Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Vis a Vis: El Oasis, na Netflix

Vis a Vis, El Oasis: Todo sobre su esperado estreno | Minuto Colombia

 

Quando soube que iria haver este spin-off da famosa série, fiquei entusiasmada porque, de facto, era uma série da qual tinha gostado bastante, e queria ver mais.

Depois, veio a frustração, quando finalmente estreou, mas não estava disponível em Portugal.

Há umas semanas, recebi a tão esperada notícia de que o spin-off iria ser disponibilizado na Netflix Portugal, no mês de Abril.

 

E, agora que comecei a ver, total desilusão!

Não tem grande acção.

Cria ligações e situações forçadas, e vai repescar pessoas que já era suposto estarem enterradas.

A Zulema e a Maca, em vez de aprimorarem as suas habilidades, parece que perderam umas quantas fora da prisão. É o que acontece quando se fica muito tempo longe da escola!

 

Vis a Vis: El Oasis, vê-se.

Mas não tem nada a ver com as temporadas anteriores.

E não deixa saudades.

 

 

 

Uma Verdade Simples, de Jodi Picoult

Uma Verdade Simples

 

Katie é Amish.

Os Amish não são dados à violência.

Os amish não mentem.

os amish não matam...

 

Ainda assim, aparece um bebé morto no celeiro de uma família Amish.

Katie, que acabou de dar à luz, afirma com todas as letras que isso não aconteceu. Que nunca esteve grávida. Que não teve nenhum filho. Quando é óbvio que está a mentir.

E se Katie, que é Amish, mentiu, o que mais poderá ela ter feito?

 

Ellie é uma advogada que tem feito sucesso a defender criminosos. Ainda que as vítimas, injustiçadas, lhe apareçam depois no pensamento, para a atormentar.

Como ela própria diz, não se trata da verdade. Trata-se de contar a melhor história. Aquela em que o juiz ou os jurados irão acreditar, ainda que seja totalmente falsa.

E a defesa de Katie poderia ser mais um caso para o seu currículo.

 

No entanto, há uma coisa que Ellie quer ainda mais que o seu sucesso: ter filhos! E como poderá ela defender uma mãe que é acusada de matar o seu próprio filho? Alguém que, também ela, à partida, condena?

Como poderá ela defender alguém que lhe mente? Que lhe omite coisas? 

Como poderá Ellie defender alguém que não percebe que a justiça pela qual se rege a sua comunidade, não funciona da mesma forma nos tribunais?

 

Ainda assim, Ellie aceita o caso. E é obrigada a mudar-se para casa dos Fisher, contra a vontade destes, sujeitando-se ao seu modo de vida, ajudando nas tarefas, e ficando condicionada pelas imensas regras desta comunidade.

Uma comunidade onde algumas pessoas tendem a levar demasiado à risca os ensinamentos e leis, quando até os maiores responsáveis são, algumas vezes, mais permissivos em determinadas circunstâncias.

Uma comunidade de pessoas simples, que querem passar despercebidas. Onde é mais respeitável confessar os pecados, ainda que quem os confesse não os tenha cometido, do que negar e andar com desculpas.

 

Uma comunidade que parece disposta a apoiar Katie.

A jovem que esteve grávida e não contou a ninguém.

A jovem que deu à luz, e não disse a ninguém.

A jovem que traiu o seu namorado, já que este nunca poderia ser o pai do filho que espera.

A jovem que adormeceu com o seu filho nos braços, e acordou sem ele. E continuou a sua vida normal, como se nada fosse.

A jovem que teria muito a perder, se a verdade viesse à tona.

 

Mas, afinal, qual é a verdade?

A verdade, é uma verdade simples.

Que se vai descobrir no final.

Poderiam ser muitas outras. 

Mas é apenas aquela.

 

E agora, conseguirá Ellie a absolvição para Katie?

Ou será ela condenada à prisão?

 

 

Gostei desta história por ter vários ingredientes diferentes:

- o primeiro é conhecer um pouco da cultura dos Amish, e do seu modo de vida

- o segundo é uma abordagem ao estudo do Paranormal e dos ditos "fantasmas" que muitas pessoas dizem ver

- tem mistério

- tem também a parte jurídica, para quem gosta dos duelos entre acusação e defesa 

- e tem romance, como não poderia deixar de ser