Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Bruno, Um Caminho de Vida

 

Não podemos escolher a vida que nos foi dada mas podemos, a determinado momento dessa vida, escolher o nosso próprio caminho, e decidir se queremos continuar à espera que a sorte nos bata à porta, se devemos permanecer numa vida que odiamos e que não augura nada de bom para o futuro, ou ir à luta, e mudar o rumo da nossa vida, tentando realizar os nossos desejos, alcançar os nossos objectivos, cumprir as nossas promessas e, acima de tudo, ser felizes.  

 

Por vezes, por muito que queiramos, não podemos levar as pessoas que mais amamos, e que não queríamos que permanecessem nessa vida da qual queremos fugir, na nossa jornada.

 

Por muito que custe, não podemos ajudar ninguém sem que antes tenhamos, nós mesmos, a ajuda necessária para nos reerguermos.

 

É sempre um dilema, e um sentimento de frustração e de culpa, por estarmos a fugir, e não levarmos connosco essas pessoas, sobretudo quando sabemos que poderão sofrer na pele, aquilo que nós próprios já passámos. Mas, o que seria delas, se fugissem connosco, sem qualquer plano, destino certo ou garantia de sucesso?

 

Por muito que queiramos, nem sempre as coisas correm como queremos ou imaginamos. As dificuldades podem ser muitas, o desespero também. Muitas vezes, deparamo-nos com caminhos tortuosos, becos estreitos e sem saída à vista. Podemos ser corajosos e destemidos mas, ainda assim, pessoas de carne e osso.

 

 

Não temos poder para salvar tudo e todos, pelo menos não no momento em que gostaríamos. Mas, com tempo, podemos lutar para o conseguir, ou pelo menos fazer o nosso melhor.

 

Não podemos escolher a família que nos colocou neste mundo, e que nos calhou, mas isso não significa que tenhamos que amá-la. Por vezes, são-nos apenas estranhos. Outras, seres desprezíveis que abominamos, e que desejamos nunca mais ver na vida.

 

Família são aqueles que estão connosco. Que nos amam. Que nos aceitam. Que nos apoiam. Que querem o nosso bem, e ver-nos felizes.

 

Há muita gente ruim neste mundo. Mas quando estamos prestes a convencer-nos que estamos sozinhos e entregues à nossa sorte, sem qualquer esperança, percebemos que existem pessoas bondosas, capazes de mudar a nossa vida, de nos estender a mão e nos salvar quando estamos prestes a nos "afogar".

 

E, quando finalmente encontrarmos o caminho certo, e pudermos ajudar aqueles que deixámos para trás, nunca nos devemos esquecer de nós mesmos. Daquilo que somos, e de que só seremos totalmente felizes se formos honestos connosco mesmos, e com aqueles que nos rodeiam e fazem parte da nossa vida, sem receios!

 

 

Por tudo isto passou Bruno, um rapaz que cresceu numa família em que o pai era um bêbado violento, e a mãe uma mulher submissa e alienada, que nada fazia para defender os filhos, ou a si própria. Mais tarde, juntou-se a esta família uma bebé, que na altura não foi bem aceite pelo irmão mas que, mais tarde, zelou pela sua protecção e bem estar, e viria a ser um dos motivos para endireitar a sua vida.

No meio de alguns azares, Bruno teve sorte. Poderia ter tido um destino muito diferente, e foram várias as vezes em que se viu sem saída, e sem forças. 

Ainda assim, conseguiu chegar onde chegou, por mérito próprio. Não foi a tempo de ajudar uma das pessoas que queria, mas ainda restava alguém que poderia ajudar. A decisão de deixar a mãe e a irmã para trás, e algumas outras decisões que tomou na vida, tiveram as suas consequências.

Será que Bruno encontrou, no meio de tudo isto, a sua felicidade? 

 

 

Sinopse

"O que fazer quando nada está certo? O que fazer quando tudo está negro, e nada é belo? Para o jovem Bruno, só existe uma hipótese, esquecer toda uma vivência e fugir para o incerto. Filho mais velho de uma família destruída num lar de miséria, Bruno parte em busca de uma vida melhor numa cidade longe das suas origens.

A descida ao abismo, a luta pela sobrevivência. A montanha russa de emoções, tudo isto proporciona uma descoberta pessoal. Bruno agarra-se a uma promessa e dá por si a batalhar dia após dia contra os demónios do destino. Com este novo caminho de vida, será que Bruno irá finalmente ser feliz?"

 

 

Autor: Sandra Soares

Data de publicação: Março de 2018

Número de páginas: 218

ISBN: 978-989-52-2728-0

Colecção: Viagens na Ficção

Género: Romance

Idioma: Pt

 

 

Resultado de imagem para chiado books

  • Blogs Portugal

  • BP