Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Duas conversas especiais a caminho

A rubrica "À Conversa com..." tinha ido de férias, mas fez esta semana um pausa para vos presentear com duas conversas especiais:

 

Amanhã - Marlene Alves Catanzaro - autora do livro "A História de Um Gato"

Sexta-feira - Maria Oliveira - autora de "Um Ano", "Um Ano II" e "Are You With Me"

 

Não percam, às 10h!

Há 3 semanas que Quantico recomeçou...

 

...e ninguém me disse nada!

Estava eu ontem a ver as gravações que tinha na box, para apagar o que não interessava quando, de repente, vejo gravações da série "Quantico" em Abril.

O quê? Estarei a ver bem? Pára tudo.

Último episódio gravado em Dezembro de 2015, e 3 novos episódios gravados em Abril deste ano (a 7, 14 e 21).

Finalmente! Quatro meses depois, lembraram-se de dar seguimento à série. Ao que parece, agora às quintas-feiras.

Continuo a achar um total absurdo a pausa que fizeram. Se tivesse terminado uma temporada, ainda se aceitava. Agora deixá-la a meio, deixar o público na expectativa, e fazê-lo esperar 4 meses, não se admite. Quem é que ainda se lembra de tudo o que deu antes, quem é que consegue seguir a história e o ritmo, sem ter que voltar um pouco atrás? 

Enfim, posso sempre ver o lado positivo: agora tenho 3 novos episódios para ver enquanto espero pelo desta semana, e posso vê-los seguidinhos, sem pausas ou interrupções!

O regresso de Adele

 

19, 21 e 25 são os álbuns gravados, até hoje, por esta cantora britânica, nascida há 27 anos em Tottenham, Londres.

Três idades diferentes, três fases distintas da sua vida, três álbuns com histórias e momentos distintos para contar. 

Influenciada, numa primeira fase, pelas Spice Girls e, mais tarde, por artistas como Mary J. Blige, Lauryn Hill ou as Destiny's Child, Adele começou a escrever o seu primeiro álbum aos 19 anos.

Depois de colocar algumas demos das suas músicas no My Space, conseguiu chamar a atenção da gravadora XL Recordings, com a qual assinou contrato para o lançamento deste seu primeiro álbum - 19, em 2008

21 é também uma referência à idade que tinha quando começou a escrever o álbum, que nos deu a conhecer melhor esta cantora, com hits como Rolling in The Deep, Someone Like You, Set Fire to The Rain ou Turning Tables, embora este só tenha sido lançado em 2011.

Adele fez, então, uma pausa, durante a qual foi submetida a uma cirurgia às cordas vocais, iniciou um novo relacionamento e experienciou a maternidade. Nestes quase 4 anos, Adele mudou o seu estilo de vida radicalmente, tendo emagrecido 30kg após enveredar por uma alimentação mais saudável, pondo a sua promissora carreira em segundo plano e dedicando-se ao seu companheiro e ao filho de ambos. 

O primeiro single do seu último álbum - 25, intitulado Hello, chegou este ano, tendo sido lançado em Outubro. Em entrevista a Rádio BBC, a cantora revelou que demorou tanto tempo para lançar este terceiro álbum porque, após ter feito um álbum sobre ser mãe, achou-o "chato", descartou-o por completo, e recomeçou do zero. Por outro lado, a falta de disponibilidade e de tempo livre também não ajudaram.

Mas Adele recuperou, aos poucos, o hábito de compor e nasceu, então, o álbum 25, que fala sobre conhecer a pessoa que ela se tornou sem o perceber, e sobre aquilo que ela quer ser daqui em diante. 

Devo dizer que adoro este primeiro single dela, mas acho-o com um estilo muito semelhante àquilo que ela fez no seu segundo álbum, com a mesma saudade, melancolia, tristeza...

Vamos ver como serão as restantes músicas mas, para já, gostei muito deste regresso da Adele!

 

 

 

 

 

 

Podem por favor fazer uma pausa...

 

..e não falar durante uns tempos de trails, maratonas, caminhadas e corridas?

É que tudo o que é demais enjoa e eu, que ainda nem sequer comecei a correr, já estou cansada de tanto ouvir falar destes assuntos.

Em casa, o meu marido está sempre a falar dos trails que gostava de fazer, das corridas em que se vai inscrever, dos sites que publicitam estas provas.

Parece que agora é moda toda a gente correr, toda a gente participar em provas, toda a gente escrever e falar sobre isso.

Toda a vida houve atletas e outras pessoas que fizeram e fazem da corrida um hobby, uma forma de estarem em forma sem gastar dinheiro, uma terapia. Mas não são esses que andam sempre a falar do assunto. Para esses é algo que faz parte da rotina, algo natural. Podem recomendar a esta ou aquela pessoa, incentivar, mas só isso.

Por outro lado, são muitos os novas adeptos desta modalidade que fazem questão de mostrar o que fazem, porque fazem, como, quando e onde fazem.

Às tantas, parece-me que as pessoas estão mais interessadas em mostrar que correm, do que na corrida propriamente dita. 

E até o termo mudou para uma palavra mais fashion - em vez de corrida, agora é running! Hoje em dia, em vez de as pessoas pegarem nuns ténis, num fato de treino, e saírem para a rua, vão agora também equipadas com telemóveis e outros equipamentos para registar por onde passaram, que tempo fizeram, os km que percorreram, etc. Há, inclusivé, programas para isso!

Acho um exagero! Mas como a moda está longe de passar de moda, podiam pelo menos fazer uma pequena pausa, e dar tempo de antena a outros assuntos? 

 

 

Férias de Outono?!

 

Quando li a notícia fiquei a pensar: "olha, que bela ideia!".

Depois, percebo que, aquilo a que chamam férias é, na realidade, uma pausa de 2 dias!

É esta medida que o Conselho das Escolas defende - que os alunos tenham uma pausa de 2 dias, a meio do primeiro período, tal como acontece noutros países europeus. Medida essa que já recomendou ao Ministério da Educação, para incluir no calendário escolar. 

Continuando, de qualquer forma, a haver as interrupções lectivas do Natal, Carnaval e Páscoa.

Mas, porquê esta medida? Porque o primeiro período é o mais extenso de todo o ano lectivo, com quase 3 meses de aulas. Assim, os alunos podem descansar, e as escolas fazer um balanço e decidir medidas de apoio aos alunos com dificuldades.

Tendo em conta a intenção da medida, e embora 2 dias sejam melhor que nada, penso que esta pausa deveria ser um bocadinho maior. Porque não uma semana?

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP