Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Fora de Casa - agora quinzenalmente

 

 

A rubrica Fora de Casa passou de semanal, a quinzenal, mas não faltam sugestões para quem queira sair de casa nos próximos dias!

 

Em Lisboa, começou ontem o The Famous Fest'18, um Festival de Humor que conta com nomes como Bruno Nogueira e Salvador Martinha, entre muitos outros. Há também, nesta cidade, "A Pior Comédia do Mundo". 

Já no primeiro fim de semana de outubro, o destaque vai para a Festa Animal'18, em Oeiras, e a estreia do filme de animação "Smallfoot".

Confiram tudo, na edição desta semana!

Das explicações de matemática

Resultado de imagem para lol

 

Mãe: Então, filha, como correu a explicação?
Filha: Correu bem... Estava quase a adormecer!

 

Na primeira aula de explicação, o explicador esteve a explicar a matéria. Parece que fala baixinho e devagar.

Na segunda aula, a mesma coisa, e alguns exercícios, que não deviam dar muito que pensar, já que lhe estava a dar sono.

Perguntei-lhe se achava que estava a valer a pena, ou se seria tempo perdido.

Diz que depois do primeiro teste logo se vê.

 

Agora percebo porque é que a gerente do centro disse, quando lhe perguntei se eram os dois bons explicadores, que sim, mas que cada um tinha a sua forma de estar e havia quem gostasse e não gostasse!

 

No ano passado ela tinha um explicador mais novo, mais activo, que a punha a fazer exercícios para praticar.

Este ano, está com um explicador que poderia ser avô dela, mais calmo. É certo que a matemática tem que se perceber e, se ela não percebeu na escola, é importante que perceba ali. Mas também passa muito pela prática, por fazer exercícios até brincar com eles. E isso parece-me que ainda não aconteceu muito por ali.

Carta a uma amiga que, um dia, foi especial...

Imagem relacionada

 

"Conheci-te numa fase da minha vida, em que esta não fazia qualquer sentido para mim.

Andava perdido, sem rumo...

Tu surgiste na minha vida e, como uma espécie de magia, com a tua varinha de condão, transformaste-a por completo.

A amizade que construímos era valiosa, e tu eras a minha melhor amiga!

Nessa altura, ouvias-me, apoiavas-me, davas-me a força que eu precisava. Fizeste-me voltar a sorrir.

 

Contigo, eu era outra pessoa!

Estava diferente, motivado, confiante, feliz!

Contigo, reaprendi a divertir-me, a sentir-me acarinhado, a sentir-me amado, a sentir que gostavam de mim pelo que eu era.

 

O dia em que nos conhecemos, em que estivemos juntos, e não me viraste costas, foi um dos dias mais felizes da minha vida!

E, se eu já gostava de ti, passei a gostar ainda mais.

Para minha sorte, ou meu azar, apaixonei-me por ti.  Tu eras o meu mundo. Aquele onde me podia refugiar nos dias menos bons. Aquele onde podia partilhar as minhas alegrias contigo.

E saber que partilhavas dos mesmos sentimentos por mim, deixava-me ainda mais feliz.

Sabia que teríamos que ser amigos, por enquanto, mas imaginei tantas coisas que viríamos, um dia mais tarde, a viver juntos.

 

Tive um dos verões mais felizes da minha vida mas, mal sabia eu, acabaria por ser o pior verão da minha vida. Porque ele irá para sempre recordar-me aquilo que eu tive, e não terei mais, ou aquilo que eu pensei que tinha, e nunca tive.

Não estou aqui a julgar-te, nem a culpar-te, nem tão pouco condenar-te.

Talvez tenhas deixado de gostar de mim. Talvez não saibas exactamente o que queres para ti. Talvez eu não seja aquele que procuras, que precisas. Ou talvez me tenhas visto sempre apenas como um amigo, e eu interpretei mal os teus gestos, as tuas palavras.

 

Mas aquela miúda que eu um dia conheci, e por quem me apaixonei, não a consigo mais ver.

No seu lugar, surgiu outra, que não consigo compreender, da qual não consigo gostar. Não posso dizer que me decepcionaste, porque não são os outros que nos decepcionam. Eu é que me decepcionei porque, na minha mente, imaginei algo que, provavelmente, não era real. Ou deixou de ser, a determinado momento.

