Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Mister simpatia do Lidl de Mafra

 

Se há coisa que detesto são funcionários que se não sabem lidar com os clientes. E no Lidl de Mafra temos um que se acha superior só porque o devem ter promovido à categoria seguinte e já não é apenas um mero funcionário. E que deve ter uma vida terrível, porque este a que já apelidei de "mister simpatia", estava sempre com umas trombas que parece que todos lhe devem, e ninguém lhe paga!

Não é raro vê-lo por ali nos corredores a verificar o que é preciso repôr ou não, a arrumar caixas e ajeitar outras, para mostrar serviço, como se fosse um funcionário extremamente eficiente. Mas quando chega à parte da fala com os clientes, a eficiência evapora-se, e os bons modos e a simpatia ficam no bolso.

Nem de propósito, e por já saber como é que ele é, não esperava outra coisa mas, como era o único que ali estava, fui perguntar-lhe na mesma se tinham croissants de brioche em armazém, porque os que estavam à venda tinham acabado.

Respondeu-me logo com ar de poucos amigos que devia haver mas tinha que esperar porque a colega devia ter posto agora a descongelar. Perguntei se sabia mais ou menos quanto tempo demoraria. Não sabia, disse-me para perguntar à colega que estava encarregue disso, que deveria sair (sabe-se lá quando) pela porta do armazém.

Agradeci-lhe, e fiquei por ali a fazer o resto das compras, até que avistei a dita funcionária. Uma diferença da noite para o dia. Informou-me que ainda estavam congelados mas que, se quisesse, os poderia levar assim. Como lhe disse que não havia problema, perguntou quantos queria, foi buscar o saco, colocou-os lá dentro e foi entregar-me.

E ainda me surpreendi na caixa quando uma cliente que estava à minha frente com um carrinho enorme de compras, me perguntou se eu queria passar à frente, apesar de eu não ter apenas duas ou três coisas.

Isto só prova que andam por aí algumas almas perdidas, mas o mundo ainda não o está completamente!

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 2 comentários

    Comentar post