Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Escrito na Água, de Paula Hawkins

Foto de Marta E André Ferreira.

 

Confesso que as primeiras páginas deste livro não me entusiasmaram.

É preciso alguma atenção, porque são muitas as personagens apresentadas, e que parecem não ter qualquer relação entre si, nem com a história em si.

Tudo gira em torno do "poço das afogadas", um local onde já várias mulheres perderam a vida, em circunstâncias que ninguém parece saber, ou querer, explicar.

Nel andava a investigar, por sua conta, todas as histórias. Mas queria fazer a sua pópria versão das mesmas. O seu trabalho incomodava quase todos os que ali viviam. Até ao dia em que, também ela, aparece morta no rio.

Nickie, que todos consideram uma velha louca, pode ser a única a saber a verdade. Fala com os mortos, ouve-os, sabe como tudo aconteceu. Mas ninguém lhe dá ouvidos. Por isso, ela fica calada. Ou talvez tenha contado a Nel, antes de ela morrer...

Numa história em que todos parecem suspeitos, ou ter motivos para acabar com a vida de Nel, só no final se vai descobrir quem o fez, embora antes disso se comece a revelar o mistério.

O que mais me agradou nesta história foi, decididamente, o final que a autora lhe deu!

Depois de imaginar a cena que pensava ser a verdadeira, fiquei mesmo surpresa e a pensar "A sério? Tão simples quanto isso?" 

 

 

SINOPSE

"Nel vivia obcecada com as mortes no rio. O rio que atravessava aquela vila já levara a vida a demasiadas mulheres ao longo dos tempos, incluindo, recentemente, a melhor amiga da sua filha. Desde então, Nel vivia ainda mais determinada a encontrar respostas.

Agora, é ela que aparece morta. Sem vestígios de crime, tudo aponta para que Nel se tenha suicidado no rio. Mas poucos dias antes da sua morte, ela deixara uma mensagem à irmã, Jules, num tom de voz urgente e assustado. Estaria Nel a temer pela sua vida?

Que segredos escondem aquelas águas? Para descobrir a verdade, Jules ver-se-á forçada a enfrentar recordações e medos terríveis há muito submersos naquele rio de águas calmas, que a morte da irmã vem trazer à superfície.
Um livro profundamente original e surpreendente sobre as formas devastadoras que o passado encontra para voltar a assombrar-nos no presente." 

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 5 comentários

  • Imagem de perfil

    marta-omeucanto 05.07.2017 11:35

    Acho que irá gostar :)
  • Sem imagem de perfil

    Teresa Ricardo 05.07.2017 11:50

    Antes desse estou a acabar um que tinha lá emprestado do Nicholas Spark, mas agora tenho que o ler mesmo. Não porque me pediram mas eu é que quero. Entretanto li a trilogia da Lesley Pearse - Sonhos proibidos, Promessa, És o meu destino - e mais outro dela - De amor e sangue. Tenho ainda outro dela que mo emprestaram - Perdoa-me - e a seguir ou antes é esse "Escrito a água". Muitos projetos mas agora vamos lá a ver o tempo. Também tem a ver com o nosso estado de espírito, digo eu de que...não acha Marta?
  • Imagem de perfil

    marta-omeucanto 05.07.2017 11:55

    Da Lesley Pearse, tenho há meses o És o Meu Destino e o De Amor e Sangue em casa, e não peguei neles ainda. O Perdoa-me já li, e é muito bom, à semelhança de todos os livros desta autora.
  • Sem imagem de perfil

    Teresa Ricardo 05.07.2017 12:09

    Nem mais "tem que ser" e tem muita força. Esta escritora escreve e nem se dá conta que passamos as páginas. Confeço que tenho uma lista de livros do autor Ken Follet. Lá está acho que estou numa fase em que me apetece ler coisas sobre I e II guerra, o livro Diário de Mary Berg. Já li os da Anne Frank - O diário de .... e os 8 últimos messes de ... - também bem escrito. A autora Isabel Allende é muito descritiva e muito pouco desenvencilhada na descrição - O Retrato de Sépia - mas não deixa de ter graça. Bjs e boas leituras. Se calhar macei-a mas adoooro falar de livros, o que eu acho e não acho. Quando acabar de ler o livro que tenho em mãos hei de comentar no meu blog. Agora é que e bjs.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.