Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Perguntas inocentes que podem pôr o seu filho em risco

 

Já todos sabemos os perigos que se escondem na internet, e os riscos que as crianças correm ao utilizá-la, se não forem devidamente monitorizados ou controlados mas, ultimamente, tenho-me deparado com publicações, aparentemente, inocentes que, no entanto, podem fornecer informações importantíssimas.

Essas publicações surgem, normalmente, no facebook, através de grupos de raparigas ou rapazes, que provavelmente andam a estudar, na forma de perguntas que são normais, mas podem ocultar segundas intenções.

Algumas dessas perguntas que vi foram, por exemplo:

 

Qual é o teu tipo de cabelo?

Colocam uma imagem com diferentes formatos para eles escolherem o que lhes corresponde e dizerem nos comentários.

 

Qual é o formato do teu corpo?

Colocam uma imagem com várias formas diferentes, também para comentarem a que lhes corresponde.

 

O teu nome é o único da turma?

Também uma pergunta tão normal, mas nunca fiando. Informações sobre a turma e a escola podem chegar a mãos (olhos) erradas.

 

Que número de soutien vestes?

Novamente uma imagem com as mamas em diversas fases de crescimento, para as crianças escolherem.

 

E estas foram apenas algumas das publicações que apanhei. Decerto haverão mais, deste género ou semelhantes.

Uma coisa é os nossos filhos falarem destas coisas com os amigos/ amigas. Outra, é estarem a expôr-se desta forma na internet.

Acho aconselhável avisar as crianças para não comentarem nenhuma destas publicações. Por muito inocentes que possam ser (e talvez sejam mesmo só isso), podem vir a pôr os nossos filhos em risco!

Não copiem, sejam originais!

 

Primeiro surge a vontade de ter um blog.

Está na moda! A amiga X tem, o amigo Y tem, porque não ter um também?

Depois, nos primeiros tempos, há sempre muito para escrever mas, com o tempo, as ideias vão ficando escassas. Não sabemos onde pesquisar sobre aquilo que querermos falar. Ou, simplesmente, não temos nada para falar. Mas não se pode deixar o blog sem publicações, por isso, há que encontrar uma solução. 

Qual?

Andar de blog em blog e copiar aquilo que os outros escrevem!

Eu até entendo que um determinado blog tenha um post sobre aquele assunto que vocês queriam falar, ou que até nem queriam mas acharam que seria bom, mas por favor, não se limitem a copiar, como tenho visto em alguns por aí. Não se limitem a fazer copy/ paste.

Tenho a certeza de que com algumas palavras da vossa autoria, conseguem tornar um assunto igual, num texto ligeiramente diferente.

Mesmo quando colocam o link do blog de onde retiraram o texto (o que em alguns casos não acontece), isso só resulta em duas coisas, publicidade para o blog original, e descredibilização do vosso.

Por isso tentem, pelo menos, dar um toque pessoal às vossas publicações e, sempre que possível, ser originais! Não se esqueçam de que apenas umas palavras, uma opinião ou uma imagem distinta, podem fazer toda a diferença.

Os vossos leitores vão, de certeza, agradecer e valorizar a vossa dedicação e originalidade. 

 

Visitar um blog é como ir a uma esplanada!

 

Não acreditam?!

Descobrem uma esplanada de um qualquer estabelecimento, vão lá uma primeira vez e gostam dos produtos, da simpatia no atendimento, do espaço, e tudo o resto. Sempre que podem, voltam lá.

Da mesma forma, descobrem um blog, gostam e visitam com frequência.

Estando essa esplanada aberta ao público, tem sempre clientes. Uns dias mais, uns dias menos, dependendo da vontade e disponibilidade dos clientes. Das novidades, menus especiais e ofertas que o estabelecimento faça. Do estado do tempo. E de humor dos clientes. Muitas vezes nem há uma explicação concreta! Mas tem sempre clientela!

Assim são os blogs! Enquanto houver publicações com frequência e que chamem a atenção, tanto pela sua complexidade como pela simplicidade, por nos fazerem rir, lembrar de coisas que já nos aconteceram, por nos identificarmos com os autores e com o que escrevem, ou qualquer outro motivo. 

Também esses blogs vão tendo sempre as suas visitas, umas que já são da casa, outras que entram pela primeira vez.

Mas se um blog começar a publicar mais esporadicamente, ou estiver ausente por algum tempo, vê as suas visitas diminuirem, os visitantes perderem o interesse e virarem-se para outras paragens.

Se chegarem à vossa esplanada de sempre, e se depararem com ela fechada por tempo indeterminado, ou uns dias aberta, e outros fechada, começam a ficar aborrecidos, e a procurar outro sítio onde passarem alguns momentos agradáveis à conversa com os amigos, ou sozinhos. As primeiras vezes ainda vão passando lá, para ver se têm sorte. Mas acabam por desistir!

Não é assim, também, com os blogs?!