Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Skater Girl, na Netflix

Skater-Girl-2021-Google-Drive-Download.jpg

 

Habituada a ouvir o termo "casta" para designar as diferentes variedades das uvas, por exemplo, fiquei surpreendida por ouvir essa palavra, neste filme, num contexto diferente, relacionado com a estratificação social.

Em Rajastão, na Índia, as pessoas estão agrupadas por "castas superiores", e "castas inferiores". E castas diferentes não se misturam. 

Crianças de castas diferentes não brincam juntas. Jovens de castas diferentes não podem ter qualquer tipo de relacionamento. Pessoas de castas diferentes, têm direitos diferentes, deveres diferentes, e espaços diferentes.

 

Esta é apenas uma das questões culturais abordadas no filme "Skater Girl", numa história que mostra como as mulheres indianas nascem e crescem para casar e ter filhos, em casamentos, muitas vezes, arranjados pelos pais. Nem sequer imaginam considerar um futuro diferente, porque essa é a realidade que conhecem. 

E o quão indigno é, para os maridos, que estas tenham que trabalhar, porque isso significa que eles são fracos, falhados e não conseguem sustentar a família. É um verdadeiro atentado ao orgulho deles.

As meninas vão à escola, sim. Mas, se for preciso ajudar os pais, deixam de ir. Como foi o caso de Prerna, a protagonista da história.

 

Na verdade, Prerna vai desafiar todas as tradições, após conhecer Jessica e Erick, que lhe despertam o gosto pelo skate, algo que a faz sentir um pouco mais livre. Uma parte de algo. Mas que, para a comunidade, é considerada uma "coisa de rapazes".

Prerna vai enamorar-se pelo filho do director da escola, que também gosta dela e a ajuda sempre que pode mas, sendo este de casta superior, a relação estará condenada. 

Por conta de uma saída, que para nós seria absolutamente normal, entre dois adolescentes, para uma ida à feira, Prerna é obrigada a casar com um homem que não conhece.

 

É certo que a mãe de Prerna é bem mais compreensiva que o pai, e tenta incentivar a filha, e ajudá-la como pode mas, no fim, ela é apenas uma mulher sem qualquer poder, que tem que respeitar a tradição, e deve obediência ao marido, portanto, impotente.

O pai é um cabeça dura, orgulhoso, que põe a tradição e os costumes à frente da felicidade da própria filha, tendo algumas atitudes que nos revoltam.

Já o irmão mais novo de Prerna, é o seu maior fã, e irá colaborar com ela, quando mais precisar.

 

Sendo a história do filme baseada no skate, é importante referir a alegria das crianças quando vêem pela primeira vez na vida, os verdadeiros skates, que nada se comparam com as "tábuas de rodas" que constroem com o pouco que têm.

O gosto pela modalidade que desperta nelas a partir daquele momento.

E que leva Jessica a querer criar um parque de skate naquele local.

 

Só que, mais uma vez, está presente a desigualdade, a inferioridade das mulheres, o machismo.

Jessica não consegue o apoio financeiro que precisa, quem invista no seu projecto, quem torne possível a sua ideia, porque é mulher. 

Só lhe resta recorrer a uma outra mulher. Alguém que também desafiou as tradições. Alguém que arriscou e venceu. E pode agora tornar possível o sonho de outros jovens. Dar-lhes a oportunidade que precisam.

"Skater Girl" é sobre como o desporto pode unir as pessoas. Eliminar todas as barreiras. E em como, no lugar delas, passam a existir sonhos, e conquistas.

 

No final, há uma frase que fica:

"Se dermos uma oportunidade aos nossos filhos, talvez um dia encontremos um campeão mundial nesta aldeia. Mas um campeão, não é apenas alguém que ganha. Um verdadeiro campeão é alguém que demonstra coragem, paixão e determinação perante as adversidades."

 

Tornar-se-á, Prerna, uma verdadeira campeã?

 

 

Nota: A pista de skate Desert Dolphin Skatepark, localizada na região rural de Khempur, perto de Udaipur (a cidade dos lagos e palácios), foi construída especialmente para o filme com o apoio de voluntários da Índia e de outros países. O seu objetivo é manter o impacto social nas comunidades rurais, podendo ser usada pelo público de forma gratuita. É uma das maiores pistas de skate da Índia e a primeira de Rajastão, atraindo skatistas de todo o mundo.

 

5 comentários

Comentar post