Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

A Terra dos Sonhos

Imagem 1-Lifestyle-Ação Social-Marta.jpg

 

“Quem é que nunca teve sonhos ao longo da vida? O sonho de fazer aquela viagem inesquecível, de ter aquela boneca que sempre desejou, de conhecer aquele ator ou cantor que idolatrava? 

 

Por muito que os nossos sonhos possam parecer inalcançáveis ou impossíveis de realizar, nunca devemos desistir deles. 

 

Primeiro, porque sonhar faz-nos bem. Leva-nos para outro mundo, onde tudo pode ser diferente, mais simples e mais feliz. Onde os nossos sonhos se tornam reais! 

 

Depois porque, de entre todos esses sonhos que temos, existem mesmo alguns que se podem vir a concretizar. Basta acreditar!”  

 

E se, para nós, é importante concretizarmos os nossos sonhos, esse objetivo torna-se ainda mais crucial quando falamos de crianças e jovens diagnosticados com doenças crónicas e/ou em estado avançado de doença. Para ajudar a tornar esses sonhos possíveis, a Terra dos Sonhos dá uma pequena grande ajuda! 

 

Fundada a 1 de junho de 2007, precisamente no Dia da Criança, esta associação de solidariedade social, sem fins lucrativos tem, como principal atividade, a realização dos sonhos de todas estas crianças, jovens e idosos, transmitindo uma mensagem de esperança, de que é possível concretizar os seus objetivos, independentemente das circunstâncias, condicionamentos ou limitações. 

 

Sob o lema “Um sorriso vale tudo!” e a crença de que o sonho é a grande força impulsionadora da busca pela felicidade, a Terra dos Sonhos pretende, através da sua atuação, mostrar que todos podemos alcançar os nossos sonhos se acreditarmos nas nossas capacidades e no nosso potencial, e mantivermos sempre um espírito positivo, independentemente da nossa condição, melhorando, ao mesmo tempo, o estado anímico tanto dos beneficiários, como das respetivas famílias e, consequentemente, favorecendo o bem-estar e uma melhoria de qualidade de vida pessoal e familiar. 

 

Por outro lado, a associação fornece também, além das ferramentas psicológicas e emocionais acima referidas, as ferramentas materiais necessárias à realização dos sonhos dos beneficiários. 

 

Todos os sonhos, cuja realização a Terra dos Sonhos leva a cabo, são uma total surpresa para os seus beneficiários, sendo que os únicos cúmplices são os familiares, amigos e pessoas mais próximas aos mesmos. 

 

Para além da concretização de sonhos individuais, a Terra dos Sonhos promove também eventos para grupos de beneficiários - as Experiências de Sonho! 

 

Estas experiências têm como principal objetivo criar momentos de verdadeira magia retirando, temporariamente, as crianças, jovens e idosos das suas rotinas diárias, e oferecendo uma espécie de "balão de oxigénio", nas suas vidas, uma injeção de otimismo, de força, de fé num futuro mais sorridente. 

 

 

Imagem 2-Lifestyle-Ação Social-Marta.jpg

Mas... Como é que tudo se processa? 

 

Por norma, os sonhos são agrupados em quatro categorias - “Eu quero ser”, “Eu quero conhecer”, “Eu quero ter” e “Eu quero ir”. 

 

A única limitação absoluta que a associação impõe como fundamental quanto ao tipo de sonhos a realizar, prende-se com a natureza do sonho, nomeadamente com o seu carácter pecuniário. Pedidos de dinheiro ou beneficiação financeira de qualquer tipo não são considerados, nem podem ser atendidos. 

 

Existem sonhos mais fáceis de concretizar, e outros mais complexos. De qualquer forma será, à partida, possível realizar todos os sonhos, desde que existam os recursos necessários e as parcerias adequadas. Para tal, a associação conta com o contributo de todos aqueles que queiram ajudar a tornar os sonhos possíveis. 

 

E porque os sonhos são o que de melhor temos na vida, porque não realizares tu mesmo(a), o sonho de alguém que saibas que ficaria muito feliz com isso, ou até mesmo concretizar o teu próprio sonho, que tens vindo a ignorar, por pensares que nunca vais conseguir? Se não tentares, nunca saberás. E se conseguires, saberás que valeu a pena! 

 

Mais informação em: 

http://www.terradossonhos.org 

https://www.facebook.com/terradossonhos/ 

 

Artigo escrito para a BLOGAZINE N.º 8, págs. 6 e 7.

 

Secção de programas especiais da GNR

Imagem 1 Acção Social Dez..jpg

 

Nem só de multas e caça aos ladrões vive a GNR!

Para quem não sabe, a GNR tem uma Secção de Programas Especiais cujas linhas prioritárias assentam num policiamento de proximidade e segurança comunitária.

