Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

À Conversa com Cheers Leaders

 

A banda convidada de hoje formou-se em 2015, mas só este mês, no passado dia 16, lançou o seu primeiro álbum, intitulado "The Wizard Spell".

São os Cheers Leaders, a quem agradeço desde já a disponibilidade para participar nesta rubrica, e que podem agora ficar a conhecer melhor! 

 

 

 

 

 

Como é que surgiram os Cheers Leaders?

Os Cheers Leaders juntaram-se no início de 2015, quando Gil Ferreira (Baixo), Nelson Fontes (Voz) e Tiago Marques (Guitarra), com uma enorme vontade de continuar a fazer musica, após a extinção de um projecto anterior, convidaram Miguel Ferreira (Bateria) para se juntar à banda.

Prontamente o grupo começou a trabalhar em músicas originais que originaram "The Wizard Spell" nos meses seguintes.

 

Este nome tem algum significado especial, ou foi escolhido ao acaso?

Tiago Marques, o nosso guitarrista, durante o processo de triagem e escolha de nome para o projecto, sugeriu como uma brincadeira, um trocadilho entre o acto de brindar e dizer "Cheers" e as "Cheer Leaders". A ideia acabou por parecer bastante interessante, juntando ao nome da banda um significado especial para nós que gostamos de brindar, celebrar, saudar e queremos transmitir isso também musicalmente.

 

Os Cheers Leaders formaram-se no início de 2015. O vosso primeiro álbum chegou este mês às lojas digitais. Como foi todo o processo de criação das músicas e gravação do álbum?

Pretendíamos realizar um disco forte, cheio de energia, a transmitir bem o que a banda sente e que com uma sonoridade fiel à que os Cheers Leaders levam até às pessoas nos concertos ao vivo.

No processo criativo, Nelson Fontes (Vocalista) com letras introspectivas, e composição a cargo de todos os elementos da banda, "The Wizard Spell" foi ganhando contornos rapidamente.

Procurámos incluir a nossa própria personalidade na criação dos temas, sem pensar muito em géneros musicais para que as composições surgissem livremente. Em resultado disso, temos musicas bastante diferentes que nos agradam bastante. Esperamos também que esta mistura que nos caracteriza, agrade bastante o público.

 

Apesar de a vossa banda ser mais direcionada para o rock, as vossas músicas misturam diversos estilos musicais. Esses estilos refletem, de alguma forma, as vossas referências musicais, ou representam mais um certo cunho muito pessoal de cada um?

Essencialmente os temas têm uma envolvência e energia Rock, com uma vincada abordagem pessoal de cada elemento da banda, que é bastante diversificada também em termos de influências individuais.

Procuramos com a fusão de estilos musicais, uma frescura e identidade muito própria às músicas que compomos.

 

 

Capa - The Wizard Spell - Album - Cheers Leaders.j

 

“The Wizard Spell” é o vosso primeiro trabalho. Sobre o que falam as vossas músicas?

A mensagem que pretendem passar com a vossa música é a de que “tudo pode mudar desde que acreditemos”. Pode-se dizer que este álbum é o próprio exemplo disso?

O temas contidos no álbum, a nível lírico são direccionados para a introspecção, sendo mensagens para alertar a consciência de nós próprios e para uma ligação espiritual.

As letras das músicas em "The wizard Spell" falam ainda de sentimentos, de iniciativas de mudança e melhorias em nós mesmos para atingirmos o que procuramos, desvendando mistérios, dissolvendo os medos e demónios interiores para que possamos mudar o nosso percurso de vida, para onde mais desejarmos. e sim, pode dizer-se que a concretização deste álbum é demonstrativo do que pode acontecer quando acedemos ao poder da vontade.

 

Quais são as vossas expectativas relativamente a este primeiro trabalho?

Esperamos que "The Wizard Spell" seja bem aceite pelo público. Que consigamos chegar com a nossa mensagem a bastante gente que possa gostar da nossa música. Estamos também na expectativa das críticas dos meios de comunicação que se possam interessar pelo nosso trabalho e serem um fundamental veículo para chegarmos até mais pessoas.

 

Se pudessem escolher uma banda ou artista para dividir convosco o palco, com quem gostariam de atuar um dia?

Existem bastantes bandas que gostaríamos de um dia em breve poder partilhar o palco. Uma que pensamos nos encaixar perfeitamente a nível de sonoridade, são os Extreme, banda do Açoriano Nuno Bettencourt. Quem sabe um destes dias...

 

Agora que o álbum foi lançado, qual é o próximo passo?

Enquanto aguardamos pelo feedback do álbum, estamos já a preparar novos temas e sempre que temos oportunidade, vamos os testando ao vivo para sentir as reacções às novas composições, assim como vamos realizando novas abordagens e novos arranjos a essas mesmas músicas.

Há que continuar a trabalhar para atingirmos novos objectivos que vão aparecendo.

 

Estão previstas atuações ao vivo num futuro próximo?

Estamos numa fase de envio de bastante publicidade sobre o lançamento do álbum pela Farol Musica e aguardamos feedback em breve para começarmos a marcar mais espetáculos. Artigos e entrevistas como a do "Blog O Meu Canto" vão com certeza proporcionar mais possibilidades para que os Cheers Leaders possam expandir horizontes, e por isso, estamos muito agradecidos desde já pela vossa disponibilidade em partilhar o nosso trabalho e pelas questões de Marta Segão. “Cheers” para vós e para os leitores!

 

 

Muito obrigada! Muito sucesso para o futuro!

 

 

Nota: Esta conversa teve o apoio da editora Farol Música, a qual cedeu também as imagens.

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP