Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

À Conversa com os Karmafly

karmafly foto promo.jpg

 

Karmafly é uma banda do Porto, nascida a partir da junção de várias influências musicais e culturais, com base no Soul, Hip-Hop e R’n’B.
BLANKET, o álbum de estreia, disponível desde o passado dia 31 de maio, resulta de toda essa fusão.

 

Para ficarem a conhecer melhor a banda e este primeiro trabalham que apresentam ao público, aqui fica a entrevista:

 

 

 

 

 

 

Quem são os Karmafly?

 Os Karmafly são a Soraia Neves, o João Ribeiro e o Ricardo de Barros.

 

 

De que forma é que a música vos juntou? Pode-se dizer que foi “karma”?!

Acho que sim! Pode se dizer que foi Karma.

Começou com uma mensagem do João para mim , mas precisávamos de mais uma pessoa, então, sem saber, estávamos a falar do mesmo guitarrista - o Ricardo.

 

 

Quais são as vossas principais referências a nível musical?

As nossas referências passam por vários estilos musicais. Cada um de nós tem o seu próprio estilo. As nossas referências passam por hip-hop, r&b, soul , inspirações de artistas como Erykah Badu, D’Angelo, FKJ, Tom Mish, New Max-Phalasolo, The Roots etc...

 

 

Já tinham participado noutros projetos musicais, ou os Karmafly são uma estreia para os três?

Sim, cada um de nós já tinha participado noutros projectos.

 

 

 

 

 

 

“Blanket” é o vosso primeiro álbum, editado em formato digital a 31 de maio. Que feedback têm recebido por parte do público que já teve oportunidade de o ouvir?

O Feedback tem sido muito bom muito positivo, estamos muito felizes pelas opiniões que temos recebido.

 

 

 

 

 

Sobre o que falam as vossas músicas?

As músicas falam muito sobre vivências, relações passadas, boas, outras nem tanto, que marcaram e permitiram que hoje escrevesse sobre isso.

 

 

De que forma pretendem diferenciar-se de outros projectos já existentes, e conquistar o vosso lugar no panorama musical?

Em primeiro lugar podemos dizer que este álbum não se foca num único estilo. Mostramos sempre quem somos nas músicas, o que é Karmafly, mas os estilos são muito variados . O que faz com que chegue a diferentes públicos.

Achamos ser importante essa diversidade na música.

 

 

Por onde vão andar os Karmafly a apresentar este álbum, nos próximos meses?

Temos o nosso primeiro concerto de lançamento no dia 5 de Julho no Porto, na fábrica de cerveja Nortada. Para além deste concerto estamos em negociações para ações de promoção.

 

 

De que forma é que o público vos pode ir acompanhando?

Podem acompanhar-nos no Facebook “Karmafly”, na nossa página de instagram “the.karmafly”.

Estamos também no Spotify, ITunes e YouTube.

Todo o nosso álbum está disponível nestas plataformas.

 

 

Quais são os objectivos que querem concretizar, a nível musical, ainda em 2019? E no futuro?

Para já, um dos primeiros é darmos um bom concerto. Agradar quem nos está a ouvir porque o passa-palavra é realmente importante nesta fase inicial.

Ouvir as nossas músicas nas rádios é também um grande objectivo a conseguir.

Um outro, e importante, são festivais, queremos Karmafly a tocar em eventos onde as pessoas vão propositadamente para ouvir música. Boa música!

 

 

Muito obrigada!

 

 

Nota: Esta conversa teve o apoio da editora Farol Música, a qual cedeu também as imagens e o vídeo.

 

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 1 comentário

    Comentar post