Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

O Guardião das Causas Perdidas

 

 

Depois de ter visto uma comédia romântica, andava à procura de outro filme do género para ver, quando "tropeço" com este "O Guardião das Causas Perdidas", cujo trailer já tinha visto há uns meses e me interessou.

Por isso, nem procurei mais e embarquei neste filme, apesar de não gostar muito de filmes que não sejam falados em inglês. Não me desapontou.

Tem algumas cenas não aconselháveis a pessoas sensíveis (eu incluída). Logo no início, três detectives entram numa casa, por insistência de um deles, que não quis esperar pelos reforços. Um deles perde a vida, outro fica acamado, e o terceiro, o detective Carl Mørck, é afastado da secção de homicídios e transferido para um novo departamento, o Departamento Q.

Carl é conhecido por ser uma pessoa temperamental, e pelo seu mau feitio e incapacidade para sorrir, agravados pelo abandono da sua mulher, pela recente morte do seu parceiro, e pelo facto de se sentir responsável pela situação do amigo, que ficou inválido.

Agora, vê-se atirado para um departamento que tem como objectivo rever casos arquivados nos últimos 20 anos, tendo como única companhia um peculiar assistente, Assad. A ideia é olhar para os casos, elaborar um relatório, e voltar a arquivá-los.

Mas Carl vai fazer muito mais que isso. Ao analisar o caso de uma deputada desaparecida e que, aparentemente, se suicidou, Carl e Assad vão seguir novas pistas que poderão revelar uma outra verdade, muito mais aterradora. 

Ao longo do filme vamos vendo as cenas actuais da investigação, e as cenas do que realmente aconteceu a Merete Lynggaard.

O que posso retirar deste filme?

Carl pode ter um mau feitio que ninguém atura, mas é um excelente profissional e segue o seu instinto, muitas vezes contra a vontade dos seus superiores, até mesmo depois de suspenso. É graças à persistência e teimosia dele que a vida de Merete é salva da morte certa.

Os verdadeiros amigos dizem aquilo que não queremos ouvir, mostram-nos aquilo que não queremos ver, e tornam o nosso mundo um pouco melhor. Carl não estava habituado a trabalhar com alguém que não os seus parceiros (os únicos que o aturavam), mas Assad vai mostrar que nem tudo está perdido. A lealdade vai estar presente nesta relação improvável. Por outro lado, quando Carl já estava disposto a desistir, o seu amigo e antigo parceiro pede-lhe para seguir aquilo que ele é, porque é o que ele faz melhor. E que não o desiluda. É assim que Carl recupera a coragem e garra para ir contra todas as regras, e salvar Merete.

Um acontecimento traumatizante pode mudar para sempre a vida de alguém, e transformar essa pessoa naquilo que será em adulto. Este filme mostra como a morte do pai e da irmã, devido a um acidente de viação provocado, de forma não intencional, por uma criança num outro carro, vai transformar um menino como tantos outros, num homem vingativo e psicopata. Porquê? Porque este menino vai ser retirado à mãe, vai para uma família adoptiva onde será abusado, fugindo assim que pode. Vai então para um orfanato onde, para defender um amigo, vai começar a mostrar os primeiros sinais de revolta e violência extrema. 

Outra das vítimas desse acidente, foi o irmão de Merete, que sofre desde essa altura de problemas mentais. Mas, se não é fácil lidar com uma pessoa deficiente, também não é impossível. É uma pessoa como qualquer outra que, apesar das suas limitações, também brinca, sorri, sofre, tem medo. Com algum tacto, e compreensão, é possível chegar até ele.

Mas, afinal, o que aconteceu a Merete?

Foi raptada, e ficou fechada numa câmara hiperbárica durante 5 anos! 5 insuportáveis anos durante os quais ela podia ter, simplesmente, desistido. Mas não o fez! Tentou o quanto pode manter-se consciente, e acreditar que um dia iria sair dali, e libertar-se daquele monstro. 

Graças a Carl, ela sobrevive. E poderá voltar para junto do irmão. Mas as consequências desse cativeiro em condições extremas, essas vão ficar para sempre. E nós só podemos imaginar...

 

  • Blogs Portugal

  • BP

  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.