Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

De Junho para Julho, nada mudou

800x532_760eeb218608621a5c36aea9e3c4bc2f.png

 

Terminou Junho. Chegou Julho.

Mas, por aqui, os dias continuam iguais.

Casa/ trabalho, e trabalho/casa.

Inverno de manhã, com direito a nevoeiro e chuviscos. Primavera a meio do dia, com o sol a brilhar por entre as nuvens. Outono ao final do dia, com o vento a fazer-nos chegar depressa a casa, e aconchegarmo-nos com uma manta e uma bebida quente.

Até o verão tem receio de marcar presença.

E fazia-nos tanta falta, para aquecer a alma e o coração, que já começa a congelar, depois de quase meio ano de tempestade. 

Para nos dar esperança. Ânimo. E força.

Antes que chegue, de novo, o outono, e nos pareça que foi um ano mutilado, incompleto, um ano que não se aproveitou, um ano que queremos apagar da memória, ainda que fique, para sempre, na História.

 

 

 

 

 

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 03.07.2020 16:34

    Ou então, considerando que há (muito) mais país para lá de Lisboa e arredores, pode ser em tantos outros locais do nosso Portugal.

    Sobre o assunto em causa, há que ter esperança e espírito positivo. Tiramos o melhor que podemos de todas as situações...
  • Imagem de perfil

    marta-omeucanto 03.07.2020 16:58

    Acho que, por toda a situação que estamos a viver, o verão, para muitos de nós, tal como a primavera, vai-nos passar um pouco ao lado, por conta do receio, das limitações.
    Com o número de casos a aumentar, à medida que as pessoas, já fartas do coronavírus, do confinamento, das medidas, vão começando a esquecer os cuidados que tiveram antes, o que resta do ano não se prevê muito ensolarado. São várias as nuvens de incerteza que pairam sobre nós.
    Mas sinto falta, já que tudo o resto é uma incógnita, e para desanuviar destes últimos meses, de sol, de calor, de saber que, apesar de tudo, ainda existe alguma normalidade, neste ano anormal. Embora por aqui este tempo frio seja a regra!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.