Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Será possível?!

Feitas as contas, e só por curiosidade, gastei ao longo deste ano, em livros para mim, a módica quantia de um pouco mais de 300 euros! Será possível?! Sim. E isto, tendo em conta que aproveitei muitas promoções e descontos!

A somar a este número, mais cerca de 200 euros em livros e dvd's para a minha filha! E é melhor nem contabilizar todo o material da Violetta (livros, revistas, e afins) que devem ir para um valor parecido.

Uau! Nem parece que estamos em crise. Mas, enfim, há quem gaste em roupas, em perfumes, em malas e sapatos, em mil e uma outras coisas. Eu gasto com livros! E estou feliz com as minhas aquisições!

Mas em 2015, vou ter que me conter. Mesmo, mesmo!

 

 

Os deste ano, foram estes:

- O Jogo de Ripper

- Uma Escolha por Amor

- Laços que Perduram

- As Palavras que Nunca te Direi

- Para Sir Phillip com Amor

- Nunca Digas Adeus

- Não Digas Nada

- Procuro-te

- Infância Roubada

- Fraturado

- És o Meu Destino

- Ligeiramente Escandalosa

- Uma História de Amor Eterno

- Nunca Me Esqueças

- Ligeiramente Perverso

- Grande Mulher

- Tornado

- Queda

- Armadilhas da Mente

- Mistérios do Sul

- O Diário da Nossa Paixão

- A Grande Revelação

- Um Refúgio para a Vida

 

com oferta de:

- Perdoa-me

- Tríptico

- Instruções para Salvar o Mundo

- A Lenda de Zorro

- A Luz que Brilha

- A Saga de Um Pensador

 

Perdoa-me...

...este livro inspira-me, e não sei se vou conseguir levar adiante a resolução de não comprar mais livros, enquanto não terminar as colecções que estou a fazer!
Sinopse
"O instante em que encontrou a mãe sem vida nunca se extinguirá da memória de Eva Patterson. Num bilhete, as suas últimas e enigmáticas palavras: Perdoa-me.
O mundo seguro de Eva ruiu naquele momento devastador. Mas o inesperado suicídio de Flora vai marcar apenas o início de uma sucessão de acontecimentos surpreendentes. No seu testamento, Flora deixa a Eva um estúdio em Londres. Este sítio é a primeira pista para o passado secreto de uma mulher que, Eva percebe agora, lhe é totalmente desconhecida.
No sótão do estúdio, a jovem encontra os diários e os quadros da mãe, provas de uma fulgurante carreira artística mantida em segredo. O que levou Flora a esconder tão fundo o seu passado? Ao aproximar-se da verdade, Eva descobre um crime tão chocante que a leva a questionar-se se alguma vez conseguirá, de facto, perdoar."

260 euros por mês em despesas de alimentação é muito?

As técnicas da Segurança Social acham que, para um agregado familiar composto por apenas duas pessoas, é muito dinheiro! Mesmo quando o termo "alimentação" se refere a todas aquelas despesas que temos mensalmente com alimentação, produtos de limpeza e higiene, e afins.

Se é possível reduzir este valor? É óbvio que sim! Temos é que nos privar de muitas coisas.

E com esforço até podemos gastar pouco ou nada. Basta não comprar, não comer, não beber, deixar tudo sujo e esperar que, uma vez em tão más condições, já possamos ter direito aos apoios que, de outra forma, não reunimos condições para receber.

Claro que, em alguns meses, se gasta mais que noutros - este valor é apenas uma média. Mas não nos podemos esquecer que as coisas estão cada vez mais caras e que, nem sempre, as promoções são naquelas que mais precisamos.

Ainda assim, parece que estamos na categoria de "gastadoras".

Por isso, vou ali poupar um bocadinho e já volto!...

 

 

 

Ainda dizem que o ensino é gratuito!

 

“No âmbito da escolaridade obrigatória o ensino é universal e gratuito. A gratuitidade abrange propinas, taxas e emolumentos relacionados com a matrícula, frequência escolar e certificação de aproveitamento, dispondo ainda os alunos de apoios no âmbito da acção social escolar. Os alunos em situação de carência, são beneficiários da concessão de apoios financeiros, na modalidade de bolsas de estudo.”

 

Pergunto-me eu: na prática, será que é realmente assim que funciona? E, se assim for, será suficiente?

O governo decide que os pais têm o dever de matricular os seus filhos, e de zelar para que cumpram a escolaridade obrigatória, até porque o ensino é gratuito!

A minha filha, que vai agora para o 3º ano, pertence ao 2º escalão da segurança social, o que lhe dá direito, no âmbito da acção social escolar, ao desconto de 50% do valor do almoço, e a um cheque a ser descontado na papelaria num curto prazo, em livros e material escolar, de cerca de 20 euros, que normalmente chega às minhas mãos muito depois do início das aulas, quando já tive que comprar tudo por minha conta e pouco ou nada mais preciso!

Isto quer dizer que, descontando esses 20 euros, tudo o resto tem que ser pago por mim! E ainda está só no 1º ciclo.

Segundo estudos efectuados, e falando apenas de manuais escolares, os gastos variam consideravelmente consoante o nível de ensino. Enquanto que no 1º ciclo do ensino básico, o valor ronda os 60 euros, no início do 2º ciclo do ensino básico o valor aumenta substancialmente, sendo o 7º ano o mais caro da escolaridade obrigatória, com uma despesa de mais de 300 euros. Daí em diante, os custos são ligeiramente mais reduzidos.

Tendo em conta que, por vezes, as famílias têm mais que um filho a seu cargo, não é difícil chegar à conclusão que, provavelmente, antes de pensarmos em planos poupança reforma, teremos antes que pensar em planos poupança educação!

Ou arriscamo-nos a que o ensino gratuito nos leve à falência!