Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sonhos que davam filme

O Poder dos Sonhos

 

Ela estava a preparar-se.

Tinha vestido aquele casaco preto que comprara na Bershka.

As amigas concordaram que lhe ficava bem.

Iam à discoteca, celebrar o seu aniversário.

 

Entre os membros do grupo, estavam dois rapazes, que disputavam a sua atenção.

Ela gostava dos dois. Talvez de uma forma diferente de um deles. 

Mas não queria estar a arranjar mal entendidos, nem se chatear naquele dia.

 

E assim foram.

A música estava animada.

Ela dançou e cantou, feliz pela noite que estava a ter.

Teve a confirmação de que um dos rapazes seria sempre, e apenas, seu amigo. Ao mesmo tempo, começou a perceber os sentimentos a desabrochar, pelo outro.

 

Mas algo viria a ensombrar essa noite.

Ãlgumas das amigas começaram a sentir-se mal, e tiveram que abandonar a festa.

Em seguida, mais umas pessoas com os mesmos sintomas.

 

A noite estava a ficar estranha. Talvez fosse melhor ir embora.

Mas não sem, antes, a sua recém descoberta paixão a ter levado para um local menos movimentado, para lhe dar o primeiro beijo, como presente de aniversário.

 

Estavam, entretanto, a comentar como as pessoas pareciam ter sido drogadas, quando surge a polícia e, sem que nada o fizesse prever, levam-na para o carro, detida, deixando o suposto namorado para trás.

 

No caminho para a esquadra, e sem saber porque a tinham levado a ela, deparam-se com uma manifestação que impede o trânsito de fluir. Estão parados e ela vê nisso a oportunidade para escapar, assim a pessoa que a acompanha na parte de trás do carro colabore consigo.

 

Ao início, não tem muito sucesso mas, depois, acaba por a convencer a ajudá-la. 

E é assim que ela se escapa, e volta à discoteca, onde tudo aconteceu, para descobrir o que se passou, e porque a acusaram a ela, do que nem ela sabe.

 

À sua espera, ainda no mesmo sítio, está o namorado, que consegue, no momento em que o portão da garagem do edifício está prestes a fechar, entrar lá para dentro com ela.

O que irão descobrir, nunca se saberá porque, entretanto, acordei!

Mas deixo por conta da vossa imaginação