Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

O regresso ao trabalho

93425215_2826220144159939_8800004208406298624_o.jp

 

Foi molhado!

Aliás, parece que S. Pedro escolhe os dias em que vou trabalhar, para mandar tudo a que tenho direito.

Ao longo das últimas semanas, ia alternando o trabalho presencial, em alguns dias da semana, para fazer coisas que só podiam ser feitas no local de trabalho, e o teletrabalho, nos restantes dias.

Num desses dias em que fui trabalhar, choveu toda a tarde, até granizo, e trovejou até à noite!

Da minha janela, só via os relâmpagos a avisar que o que lhes seguiria. E até faltou, momentaneamente, a luz.

No último dia em que fui, já só chovia. A cântaros, a fazer jus ao ditado "Abril, águas mil".

 

Hoje, foi dia de regresso definitivo ao trabalho e, para me dar as boas vindas, mais chuva.

Espero que este regresso molhado seja prenúncio de regresso abençoado!

 

Detesto chuva!

Resultado de imagem para chuva

 

Que belo Verão de S. Martinho aqui está. A chuva não dá tréguas.

E eu detesto chuva.

 

São as janelas que não se podem abrir. É o chão da entrada que está sempre molhado, por conta de guarda-chuvas e casacos a pingar.

É a roupa que não se pode estender, e tem que secar na máquina.

 

É não poder andar na rua à vontade, sem levar com chuva. É o calçado que não está preparado para grandes chuvadas. As calçadas estragadas que acumulam poças de água e não sabemos onde pôr os pés. E o vento, que vem sempre a acompanhar.

Detesto chuva.

 

Principalmente, quando chove mesmo nos momentos em que temos que ir à rua. Quando chove sem parar, e sem dar sinal de querer parar.  

Quando temos que andar de guarda-chuva, e ainda esperar que os carros passem, para depois passarmos nós, porque não há espaço, ou porque nos arriscamos a um banho extra.

 

Detesto chuva

Sobretudo, quando sentimos que quase não conseguimos respirar.

E quando vem o nevoeiro, que ainda torna o ambiente mais pesado.

Detesto chuva, quando me deixa de mau humor, e me leva as boas energias com ela.

 

Gosto de chuva... quando estou em casa, à noite.

Quando sei que não tenho que sair para a rua.

Quando sei que vem um aguaceiro mas, depois, dali a pouco, o sol volta a aparecer e a dar tréguas.

 

Mas hoje, agora, não.

Estou com a neura, por conta dela.

E só me apetece mandá-la a um sítio que eu cá sei!

 

Já vos disse que detesto chuva?!

Nem sempre, mas hoje sim!

 

Há 3 dias de férias, e ainda não vi o sol!

Resultado de imagem para procura se o sol

 

Alguém o viu por aí?

É que aqui deste lado, estou há 3 dias de férias, e nem sinal dele!

 

 

Na segunda, encoberto e vento.

Ontem, chuva.

Hoje, novamente encoberto e um vento gélido.

 

 

Portanto, estou há 3 dias de férias e parece-me que, em vez de gastar protector solar, vamos esgotar o stock de bebidas quentes, sentadas no sofá, com uma mantinha e as gatas ao colo para nos aquecer.

Só falta mesmo a lareira!

 

Estava no outro dia alguém admirado por me ver com um casaco de inverno, quando eu lhe respondi: "Mas já chegou o verão? É que ainda não dei por ele!"

 

Acordar com a chuva a cair lá fora

Resultado de imagem para chuva

 

Foi assim hoje de manhã...

Acordei, ainda não eram 7 horas, e ouvi a chuva a cair lá fora.

A primeira chuva de outono!

 

Não apetecia levantar da cama, mas tinha que ser.

Ainda era de noite. As luzes acesas permitiam ver as pingas a cair no chão.

As gatas, que já não estavam habituadas ao som das gotas a bater nos telhados e beirais, estavam assustadas.

 

As luzes desligaram. Ficou escuro mas, aos poucos, começou a clarear. 

O céu estava todo cinzento, e a chuva continuava.

Não apetecia sair de casa. Era tão melhor ficar no nosso abrigo!

 

Mas é preciso ir trabalhar. É preciso ir para a escola.

Casaco da chuva e sapatos a substituir as sandálias que ainda ontem calçava, saí de casa já com sol, e um cheirinho bom no ar, deixado pela chuva que entretanto parou.

 

Temporariamente...

O sol é enganador, e já se veem mais nuvens negras no céu, a prometer mais chuva ao longo do dia.

Parece que, agora sim, stá oficialmente aberta a época do outono!