Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Mas ainda há covid?!

Sem Título5.jpg  

 

Pois, parece que veio para ficar.

Embora já ninguém queira saber.

Embora já quase nem se fale de covid.

Até porque, neste inverno, a Gripe A veio tirar-lhe todo o protagonismo.

E, ainda que assim não fosse, actualmente tudo é considerado, como antigamente, uma simples constipação ou gripe, e tratado como tal.

 

Mas ainda há covid.

A prova disso foi o teste positivo do meu marido, o da minha filha e, agora, o do meu pai.

E eu?

Até agora, os 3 testes que fiz deram negativo, mas acreditem que me sinto com covid psicológica: não tenho, mas de tanto ver positivos à minha volta, até parece que já estou com sintomas!

Festival Eurovisão da Canção 2024: 2ª semifinal

Finalistas_SegundaSemifinal_FestivaldaCancao-Anten

 

Depois de uma cama partilhada por um casal, no cenário da semifinal anterior eis que, agora, foi mesmo um “Quarto para Um”.

Mas qual era “Criatura” que, no meio de toda a festa e companheirismo que por ali se vivia, acreditava mesmo que ia estar sozinha?

Ainda bem que se deixaram disso porque aquele era o momento, e de certeza que estava lá sempre alguém para lembrar os mais tímidos que “You Can’t Hide”. Pelo contrário, era tempo de mostrar ao que iam, e dar tudo em palco.

Para uns, os finalistas, ontem foi “Dia” de celebrar. Para os restantes, acredito que não será caso para um “Pé de Choro”.

Afinal, como diz o ditado, não é por morrer uma andorinha que se acaba a “Primavera”.

Não sei se são um “Doce Mistério” os critérios tidos em conta na hora de escolher uma música que represente Portugal, mas que são um mistério, são.

Talvez se deixem guiar pelas tendências, como um “Farol” que lhes indica o caminho a seguir.

 Ou por uma voz que lhes sussurra ao ouvido: “Change”!

E nem sempre compreendemos ou concordamos com as selecionadas. Mas eles lá sabem (supostamente).

Por isso, há que “Aceitar” a decisão. Até porque nem sempre a música, e o artista, escolhidos, são aqueles que, depois, mais vingam fora do festival.

 

Esta semifinal foi muito fraquinha, só consegui gostar de 2 músicas: a dos No Maka e a da Rita Onofre. A do Silk é só mesmo por destoar das músicas de embalar, e pôr a mexer. Buba Espinho também não esteve mal. Mas pouco mais se aproveitou.

 

Imagem: antena1.rtp

 

Festival Eurovisão da Canção 2024: 1ª semifinal

Festival da Canção 2024: a 1.ª semifinal, da primeira fila aos bastidores |  Antena 1 - RTP

 
Numa verdadeira "Casa Portuguesa" ninguém falta ao encontro marcado com o Festival da Canção.
Até posso dizer que não mas, chegado o momento, inevitavelmente, "Volto a Ti".
Para ouvir as novas músicas, sempre com algumas reticências, pontos de exclamação e "Pontos Finais", naquelas que menos gosto, e que mandaria para "Bem Longe Daqui".
E, claro, para poder depois vir aqui comentar em modo "Afia a Língua", com muitas "Teorias da Conspiração", sobre como júri e público vão escolher as finalistas.
O que dispenso é o exagerado saudosismo, que me deixa a rebentar "Pelas Costuras", com tanta "Memory".
Dá vontade de dar um "Grito", para que deixem o passado para trás, e voltem ao presente.
Porque é claro como "Água" que é para o futuro, que é como quem diz, para a nossa representação na Suécia, que têm que olhar!
 
Destas primeiras dez músicas, as que mais me ficaram no ouvido foram, curiosamente, as que não passaram: Mela, Left e Bispo.
Não significa que sejam as melhores. Mas a "Água", da Mela é poderosa. A "Casa Portuguesa", do Bispo, é uma grande verdade (e eu nem gosto de hip hop). Já a "Volto a Ti", do Left, é daquelas músicas que poderiam passar ao lado, letra fraquinha, actuação fraquinha, música banal mas... o que destaca uma música das demais, é a forma como ela nos toca. O que nos faz sentir. E esta teve esse efeito.
Era quase certo que a Nena e a Rita Rocha, tal como a Iolanda, iriam passar. Aliás, o "Grito" da Iolanda é uma das apontadas à vitória. A mim, sinceramente, não me dizem muito.
Já o Noble, é mais do mesmo, e passou à final por escolha exclusiva do público.
No próximo sábado há mais.
 
 
 

Uma espécie de votos para 2024

Sem Título6.jpg 

 

Como sempre, deixo aqui em jeito de resumo do ano que agora termina, uma espécie de votos para o ano que está a chegar:

 

  • Agir com coerência
  • Deixar de meter o bedelho onde não se é chamado
  • Começar a viver por inteiro, e deixar de viver pela metade
  • Deixar de querer agarrar tudo ao mesmo tempo
  • Privilegiar mais os gestos, do que as palavras
  • Parar de querer consertar o que já não tem conserto
  • Guardar as coisas positivas, e descartar o ressentimento
  • Desenredar dos emaranhados da vida
  • Derrubar as barreiras que erguemos, e tentar não erguer outras
  • Desacelerar
  • Fazer pela vida

 

Feliz 2024!