Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sugestões para o fim de semana

 

(clicar na imagem)

 

Este fim de semana, os caminhos dividem-se entre alguns dos maiores festivais de verão, com destaque para o Sumol Summer Fest, na Ericeira. Mas se preferem o pôr do sol noutras paragens, porque não o RFM Somnii, na Figueira da Foz?

No dia 11, o Estádio de Oeiras recebe uma das mais míticas bandas de rock - os Scorpions.

Por Mafra, pode sempre visitar o Festival do Pão.

 

Sugestões não faltam. Agora só têm que escolher a melhor!  

A ficar sem bateria...

Resultado de imagem para bateria fraca

 

Como um telemóvel viciado, com algum tempo de uso, acho que já não consigo alcançar a bateria completa, representada pela cor verde. 

Mas há-de ser no laranja que ando desde o regresso das férias do ano anterior, até ao início do ano seguinte, altura pela qual passo a andar ali pelos dois tracinhos de bateria, com tendência a reduzir, à medida que o ano vai avançando.

Quando chega à vespera de ir de férias, ao invés de a energia aumentar, sinto ela a escapulir-se por entre os dedos pelo que, hoje, estou apenas com um traço de bateria, e já a começar a apitar, a avisar que é preciso recarregar brevemente, correndo o risco de chegar amanhã, último dia de trabalho, e desligar-me completamente, logo agora que a primeira semana de férias está à porta.

 

Depois, é tentar que na semana de férias (muito pouco para tantos meses de trabalho) consiga voltar ali à meia carga, para sobreviver a mais um mês de trabalho, até voltar a ter férias, e conseguir a proeza de subir para o estado laranja, e repetir todo o ciclo!

Constatações

Resultado de imagem para fazer planos

 

Tenho que deixar de fazer planos para estas férias.

Percebi que, ultimamente, todos os planos feitos estão a sair gorados, um a um!

 

Era suposto termos, pelo menos, uma semana de férias juntos. Não conseguimos. Tive que tirar a semana antes. Quando eu estou de férias, está ele a trabalhar. Quando eu reentrar ao serviço, vai ele de férias.

Era suposto termos, pelo menos, dois dias juntos, que coincidiam com as minhas férias, e as folgas dele. Não conseguimos. Vai ter que fazer formação para renovar a carteira profissional, que vai ocupar também esses dois dias.

Era suposto ele ter esta sexta e sábado de folga. Não conseguimos. Um colega adoeceu repentinamente, e vai ter que ir trabalhar.

 

E jé nem faço planos para a praia, porque com este tempo, o mais certo é ficar por casa mesmo!

Coisas que me irritam

Resultado de imagem para irritada

 

Colegas de trabalho que adoecem, subitamente, quando as férias estão a acabar, ou as folgas chegam ao fim, sendo que a doença repentina, normalmente, coincide ou apanha os fins-de-semana, lixando os restantes que iam aproveitar o seu descanso e, assim, não só não têm direito a folga, como ainda têm que fazer o serviço de duas pessoas, enquanto os mesmos de sempre recuperam a saúde (que é como quem diz, aproveitam mais uns dias para não trabalhar).

Fica Comigo, de Lucie Whitehouse

Resultado de imagem para fica comigo  lucie whitehouse

 

Até onde podemos ir para proteger aqueles que amamos? é a pergunta, mas esta história tem muito pouco de amor, e mais de dependência, obsessão, sobrevivência, de uma visão destorcida do que é certo e errado, de desviar as atenções daquilo que não deve ser visto.

Mas, por vezes, quanto mais tentamos salvar a nossa pele, mais colocamos a descoberto os nossos próprios segredos!

 

Quando Marianne aparece morta, Rowan, outrora sua melhor amiga, com quem Marianne já não fala há cerca de 10 anos, é uma das poucas pessoas a suspeitar que não se tratou de um acidente, mas de um homicídio. E que esse crime estará relacionado com um segredo do passado, que ambas guardavam.

Rowan decide, por isso, ficar uns dias na casa da família, para tentar descobrir o que, de facto, aconteceu.

A verdade é que Marianne enviou um postal a Rowan, uns dias antes de morrer, a dizer que precisava de falar comn ela.

Marianne já tinha sofrido uma depressão anteriormente. Estava a ser pintada por um artista cujas musas anteriores haviam morrido. Os seus próprios desenhos retratavam a morte. 

Marianne tinha tudo para estar feliz,tanto na sua vida pessoal, como profissional. Mas carregava também uma grande culpa, e algo que não a deixava viver plenamente.

 

E Rowan, quem é Rowan?

Melhor amiga de Marianne na adolescência, apaixonada pelo irmão desta, Adam, e recebida no seio desta família como se fosse mais uma filha perde, de um momento para o outro, a amizade de Marianne, e afasta-se de todos, até ao dia em que recebe a notícia da sua morte.

O que se passou naquela altura? E de que forma é que o passado está relacionado com o presente?

 

Por muito que se queira, não se pode justificar o injustificável. Nem, tão pouco, usar o amor para atenuar a culpa. Quando se perde totalmente a noção da realidade, e se distorce tudo à nossa medida, para que nos perdoem, então, estamos perdidos...

 

 

SINOPSE

"Marianne Glass é artista e aparece morta, caída do telhado. Toda a gente insiste tratar-se de um acidente, excepto Rowan Winter, em tempos a sua melhor amiga. É que Marianne sempre sofreu de vertigens e nunca se aproximaria da beira de um telhado.
Em tempos, Marianne e a sua família significavam o mundo para Rowan. Para uma adolescente órfã de mãe e com um pai ausente, aquela família intelectual e cheia de vida representava um mundo de glamour e oportunidades.
Mas desde que se afastaram, Rowan sabe de Marianne apenas pelos jornais: a rápida ascensão na cena artística londrina, o romance com o seu galerista. Para descobrir as causas da sua morte, Rowan tem de saber mais. Estaria angustiada com alguma coisa? Em perigo? Começa então a procurar pistas: nas obras mais recentes de Marianne, nas suas relações mais próximas e na amizade recente com um artista.
Mas quanto mais fundo vai na história, mais sinistro tudo se torna. E um segredo do passado faz com que também ela se comece a preocupar com a sua sorte…"

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP