Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

À Conversa com Belarmino

Belarmino_Foto1.png

 

 

Também conhecido por BN, Belarmino frequenta o último ano do curso de Direito, mas a música tem vindo a acompanhá-lo.

Rapper por natureza, Belarmino desde cedo se dedicou à escrita, compondo todas as letras que canta, e mostrou a sua versatilidade, apostando numa fusão de estilos.

 

 

Belarmino - Diva.jpg

 

O primeiro álbum será editado em breve, e o single “Diva”, num registo reggaeton, poderá ser ouvido, a partir de hoje, nas plataformas digitais.

Belarmino conta-nos um pouco mais sobre a sua aventura no mundo da música, o novo álbum que aí vem, e projetos para o futuro!

 

 

 

 

 

Para quem não o conhece, quem é o Belarmino?

 

Belarmino é um jovem artista de nacionalidade angolana mas apaixonado por Coimbra, cidade portuguesa onde frequento o último ano do curso de Direito.

 

Como é que a música entrou na sua vida?

Quando conheci a minha mãe ela já integrava um grupo coral de uma igreja evangélica. O meu pai cantava todos os dias e tocava flauta e quando era pequeno ensinava-me canções e quando eu as aprendesse premiava-me. A minha mana Graça dirigia um coral na igreja supra referida, era uma igreja com mais de 500 membros e cantar lá era coisa muito séria, eu via a minha mana a treinar a voz e estava sempre a suportar o barulho dela, quando ela parava eu tentava fazer o mesmo. O meu mano Carlos também era muito amante de música mas era viciado em ouvir e tinha muitas cassetes, parecia mesmo DJ. Aos 10 anos juntamente com outros meninos do bairro fabricámos instrumentos de latas usando câmaras de pneus de carro, tocávamos pelas ruas do bairro e os outros meninos dançavam e cantavam connosco. Com isso desenvolvi alguns skills e aos 11 anos a minha irmã inscreveu-me na banda da igreja onde aprendi a tocar tambor e também flauta africana. Aos 14 anos o meu sobrinho, que tem a mesma idade que eu, passou-me o vírus do hip-hop, tal facto se deu numas férias de fim de ano no bairro chicala na Ilha de Luanda, onde fazia free style com os amigos, batles e rimavam em alguns beats americanos. Em 2002 comecei a ter noções sobre a cultura hip-hop com um amigo do meu primo que frequentava a casa quando se estavam a preparar para o exame de admissão para o curso de direito. Deu-me cd`s, cassetes de hip-hop e fez a primeira composição de linhas para eu treinar e foi com base naquelas linhas que a partir de 2003 comecei a escrever as próprias rimas e nunca mais parei. No mesmo ano gravei com a label Irmandade Hip-hop na província do Huambo.

 

O Direito é outra das suas paixões?

O direito é o curso que eu escolhi, por desde muito cedo ser uma pessoa apaixonada por discursos e por admirar pessoas que falam de leis e supostamente defensores dos direitos das pessoas.

 

 

No futuro, vê-se mais como uma pessoa ligada ao direito, que canta por prazer, quando lhe apetece, ou pretende dar prioridade à música, em detrimento do direito?

Se vou cantar ou exercer direito? Prefiro não excogitar e dizer o seguinte, o futuro a Deus pertence, vou optar por ser feliz, farei aquilo que me vai deixar feliz.

 

O Belarmino compõe todas as letras das músicas que canta. De onde vem a sua inspiração? Do que nos falam essas músicas?

Até hoje compus todas. Não me sinto pro, mas faço com muita facilidade as minhas composições e parece que estou sempre a ouvir novas melodias na minha cabeça. Perco o sono porque de repente me surgem melodias na cabeça... Quem ouve as minhas cenas sabe que já fui de compor rimas muito sérias mas estou numa fase de me apresentar como artista a um auditório um pouco mais amplo, daí ter decidido em fazer alguma descarga conteudística nas composições e posso afirmar que agora trago conteúdo de festa e amor. O álbum vai comportar também temas de esperança e superação.

 

“Diva” será o primeiro single a ser lançado. Quem é a sua maior “Diva”?

É uma homenagem a todas as mulheres, elas merecem e eu particularmente, devo muito às mulheres. A minha maior "Diva" chama-se Isabel Catarina, minha mãe.

 

E a nível musical, quem considera a grande diva das últimas décadas?

A nível musical, foi, é e será a senhora Celine Dion.

 

O que nos pode desvendar sobre o novo álbum que aí vem? Já tem alguma data prevista para o lançamento?

Só tenho a dizer que procurei fazer um álbum com uma musicalidade alegre e imprimi responsabilidade, foi sobretudo a pensar em quem o vai consumir.

O álbum está pronto, por isso é apenas uma questão de encontrar o timing certo. Talvez em Setembro...

 

Quais são as suas expectativas em relação ao mesmo, e à sua aceitação por parte do público?

Relativamente as expectativas, devo ser humilde em dizer que este é um álbum para me apresentar. Hoje em dia o fazer chegar a música ao publico alvo depende de muitos condicionalismos e o mercado já tem gigantes, vamos é no entanto trabalhar para que o produto seja apresentado ao publico alvo e este se gostar vai também ajudar na divulgação.

 

O Belarmino é um rapper por natureza. No entanto, o novo single “Diva” é mais um estilo reggaeton. Quais são as principais diferenças entre estes dois estilos?

Olha! conheço muito pouco sobre o reggaeton, gosto dos vídeos e do ritmo mas não quero andar a nadar nesse rio, até porque tem as suas particularidades e não é cuspir umas rimas num beat de reggaeton que vou me sentir dentro da cena propriamente dita. É um estilo com fortes influências dos estilos latino-americanos e acho que é a mainstream da musicalidade de lá, mas sei também que muitos fazedores são mesmo rappers. RAP é um estilo dentro da cultura hip-hop (Rhythm And Poetry), é um discurso ritmado e rimado, mas dentro da cultura hip-hop este identifica-se com um ritmo próprio e maleável, daí vermos os rappers a poderem enquadrar-se noutros estilos musicais com certa facilidade e tal como acontece com o guetto-zouk, acontece também com o reggaeton.

 

Neste novo álbum estará patente esta versatilidade de estilos?

No álbum estará sim, patente a versatilidade.

 

Onde vamos poder ouvir o Belarmino nos próximos meses?

Durante os próximos meses vão poder ouvir Belarmino um pouco pelo país em vários eventos já agendados, nas plataformas de streaming como o Spotify e o Youtube e claro, através do iTunes e das mais variadas lojas digitais, comprando a musica! ;)

 

Muito obrigada!

 

 

Nota: Esta conversa teve o apoio da editora Farol Música, a qual cedeu também a imagem.

 

  • Blogs Portugal

  • BP