Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

À Conversa com Ricardo Daniel e Tiago Barbosa

capa feliz natal lobo mau.jpg

 

 

O Natal já passou, mas os convidados de hoje trazem-nos o seu presente na forma de entrevista!

Fiquem com o Ricardo Daniel e o Tiago Barbosa: 

 

 

 

 

k15771734.jpg

 

 

Para quem não vos conhece, que são o Ricardo e o Tiago?

Tiago: Somos os dois professores, músicos (o Ricardo é baterista e o Tiago é cantor e teclista), compositores, letristas e produtores e além deste projecto partilhamos mais dois: a banda Cambraia e a Associação Revolution Art.

 

 

De que forma é que vivem esta quadra do Natal?

Tiago: Acreditamos na magia do Natal desde crianças e continuamos a acreditar e a ser crianças. É sempre um momento de revermos entes queridos de quem estamos afastados durante o resto do ano e é sempre bom matar saudades.

 

 

Como surgiu a ideia do musical “Feliz Natal Lobo Mau”?

Ricardo: Eu tomei conhecimento do livro com o mesmo título e propus à autora transformá-lo numa peça de teatro cantada, o que foi aceite com entusiasmo.

Reuni com o Tiago e com a Maria Ramires (presidente da nossa Associação Revolution Art) e decidimos avançar com o projecto: eu faria a adaptação do texto e as letras das canções bem como a programação e gravação das percussões e o Tiago comporia e gravaria os restantes instrumentos e a voz.

Entretanto aceitámos o desafio da Câmara Municipal de Almada para estrearmos o espectáculo na festa de lançamento do Natal de Almada em que se acendem todas as luzes de Natal da cidade na presença de centenas de crianças e suas famílias.

Propositadamente, acrescentámos um refrão na canção com que termina a peça e que diz “Lá para fora a ver as luzes de Natal!”, e acabámos todos na rua mesmo. Foi muito giro. Foi um sucesso.

 

 

Este foi a vossa primeira experiência em musicais, nomeadamente, infantis?

Ricardo: Sim, a primeira de muitas, esperamos nós. Já trabalhámos em composição e gravação de música e locução em audio books para crianças mas nunca tínhamos levado nada a palco. Gostámos muito e queremos mais.

 

 

Na vossa opinião, até os “lobos maus” da vida têm direito a um Feliz Natal?

Tiago: Claro que sim. Na verdade, todo o ser humano tem um pouco de lobo mau e também de Pai Natal. Temos é que nos esforçar para que o lobo só apareça muito de vez em quando.

 

 

A história do musical é agora apresentada em disco, numa espécie de história cantada. Porquê só agora, um ano depois, o lançamento deste álbum?

Tiago: A Ada Domingos, da Farol, está sempre muito atenta ao que vamos fazendo e já trabalha connosco há algum tempo com a nossa banda, os Cambraia. Assim que soube do “Feliz Natal, Lobo Mau” desafiou-nos logo para que gravássemos tudo para que todas as crianças do mundo pudessem ter acesso à história e às canções, mesmo que não possam ver o espectáculo. E assim nasceu o disco, que gravámos no nosso estúdio na Revolution Art, na Sobreda de Caparica, Almada.

 

 

O disco tem músicas novas, que não fizeram parte do musical?

Ricardo: Não. O texto e as canções do espectáculo foram gravadas integralmente. É como se estivessem a ver o espectáculo, podem facilmente imaginar. 8 - Neste trabalho contam com a participação de José Coelho e Mila Belo. Como surgiram essas colaborações? Ricardo: A Mila Belo é uma amiga, cantora e actriz que conheço há muitos anos e com quem já tinha trabalhado e gravou a parte da narradora, o Tiago ficou de descobrir um lobo mas trouxe um coelho: o José Coelho fez de lobo mau no palco e no disco. Agradecemos muito aos dois.

 

 

“Quem é o Pai Natal” é o single de apresentação. Na vossa vida, já encarnaram alguma vez esse papel?

Tiago: Eu já trabalhei num centro comercial vestido de Pai Natal. Numa peça foi a primeira vez que o fiz. O Ricardo só faz de Pai Natal para a filhota dele, que eu saiba. Mas que fique claro: nenhum de nós é, realmente, o verdadeiro e único Pai Natal. Esse só tem tempo para um palco: o mundo inteiro.

 

 

O álbum foi lançado a 30 de novembro. Que feedback têm recebido relativamente ao mesmo?

Tiago: Ainda é cedo para saber, mas os primeiros tempos têm corrido bem, as crianças ouvem e cantam as canções o dia inteiro, deixando por vezes os pais à beira de um ataque de nervos. Parece-nos um belo feedback.

 

 

E para 2019, já têm algum novo projeto em mente?

Ricardo: Em 2019, para já, queremos levar o “Feliz Natal, Lobo Mau” às escolas. Temos um outro projecto de Natal em mente há algum tempo, mas esse já exige outros meios de produção e outra escala. Quem sabe se não se realizará já em 2019? Vamos ver. Em nome da Revolution Art, desejamos um grande 2019 a todos e que a magia do Natal possa durar todo o ano. Até breve e muito obrigado por nos ajudarem a espalhar a nossa música pelo mundo.

 

 

Muito obrigada a ambos, e um Feliz 2019!

 

 

 

Nota: Esta conversa teve o apoio da editora Farol Música, a qual cedeu também as imagens.

  • Blogs Portugal

  • BP

  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.