessa.

 

O José Carlos parece um gravador em modo repeat.

 

O facto de o programa ser gravado num dia, e transmitido noutro, não permite a votação do público que, neste caso, faria todo o sentido, nem que fosse numa percentagem de metade. Isso faz com que o programa mais pareça uma reunião de amigos que se juntaram para brincar às imitações, e em que o público é um mero espectador sem qualquer voto na matéria. Não me agrada muito. Principalmente quando, noutros concursos em que é primordial os votos serem dados por pessoas da área, deixam as decisões na mão do público.

 

 

Imagem TVI Player - Iol

 

The Voice Portugal - a terceira ronda de batalhas

Não poderia deixar de salientar, mais uma vez, as injustiças que vão sendo cometidas pelos mentores nas escolha dos elementos para as batalhas, na hora de salvarem ou não os concorrentes, e também para algumas atitudes nada bonitas de certos concorrentes nesta ronda de batalhas.

 

As batalhas mais injustas:

 

Inês x Ana Rita/ Marta/Flávia - Venceu o trio. A injustiça começa logo na hora de juntarem um trio a competir com uma única pessoa. Mas se as regras o permitem, adiante. Partindo a Inês em desvantagem, ainda assim soube ouvir, de acordo com as palavras do próprio mentor, todos os conselhos e colocá-los em prática. O mesmo não se pode dizer do trio. À excepção da menina do meio, que se destacou a cantar e foi a única a tentar interagir com a Inês, as outras fizeram de conta que a Inês não estava ali. A Flávia ficou mesmo de costas para ela, tal como nos ensaios. Nunca gostei deste trio, confesso. Ainda assim, das três, salvava a menina do meio. Tendo em conta a batalha em si, a Inês merecia passar por aquilo que, sozinha, conseguiu mostrar.

 

 

 

Ana Rita x Cristina - Venceu a Cristina. Não tenho nada contra a Cristina. Acho que é uma justa vencedora, porque ela canta este estilo musical lindamente. A injustiça partiu mesmo da parte do Anselmo, na hora de escolher a música. Nem precisávamos de as ouvir para saber quem sairia vencedora. Porque não puseram a Cristina a cantar fado? Porque aí estariam a favorecer a Ana Rita. Então, o mais lógico seria escolher uma música fora do registo de ambas. Só assim poderia avaliá-las. Mas não. Preferiu favorecer claramente a Cristina. De qualquer forma, a Ana Rita esteve exemplar. Para além de estar numa "praia" que não é a dela, esteve à altura e gostei mais de a ouvir ontem que na prova cega. Merecia ser salva. Mas ninguém o fez. Estão a poupar nos votos, para depois no fim acabarem por salvar concorrentes que podem não merecer essa oportunidade.

 

 

Atitudes menos bonitas:

 

 

Bruno x David - ficaram os dois. Não percebi porque viraram as cadeiras logo às primeiras palavras do Bruno. Já o David, teve direito a 3 cadeiras viradas. Na batalha, gostei de partes de um e de outro. Gosto mais do timbre e da atitude do David.

 

A Marisa este ano não anda a acertar muito na escolha das músicas. E está a brincar com o fogo, ao juntar candidatos fortes correndo o risco de perder um deles. É que, mesmo sendo salvo, passa para a equipa adversária. No início não percebi aquele teatro dela, uma vez que já sabia que estavam os dois salvos. Só depois compreendi que ela estava a ver qual dos dois chegaria mais longe, quando em equipas diferentes, para tentar escolher o melhor para si.

O Anselmo Ralph, embora tenha dito isto na esperança de, talvez, ficar com o Bruno para a sua equipa, para quem já estava a imaginar certas músicas na sua voz, facilitou a vida à Marisa e aos concorrentes, dizendo que ficava com o que a colega não escolhesse. Mas as coisas saíram ao contrário, e a Marisa ficou com o Bruno. O David já estava salvo pelo Anselmo. Mesmo assim, deram oportunidade aos outros mentores de o tentarem salvar. Viraram os três, e o David escolheu a Aurea! 

Ainda que ele tenha, eventualmente, pensado que a decisão do Anselmo era mais dirigida ao Bruno do que a si, ficou-lhe mal ter escolhido outro mentor que não ele, que foi o primeiro a dizer que iria salvar o eliminado. Não foi bonito.

 

 

 

A melhor batalha:

 

Catarina x Luísa - Venceu o furacão Catarina! Foi, para mim, a melhor batalha desta ronda com a Catarina a destacar-se pela sua garra, poder vocal e atitude em palco, apesar dos seus 15 anos. É uma séria candidata à vitória, embora não saiba se a Aurea lhe irá saber dar valor daqui em diante. 

 

 

A pior batalha:

 

Sónia x Fernando - Venceu a Sónia. Para além de a música ter sido assassinada, ao cantarem em português de Portugal, penso que nenhum dos dois esteve bem nem se sentiu à vontade em palco. Pareciam fazer um esforço enorme para se aguentar a cantar até ao fim. Ainda assim, penso que a Sónia terá mais para mostrar.

 

 

A batalha mais "sem sal":

Janette x Teresa - Venceu a Janette. Nunca gostei muito de ouvir a Teresa. A Janette também não inspira por aí além. Estiveram as duas muito equilibradas, mas prefiro o timbre da Janette. Pouco mais há a dizer de uma batalha que não aquece nem arrefece.

 

 

A batalha mais emotiva:

Márcio x Lydie - Venceu o Márcio. Se não estou em erro, apesar de ter cantado muito bem na prova cega, o Anselmo foi o único a virar a cadeira para a Lydie porque achou que ela tinha potencial, e poderia mostrar mais. Tinha toda a razão. Ela mostrou ainda mais nesta gala, e este dueto resultou na perfeição. O Márcio é um bom concorrente e mereceu a vitória, embora tenham estado muito equilibrados. A Lydie merecia ter sido salva pelos outros mentores. Com muita pena minha, deixaram-na ir.

 

 

Imagens The Voice Portugal

  • Blogs Portugal

  • BP