Isto significa que a GNR trabalha em conjunto com a comunidade, e em parceria com diversas entidades, para tentar resolver os vários problemas da sociedade, melhorando a qualidade de vida dos cidadãos, nomeadamente:

 

* Através de programas específicos, focados em problemas concretos, destinados a grupos sociais mais vulneráveis;

 

* Através de uma melhor integração e comunicação, reduzindo a criminalidade e aumentando o sentimento de segurança da população;

 

Desta forma, a população fica a conhecer melhor o guarda, e este conhece melhor o cidadão.

 

Uma das iniciativas no âmbito desta secção de programas especiais é o Programa Apoio 65 – Idosos em Segurança.

A GNR pretende, com este programa concebido para os idosos, garantir as condições necessárias para a sua segurança e tranquilidade, principalmente daqueles que vivem mais afastados ou isolados, ajudando a prevenir e evitar situações de risco.

Policiamento dos locais públicos mais frequentados por idosos, criação de uma rede de contactos diretos e imediatos entre os idosos e a GNR, em caso de necessidade, instalação de telefones nas residências das pessoas que vivem mais isoladas e tem menores defesas ou colaboração com outras entidades que prestam apoio à 3ª idade, são algumas das medidas adotadas com este programa.

 

Deixo aqui alguns exemplos do que tem sido feito pela GNR, por exemplo, no concelho de Mafra:

> Um dos cidadãos residentes no concelho habitava, sozinho, numa casa em ruínas, em péssimas condições. Um dos agentes da GNR, ao vê-lo nessa situação, entrou em imediatamente em ação. Hoje, o senhor em causa está feliz, num centro de dia, ficando à noite em casa da sua namorada!

> Um outro cidadão, cuja tristeza por ter perdido a sua biblioteca com milhares de livros era imensa, conseguiu, através de um apelo da GNR, que lhe doassem livros, com os quais vai iniciar uma nova biblioteca no centro social onde presta voluntariado.

> A GNR faz visitas aos lares para idosos e centros de dia, onde os aconselham a ter determinados cuidados para a sua segurança, e para não serem enganados por truques de ladrões.

> A GNR conseguiu, através de uma doação, levar um cidadão a uma consulta de oftalmologia para comprar óculos novos, uma vez que os seus se partiram e não tinha dinheiro nem para a consulta, nem para os óculos.

> Conseguiram, também através de um apelo, angariar fraldas e bens alimentares para um idoso acamado.

 

Que venham mais iniciativas destas, não só para os idosos, mas para todos aqueles que se encontrem em situações de risco!

 

Artigo elaborado para a secção Acção Social da Blogazine.

É importante conhecer, e não apenas reconhecer

Já está disponível a revista BLOGAZINE n.º 3, dedicada ao tema Multiculturalismo!

Leiam e descubram a cozinha típica de algumas regiões, danças tradicionais, novos destinos para viagens e passeios, e muito mais.

 

Aqui fica o o texto que escrevi, para a área da Acção Social:

 

"É importante conhecer, e não apenas reconhecer

Sabias que, entre os 10 milhões de habitantes de Portugal, estão identificadas mais de 150 nacionalidades?

Portugal é um país cada vez mais multicultural.

A maioria dos imigrantes é oriunda dos países africanos de língua oficial portuguesa, e do Brasil, que se sentem, provavelmente, mais confortáveis em vir para o nosso país pelo facto de partilhar a mesma língua, o que facilita a adaptação.

No entanto, nos últimos anos, temos acolhido muitos imigrantes dos países de Leste, que vivem problemas financeiros nos seus países de origem e veem, em Portugal, uma fuga, pois conseguem aprender português com facilidade e aceitam, muitas vezes, os empregos que os portugueses não querem ocupar. 

Já do continente asiático, os imigrantes são, sobretudo, naturais da China que parecem encontrar, em Portugal, um mercado promissor. 

Ou seja, todas estas culturas se cruzam no nosso país e, de certa forma, estão unidas por dificuldades e sonhos comuns.

Mas nem sempre esta diversidade cultural é vista com bons olhos, havendo quem defenda que, se a promoção do multiculturalismo continuar, Portugal acabará por perder a sua identidade cultural. 

Pior, há quem acredite que estes imigrantes vêm para o nosso país agravar ainda mais a crise que por cá vivemos. Porquê? Porque o governo lhes facilita a vida. Porque vêm “roubar” postos de trabalho aos portugueses. Porque vêm para cá criar conflitos e provocar desordem, cometer crimes e sabe-se lá que mais, gerando sentimentos de desconfiança e tensão.

Assim como há quem acredite que eles chegam cá e se adaptam facilmente, sem necessitar da ajuda de ninguém.

No dia-a-dia vemos diversos imigrantes, aparentemente, integrados na nossa sociedade. Mas, será que é mesmo assim?

