Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Fomos ao cinema ver "The Nun"

Imagem relacionada

 

Assim que soube que iria estrear em setembro, disse à minha filha.

Ela quis logo ir ver. O meu marido também.

Aproveitámos este domingo em que estávamos todos juntos para ir ao cinema.

 

Tínhamos receio que a sessão esgotasse, mas o que vale é que as pessoas, por norma, preferem ir aos shoppings, e não tanto para aquele cinema, por isso tivemos sorte.

Não sou muito fã deste género de filme, mas tinha visto em casa o The Conjuring - A Evocação, onde aparecia Valak e, sendo este filme passado antes, fiquei curiosa.

 

O flme está bem conseguido, ainda nos pregou uns quantos sustos, e a freira é realmente aterrorizante.

 

Tanto que, durante as filmagens de algumas cenas noturnas no castelo, um morcego invadiu uma das tendas onde se encontrava Bonnie Aarons, a atriz que dá vida à temível freira, e estava caracterizada como tal, e ficou tão atordoado com a visão que precisou de auxílio de um dos membros da equipa de efeitos visuais, para conseguir sair da tenda!

 

Às tantas, não sabemos que personagens são reais, ou apenas meras visões. 

Tudo começa com o suicídio de uma freira, num convento, na Roménia.

O Vaticano envia, então, um padre e uma noviça para investigarem o ocorrido, e garantir que o local ainda é sagrado. A ajudá-los, apenas um residente local que costuma levar mantimentos ao convento.

Apesar de a situação ser grave, e de o padre e a noviça ficarem entregues à sua sorte naquele local, existem cenas caricatas e engraçadas.

 

Pessoalmente, talvez porque não acredite muito nestas coisas dos demónios, espíritos malignos e exorcismos, prefiro filmes de terror baseados em algo mais real e actual.

 

 

Vício de Amor, de Patrícia Martins

 

 

Laura Barros é uma jovem frágil e vulnerável, que no passado se entregou ao vício das drogas mas, tomando consciência da sua situação, propôs, voluntariamente, internar-se numa clínica de desintoxicação.

Agora, tem uma oportunidade única de estágio como designer de moda, que poderá levá-la a ficar e trabalhar para a marca.

Para isso, muda-se para Itália, para casa da família do marido da irmã, onde é bem acolhida e mimada.

E é lá que se volta a reencontrar com Bruno Delatorre, por quem é apaixonada desde a primeira vez que se viram. Mas, será que ele sente o mesmo?

Será que poderão vir a ter qualquer tipo de relacionamento, sendo quase família?

Sendo ele um futebolista conhecido pela sua fama de mulherengo, e tendo uma namorada que já não o é, demasiado calculista e disposta a tudo para não o perder?  

Como lidará Laura com os ciúmes e a rejeição? Entregar-se-á aos mesmos vícios do passado, deitando tudo a perder?

 

Esta é uma história que nos mostra que existem pessoas que, apesar da fama e do dinheiro, podem continuar a ser humildes, honestas, correctas, sem se deixar deslumbrar, sem perder os seus valores.

Mostra-nos o poder de uma família unida, em que reina o amor e a compreensão, a verdade, por mais terrível que seja.

Essa união e esse apoio serão fundamentais para que, no final, se faça justiça e o amor triunfe.

 

Relativamente à construção da personagem da Laura, ela sai um pouco dos estereótipos a que estamos habituados.

A autora dá-nos a entender, por um lado, que o seu caminho até às drogas se deveu à falta de tempo que a mãe, tendo que sustentar os três filhos sozinhos e trabalhando de sol a sol, não lhe pôde dar, e por outro lado, que isso se deveu à superprotecção a que foi sujeita, por ser a mais nova, por parte dos irmãos.

Leva-nos também a crer que essa incursão no mundo das drogas se deveu à má influência do namorado que tinha na altura, e que a levou, inclusive, a prestar favores sexuais a amigos em troca de droga.

Na verdade, após a saída da clínica, e na actualidade, Laura continua a ser uma mulher insegura, frágil, vulnerável, influenciável, que parece não ter confiança em si, e que, à mínima contrariedade, dificuldade ou desilusão, se volta a refugiar nas drogas, e em homens que a usam, sem que ela ofereça muita resistência.

É, obviamente, uma mulher que precisa de ajuda, e que parece não estar ainda preparada para enfrentar o mundo e tomar as rédeas da sua vida sozinha, por muito adulta e responsável que queira parecer.

Não percebi, e acho que não acrescentou em nada à história, as duas entradas que surgem na história para a Lily, que tanto pode ser uma amiga real ou imaginária, como simplesmente um diário. Não sendo algo constante e seguindo alguma ordem cronológica, não faz qualquer sentido, podendo a mesma informação e intenção ser transmitidas de outra forma.

 

Confesso que, apesar da situação pela qual a Laura passou, e que é a realidade de muitos jovens na actualidade, não consegui criar empatia por ela, nem a considerei muito credível.

Mas as outras personagens apresentadas compensaram, pela sua personalidade e carácter.

 

Sinopse

Quando se nasce num dos bairros mais problemáticos de Lisboa, sonhar pode parecer algo inantingível, só a forte determinação e perseverança de Laura lhe permitem ir em busca do seu sonho.

Consegue terminar o curso de estilismo. Com a ajuda da família e graças ao talento nato dela, agarra a oportunidade que lhe surge e parte para Milão para fazer um estágio numa das mais prestigiadas marcas de roupa europeias.

É aí que a sua vida vai dar uma grande reviravolta. Vícios do passado voltam para assombrar o seu futuro promissor. A possibilidade de uma carreira em Itália fica arruinada e Laura vê o sonho de uma vida escapar-lhe entre os dedos.

Bruno Delatorre é um promissor astro do futebol, nascido numa das mais influentes famílias italianas, foi um jovem habituado a ter tudo o que sempre desejou. Quando conhece Laura a química entre ambos é imediata. Bruno sabe que não pode ceder ao seu desejo pois a jovem está proibida a ele. E quando ela chega a Itália determinada a conquistar o mundo, a convivência entre ambos faz renascer o desejo antigo.

O destino parece querer conspirar contra os dois e Bruno finalmente percebe que há coisas que o dinheiro não pode comprar, pois arrisca-se a perder o seu amor para sempre.

 

 

Autor: Patrícia Martins

Data de publicação: Julho de 2018

Número de páginas: 220

ISBN: 978-989-52-3564-3

Colecção: Viagens na Ficção

Género: Romance

Idioma: Pt

 

 

Resultado de imagem para chiado books

  • Blogs Portugal

  • BP