Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

A "matemática" das aulas de compensação

Como já tinha referido num texto anterior, a turma da minha filha foi obrigada a frequentar, sob pena de falta injustificada, as aulas de compensação da disciplina de matemática propostas pela direcção da escola, para colmatar as duas semanas que estiveram sem professora, no início do ano lectivo.

Uma aula por semana, durante oito semanas (ou seja, ao longo de todo este segundo período), no último tempo do dia mais preenchido do horário da turma. Os pais manifestaram-se contra esta medida no horário em que foi proposto. 

O director de turma explicou que podíamos fazer uma exposição mas que, provavelmente, não haveria outra solução.

Entretanto, em conversa com a representante dos encarregados de educação, que está a tentar resolver da melhor forma o problema, fiquei a saber que a directora compreende, mas é complicado, porque os professores das diversas disciplinas, com todas as turmas que têm e os apoios, estão com o horário totalmente preenchido, e tiveram que contratar mais professores para estas aulas extras.

Sim, a turma vai ter aulas de matemática e apoio ao estudo a matemática com a professora que já têm, e aulas de compensação de matemática com uma outra professora, contratada para o efeito!

No início do ano, quando era importante, não conseguiram (ou não quiseram) colocar um professor em horário normal, a substituir outro que estava ausente, mas agora, a meio do ano, e a sobrecarregar os alunos já podem?! 

Claro, no início do ano lectivo ainda não tinham professores, ainda andavam às voltas com os concursos e a colocação de professores, a corrigir erros cometidos e pouco interessados nos alunos. Mas há que ficar bem na fotografia e, como é óbvio, encontraram maneira de calar aqueles que reclamavam dos atrasos e da falta de professores nas escolas.

E assim se sairam com esta (e outras) ideias brilhantes para comprovar que, no final, todos os alunos terão tido o mesmo número de aulas, e terão aprendido a mesma matéria não ficando, de modo algum, prejudicados! 

A mim quer-me parecer que quem precisava de umas aulinhas de compensação de matemática eram os responsáveis pela educação no nosso país! 

Ora vejamos:

   matemática a duplicar ou a triplicar

+ aulas ao final da tarde num dia já de si sobrecarregado

+ duas professoras para a mesma disciplina

= desinteresse (ainda maior), cansaço mental, poucas ou nenhumas melhoras práticas nos resultados

 

Se se preocupassem mais em:

   ter tudo organizado e preparado para um início de ano lectivo sem incidentes

+ procurar que os professores ensinassem de facto aos alunos, e os cativassem, em vez de se limitarem a despejar matéria porque lhes são exigidas determinadas metas

+ sobrecarregar menos os alunos, quer em termos de disciplinas, quer em termos de horário e trabalhos de casa

+ ter apenas um único professor a ensinar uma disciplina, e a dar apoio, caso seja necessário

= alunos mais motivados, mais receptivos, mais atentos, menos esgotados = melhoria geral dos resultados, e todos os envolvidos satisfeitos! 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 9 comentários

    Comentar post