Havendo diversas culturas juntas num mesmo local, as mesmas são “obrigadas” a conviver e a relacionar-se. Mas acabam por formar pequenos grupos que são, muitas vezes, marginalizados pelos habitantes do país que os acolhe, levando ao isolamento e a atos de racismo e xenofobia.

Portugal foi considerado um dos países com melhor política de integração e inclusão de imigrantes. Mas da teoria à prática vai uma grande diferença. E não basta só tolerar, mas sim, compreender, aceitar as diferenças, os costumes, os valores de cada cultura.

Cabe a cada um de nós fazer a nossa parte para integrar os imigrantes que aqui procuram uma melhor oportunidade de vida, da mesma forma como gostaríamos de ser acolhidos, integrados e aceites, se um dia tivermos que emigrar para outro país qualquer.

No fundo, o fundamental é que haja respeito entre as diversas culturas. Quem sabe não podemos, através do multiculturalismo, tornarmo-nos numa sociedade mais rica."

 

O texto integral pode ser lido nas páginas 11 e 12 da Blogazine.

Façam do vosso verão um verão mais solidário!

 

Com a chegada do verão, vem também o calor, roupas frescas, as férias, novas aventuras, e muita diversão.

Mas também há lugar para entrarem em ação, e soltarem o vosso lado mais solidário. Não custa nada! E, com pequenos gestos, podem fazer uma grande diferença.

Aqui ficam algumas sugestões:

 

Doação de roupas usadas

Podem começar pela renovação do vosso guarda-roupa. Esta é a altura certa para olharem para o vosso armário, e escolherem o que vão querer usar neste verão, e o que está apenas a ocupar espaço. Assim, ficam com uma noção do que têm, de que forma podem conjugar, e ficam ainda com espaço livre para novas peças que queiram comprar. 

Quanto às roupas que já não querem, podem sempre doar. Mas, atenção! Se essas roupas estiverem manchadas, rasgadas ou com outro tipo de defeitos, devem ir para o lixo. Se lhes faltar botões ou fechos, convém tratarem do arranjo antes de doar. As roupas doadas devem ser entregues em bom estado, e devidamente higienizadas. Afinal, as pessoas que delas irão fazer uso podem ser carenciadas, mas não deixam de ser como nós, e merecem!

Depois de colocada em caixas, ou sacos (conforme vos der mais jeito), devem procurar na vossa zona pessoas que estejam a precisar ou a pedir, ou entregar a instituições de confiança que existam onda moram, ou que conheçam.

 

Ações de Limpeza das Praias

Todos os anos encontramos as praias cheias de lixo, proveniente de comportamentos incorretos, e prejudiciais à natureza, da sociedade em que vivemos.

Com a aproximação do verão, as autarquias e juntas de freguesia costumam promover ações de limpeza das praias, de norte a sul do país, numa das quais se podem inscrever! É uma questão de se informarem se vai haver alguma ação deste género na área da vossa residência. 

Mas, mesmo que não haja, podem tomar essa iniciativa, juntar um grupo de amigos e pôr mãos à obra!

E já agora, quando estiverem na praia, dêem o exemplo e alertem as pessoas para os comportamentos errados que muitas vezes têm.

 

Acolher ou tratar um animal abandonado

Durante o período de verão, o número de animais abandonados, nomeadamente, cães e gatos, cresce assustadoramente. Isto deve-se ao facto de as pessoas irem de férias, e não quererem levar consigo os seus animais de estimação. Por isso, ou os deixam em casa, ou pelo caminho, abandonados à sua sorte.

Se conhecem alguém que tenha animais de estimação, e esteja a pensar ir de férias, informem-nos que existem várias opções, se não quiserem levar o seu animal. Podem sempre pedir a familiares ou vizinhos que olhem por eles nesse período, que tratem deles para que não lhes falte comida, higiene, e companhia. Também existem hotéis para animais e ONGS (organizações não governamentais) que oferecem estadia.

Por outro lado, se se depararem com um animal abandonado, como devem agir?

Em primeiro lugar, devem oferecer água e comida. E, se puderem, abrigá-lo. Mesmo que não possam ficar com ele definitivamente que seja, pelo menos, temporariamente. Entretanto, podem ir divulgando fotografias e tentando encontrar famílias que estejam interessadas em acolher ou adotar. 

Mas atenção – se o animal estiver ferido, é preciso ter cuidado ao aproximar, porque pode estar com dores, sentir-se ameaçado, e reagir de forma agressiva.

Outras formas de ajudar, mas mais dispendiosas, serão comparticipar ou custear eventuais tratamentos que o animal em causa necessite.

E podem sempre oferecer-se como voluntários em associações que cuidam de animais abandonados!

 

Artigo escrito para a secção de Acção Social da revista BLOGAZINE N.º 2.

 

 

 

 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP