Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Onde estás, lua?

Depois da super lua cheia de segunda-feira que, à hora que eu vi, não estava assim tão super, já me tinha convencido que teria que esperar mais 18 anos.

No entanto, pelo sim, pelo não, quando saí do trabalho ontem à noite, lembrei-me de olhar para ela, para ver se me surpreendia.

Não a vi em lado nenhum.

Onde estás, lua?

Se no dia anterior tinha vindo daquela zona, não poderia desaparecer totalmente no dia seguinte. O céu estava limpo, viam-se as estrelas. Fui o caminho todo andando e olhando para trás, à procura dela, a pensar onde poderia estar àquela hora, em vez de estar no céu.

Quando estou quase a chegar a casa, vejo algo a surgir detrás de umas casas, enorme, branco e redondo.

Era a lua!

E, desta vez, super mesmo!

 

Não consegui tirar fotos, claro, que a minha máquina é pré-histórica,mas foi mais ou menos isto:

 

Resultado de imagem para super lua

 

Como ontem nasceu mais tarde, consegui ver o efeito que na segunda não tinha visto!

Sobre as prioridades

Resultado de imagem para prioridade atendimento

 

Isto das prioridades tem muito que se lhe diga.

No outro dia, em conversa com um funcionário público, dizia-me ele: 

 

"Não vem em lugar nenhum que as pessoas acompanhadas de crianças de colo tenham, necessariamente, que as trazer ao colo, tal como não diz na lei, que elas não podem vir acompanhadas de outras pessoas."

 

Nesse mesmo serviço, mas numa outra secção, e num dia diferente, com um funcionário diferente, um casal com um bebé pequeno num carrinho tentou exercer o direito de prioridade. O funcionário respondeu-lhe que não.

 

"Então mas a minha mulher está aqui com o bebé, tem prioridade." - dizia o homem

"Mas está aqui você com ela!" - respondeu o funcionário

 

O homem insistiu. O funcionário perguntou se não podiam esperar um bocadinho.

O homem disse que a mulher estava completamente estoirada.

O funcionário torna a responder: "então, ela que se sente lá fora a descansar enquanto espera!"

 

Como viram que não levavam a melhor, voltaram para a sala de espera. Durante todo o tempo em que esperaram a sua vez, e com várias cadeiras disponíveis, nem por um minuto a mulher se sentou! Mesmo "esgotada", como referia o marido, preferiu esperar de pé.

 

Não coloco em causa a prioridade dela, que a tinha. Mas dá que pensar...

 

 

 

Médicos sem Fronteiras

 

Por certo já ouviram falar desta organização humanitária que tem vindo a desenvolver um trabalho notável um pouco por todo o mundo.

 

Os Médicos sem Fronteiras têm como principal missão prestar cuidados de saúde, tanto levando assistência imediata a quem dela precisa, como também atuando na prevenção, seja em que país for. No entanto, também faz parte do seu trabalho mostrar determinadas realidades que não devem ser ignoradas, nem tão pouco negligenciadas. E sensibilizar o público para o sofrimento daquelas pessoas afetadas.

 

Por norma, a ajuda médico-humanitária é enviada para locais onde se verificam conflitos armados, epidemias, desastres naturais, desnutrição e exclusão de acesso a cuidados de saúde. A organização pode ainda fornecer água, alimentos, saneamento e abrigos, se também disso depender a sobrevivência daquela população que estão a ajudar, e não apenas de cuidados médicos.

 

Curiosidades:

* Esta organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas que atuaram como voluntários, no final dos anos 60, em Biafra, na Nigéria, durante uma guerra civil.

 

* Foi na sequência desse voluntariado, ao socorrer as vítimas que lhes iam chegando, que se aperceberam de algumas dificuldades ou limitações, não só a nível do acesso, mas também a nível burocrático e político, relativamente à ajuda humanitária vinda de outros países,

 

* Em 1999, a organização Médicos sem fronteiras recebeu o prémio Nobel da Paz.

 

* Atualmente, a MSF leva ajuda humanitária a pessoas em cerca de 70 países, espalhados pelos vários continentes.

 

 

Artigo elaborado para a edição de novembro da Blogazine.

  • Blogs Portugal

  • BP