Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Será a revelação dos segredos o fim da magia?

 

Ao longo de 5 programas, o famoso "mágico da máscara" foi revelando os mais ancestrais segredos da magia, quebrando o chamado "código dos mágicos"!

Quem me chamou a atenção para o programa foi a minha filha e, a partir daí, comecei a segui-lo todos os sábados.

Claro que estes truques agora explicados são apenas alguns de muitos que se praticam mas, logo da primeira vez que vi, pensei: "agora que todos sabemos como funciona e que tudo não passa de uma ilusão, já não tem graça assistir a estas exibições noutros espectáculos. Perdeu-se a magia."

Ou talvez não...Afinal, mesmos sabendo que o Pai Natal, a Fada dos Dentes e tantas outras personagens criadas não existem, ainda continuamos sob a influência da sua magia. Assim, o facto de sabermos como se fazem estes truques antigos pode-nos levar a tentar descobrir o segredo dos novos. 

O que é certo é que, admirado por alguns, e odiado por muitos, Val Valentino conseguiu causar polémica com esta decisão de revelar os segredos da magia.

Por mim, podia continuar!

Magia

 

Por vezes, somos envolvidos por uma espécie de magia, que não sabemos bem de onde veio, mas que nos faz sentir tão bem que não queremos que se vá embora!

Por vezes, sabe bem fechar os olhos, e deixarmo-nos guiar pelos nossos sentidos...

Há momentos em que sentimos total confiança em quem está ao nosso lado, para nos deixarmos cair nos seus braços sem medo de cair...

E como é bom sentir esta alegria, esta paz, esta segurança...

 

Paixão e amor

 

O que é, para mim, a paixão?

É um estado que se caracteriza, sobretudo, por atracção, inquietação, “cegueira”, “incapacidade” de pensar, euforia desmedida, corações palpitantes e sobressaltados, instintos, loucura, ansiedade…

Quando estamos apaixonados, o nosso pensamento foca-se única e exclusivamente naquela pessoa, muitas vezes descuidando tudo o resto que faz parte da nossa vida.

É maravilhoso, faz parte da vida apaixonarmo-nos, e vivermos esses momentos tão intensos, que nos fazem sentir vivos e desejados.

No entanto, são estados que, tal como um vírus, nos atacam de repente e por diversas vezes, mas que depressa se curam!

Isso não significa que uma paixão não possa evoluir para amor.

Já o amor, é um estado que se caracteriza, na minha opinião, pelo sossego, pelo acalmar dos corações, pela segurança, pela tranquilidade, pelo verdadeiro conhecimento mútuo, apreciando e vivendo de forma mais madura a relação…

Quando existe amor, existe confiança mútua, existe cumplicidade, existe respeito. Compartilhamos a vida, experiências pessoais, e o que de mais íntimo temos dentro de nós, assumindo um compromisso duradouro, respeitando o espaço e a liberdade de cada um.

Quando amamos, tornamo-nos altruístas. Todos os nossos gestos são despidos de qualquer intenção de sermos recompensados, de recebermos algo em troca pelo que fizemos.

Com o amor, percebemos que não existem pessoas perfeitas, mas aprendemos a respeitar e a aceitar a pessoa que está ao nosso lado, com todas as suas qualidades e defeitos.

Aprendemos que ninguém é igual a nós, mas que nos podemos enriquecer com essas diferenças.

O amor, é algo que se vai construindo – se os alicerces forem fortes, mantém-se intacto e resiste às intempéries! Se as bases forem fracas, pode desmoronar-se perante as adversidades da vida.

Amar não significa dedicarmo-nos única e exclusivamente a alguém, não significa dependermos totalmente desse alguém para sermos felizes.

Primeiro, é importante que cada um de nós se ame a si próprio, que já seja feliz, que se sinta bem consigo mesmo, e com tudo aquilo que já conquistou.

A partir daí, estaremos aptos para expandir essa capacidade de amar aos que nos estão mais próximos.

Se é complicado? Talvez seja, ou talvez sejam as pessoas que complicam.

Se exige muito de nós? É verdade, exige! Mas é sempre compensador!

Se o amor nasce e cresce por magia? Talvez seja mágico, mas se não for alimentado, se não for cuidado, se não colocarmos um novo pilar, uma nova peça a cada dia, se deixarmos que o acaso se encarregue de fazer o nosso trabalho, nenhuma magia o poderá salvar!

Retalhos do meu dia

Por aqui nada de novo.

Apenas dois textos, um sobre uma certa hipocrisia natalícia, e outro sobre encontros de ocasião (à falta de melhor título)!

O sol escondeu-se, o frio regressou, e a chuva ultima os preparativos para a sua entrada em cena!

É um dia em tons cinza, embora eu ainda tente visualizar as inúmeras cores que marcaram o dia de ontem.

Tal como o almoço no prato, aquele que não fiz (como que à espera de um truque de magia)! Vamos ver o que se arranja à pressa...

 

 

...Aqui vou eu para cima, de regresso ao trabalho.

No chão, uma dança de folhas em alegre rodopio!

Levanto a gola do meu casaco, para me aconchegar, e sigo viagem. As ruas estão desertas.

Sinto o cheiro que vem, trazido pelo vento, a castanhas assadas! Do assador que, desde Setembro, se instalou no centro da vila.

E cá estou eu, de novo enclausurada neste escritório, para mais 5 horas de serviço!

  • Blogs Portugal

  • BP