Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

"A Dama Revelada", de Telma Monteiro Fernandes

(da série "As Encantadas")

61JHstBi8zS.jpg

 

Por norma, desconfiamos de, ou temos dificuldade em acreditar e compreender, tudo aquilo que, à partida, não tem uma explicação lógica ou credível.

Ainda que, por vezes, exista a dúvida, e tenhamos vontade de acreditar que tudo é real, logo uma outra parte de nós recusa terminantemente, porque, afinal, nada daquilo é possível, e não passa de ilusão ou fantasia.

Ou será que não?

 

Como acreditar que uma criança foi "condenada" a viver séculos no corpo de uma gata, para estar protegida?

Como acreditar que é possível reverter o feitiço?

Como acreditar que essa criança, agora mulher mas, na maior parte do tempo, felina, poderá vir a ter poderes sobrenaturais?

Que é filha de uma Deusa?

Que terá que lutar com outros seres tão ou mais poderosos que ela, que outrora aprisionaram a sua mãe, e querem agora eliminá-la do caminho?

Como acreditar que Ana, uma simples humana do século XXI, e D. Manuel, um rei de séculos passados, poderão ajudar Ussana a ter o seu corpo, a sua mãe, os seus poderes e a sua vida de volta?

E, sobretudo, como acreditar que os seus dois filhos, Pedro e Vasco, nascidos em pleno século XXI, têm uma ligação inesperada ao sobrenatural, e uma missão a cumprir nas suas vidas, relacionada com seres que nunca imaginaram existir?

Pois...

É complicado.

Mas o que é certo que que, só porque não conseguimos explicar, não quer dizer que não exista, ou não aconteça.

 

O que torna este livro, e o seu antecessor, tão fáceis de ler, e de se gostar é que, apesar de toda a fantasia que ambas as histórias têm, deixei tudo o resto falar mais alto e, depois, a fantasia é quase como o "papel de embrulho" no qual acabamos por nos deixar envolver, porque o que ele esconde vale a pena.

 

Em "A Dama Revelada", vamos descobrir quem é, verdadeiramente, a gata Dama, Ussana na forma humana, e qual o seu papel na vida de Ana e Manuel, bem como na dos seus filhos. Sobretudo, na de Pedro, por quem se irá apaixonar.

É um livro que mostra o poder do amor, da união, o verdadeiro sentido da palavra família. 

É um livro sobre coragem. Sobre desespero, que pode levar a actos loucos.

Sobre salvação. E segundas oportunidades. 

Mas também sobre telepatia. Sobre confiança. Sobre entrega.

Sobre paixão. E destino.

 

À medida que vamos lendo, e pelo que percebemos no final, apesar de todas as dificuldades e perigos pelas quais Ussana e Pedro passaram, nada se compara com o que aguarda Vasco, no terceiro livro desta colecção.

E que, claro, vou querer ler!