Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Os Segredos de Gray Mountain, de John Grisham

Resultado de imagem para os segredos de gray mountain

 

 

SINOPSE

"Samantha Kofer tem uma promissora carreira numa grande firma de advogados de Wall Street, até que chega a recessão e ela é dispensada. Mas Samantha é uma das afortunadas. Oferecem-lhe a oportunidade de trabalhar pro bono numa organização de assistência jurídica durante um ano, ao fim do qual existe uma ligeiríssima oportunidade de ela recuperar o antigo emprego. 

Em poucos dias, Samantha sai de Manhattan para Brady, na Virgínia, 2200 pessoas como população, no coração dos Apalaches, um lugar que ela só conhece dos livros. Mattie Wyatt, responsável pela organização, está lá para a ensinar a «ajudar pessoas reais, com problemas reais». Pela primeira vez na vida, Samantha enfrenta uma sala de tribunal por dentro, é repreendida por um juiz e é alvo da desconfiança da população, que não vê com bons olhos a presença ali de uma arrogante da grande cidade. E descobre que Brady, como todas as cidades pequenas, esconde grandes segredos.

O seu novo trabalho leva-a ao mundo perigoso das minas de carvão, onde a lei é violada, os regulamentos ignorados, as comunidades divididas e a própria terra está a ser atacada pela Big Coal. A violência está ao virar da esquina e dentro de semanas Samantha dá por si num litígio que acabará por se revelar fatal…"

 

 

Parece promissor, não parece?

Não me recordo se comprei este livro, ou se o recebi de oferta, na compra de outros, mas depois de o ter lido percebi que prometia muito, e cumpriu pouco. E perguntei-me até, para que teria o autor escrito este livro? É que só se justifica, se houver uma continuação.

 

 

Temos uma advogada que passa toda a história dividida.

Dividida entre ficar em Brady e tentar ajudar as pessoas que realmente precisam de ver os seus direitos defendidos, e a vida na grande cidade, com um trabalho que não a cativa.

Dividida entre envolver-se numa futura acção, em que os métodos para obtenção de provas nem sempre são legais, e podem ameaçar a sua vida, ou ficar de fora, fingir que não sabe de nada e seguir a sua vida calmamente.

Dividida entre deixar-se envolver por Jeff (já que o irmão deste, Donovan, está morto), ou afastar-se dele.

 

 

Temos um advogado de barra que não tem qualquer pudor em recorrer a métodos menos convencionais para conseguir provas contra os criminosos, e que vive no limite, acompanhado de armas para se defender de quem queira acabar com a vida dele, por ser demasiado inconveniente para os poderosos da região. 

E que acaba por morrer a meio da história, não conseguindo levar adiante a acção que tinha em mãos.

 

 

Temos o irmão deste advogado a tentar descobrir quem assassinou o irmão, ao mesmo tempo que se envolve com Samantha, e a envolve num esquema perigoso para conseguir entregar todos os documentos de prova da acção que o irmão deixou pendente, a outros advogados de confiança, sem cairem nas mãos dos acusados, ou do FBI.

No final, Jeff diz que acha que sabe quem matou Donovan, mas nada nos é revelado. Os documentos são entregues, mas não se sabe como terminará o caso.

 

 

Temos casos que não sabemos de que forma terminaram.

Temos vidas que se perderam, sem que alguma coisa possa ser feita para mudar esse destino.

Temos mulheres que são, aparentemente, respeitadas e temidas mas, ainda assim, sujeitas a ameaças veladas ou represálias disfarçadas, que se desvanecem quando os seus amigos do sexo masculino se aproximam.

 

 

O que destaco nesta história?

O trabalho levado a cabo pela Clínica de Assistência Jurídica, dirigida por Mattie e Annette, que se dedica à prestação de serviços de advocacia, de forma totalmente gratuita, a quem não tem qualquer hipótese de contratar um advogado que os possa defender ou representar.

E, mesmo assim, muito deste trabalho é, muitas vezes, em vão.

 

 

Tenho um outro livro deste autor para ler, mas este já me deixou com algumas dúvidas, se valerá a pena, ou se será mais uma desilusão.

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 2 comentários

    Comentar post