 

Como minha amiga, e especial que eras, poderias ter sido sincera comigo. Talvez, assim, continuássemos a ser amigos como antes.

Hoje, não consigo acreditar nas tuas palavras, por mais que as repitas mil vezes, porque os teus gestos mostram o contrário.

A miúda que hoje vejo, não é aquela que quero na minha vida.

Hoje, estou a voltar a ser o mesmo rapaz que conheceste quando começámos a falar.

Estou triste...Porque, mais uma vez, perdi alguém que amava, sem saber bem porquê. E a concha, da qual tinha saído sem medo, vai voltar a fechar-se, ainda com mais força.

 

Não guardo mágoa. Apenas te desejo que, um dia, consigas encontrar o que tanto procuras, e que sejas feliz. Gostava que tivesse sido comigo. Mas no coração e nos sentimentos não mandamos. Resta-me aceitar...

E talvez, um dia, quem sabe, voltemos a ser amigos, como um dia fomos.

Mas, neste momento, para não sofrer mais do que já estou, talvez tenha que me afastar de ti. 

 

E dói...

Porque deixar de falar contigo, é voltar aos tempos em que andava perdido, logo agora que pensava ter encontrado um rumo.

Porque deixar de te ver, de estar contigo, de te abraçar, de te acarinhar, é perceber que um dia te tive e vivi os melhores momentos que poderia imaginar, e agora eles não voltarão mais.

Mas preciso de aprender a viver sem ti. Preciso de me proteger agora, para não me magoar ainda mais, depois.

 

Sê feliz...

Eu irei também tentar encontrar a minha felicidade... Ainda que, neste momento, seja difícil descobri-la por entre as lágrimas que derramo, enquanto te escrevo estas palavras que não sei se, algum dia, te direi...

Quero que saibas que, um dia, foste realmente alguém especial para mim!

Espero, um dia, vir também eu a ser especial para alguém, da mesma forma.

 

De um amigo que nunca te esquecerá..." 

 

Vamos apoiar e votar n' A Lupa de Alguém?

Sem Título5.jpg

 

Para os blogs do ano?

 

É verdade!

Por incrível que pareça, nem só os famosos e habituais blogs são nomeados, e a surpresa deste ano é a nomeação de um blog dos nossos, comuns mortais, aqui do Sapo, que já existe há vários anos, inclusive com dois livros editados, e que viu finalmente ser-lhe reconhecido o mérito.

Falo do blog da Anabela: A Lupa de Alguém!

 

 

42678873_1581153608656983_3593755529207349248_n.jp

 

Para quem não sabe, a Anabela é operadora de caixa, e o seu blog fala das várias experiências que foi tendo, e ainda tem, com os clientes que atende. Há cenas engraçadas, divertidas, e outras de deixar os cabelos em pé a qualquer uma.

Por isso, está nomeado na categoria de Entretenimento.

 

Já é muito bom estar ali entre os nomeados, e a concorrência é forte, mas a esperança é a última a morrer e seria tão bom ver um blog como este vencer o prémio, e mostrar que não são sempre os mesmos a levar o prémio para casa.

Vamos apoiar e votar n'A Lupa da Anabela?!

 

 

Do amor...

Imagem relacionada

 

O amor não costuma fazer grandes amizades com as palavras. Sobretudo, quando essas palavras, pronunciadas inúmeras vezes, estão em constante contradição com a forma como aqueles que as dizem, agem.   

Outro dos grandes problemas do amor, é que nós queremo-lo tanto, que muitas vezes o procuramos em várias direções ao mesmo tempo, sem nunca chegar ao final de nenhuma, para saber se ele lá está. E, muitas vezes, tentamos alcançá-lo tão longe, quando ele está perto de nós. Simplesmente, não soubemos decifrar os sinais.

Talvez porque não estivéssemos ainda preparados para o encontrar, para o reconhecer, para o acolher.

Ou porque é tão mais fácil guiarmo-nos por ilusões, por fantasias que vamos criando na nossa mente e que, mais tarde, percebemos que não passaram disso mesmo.

Por vezes, conseguimos percebe-lo a tempo. Outras, chegamos tarde e desperdiçamos aquele amor que estava ali para nós.

Faz parte da vida…

E nós, vamos aprendendo com ela...

  • Blogs Portugal

  • BP

  • Pág. 1/7