Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Voltar ao registo manual das compras quando as máquinas se avariam!

Dicas Grátis Aki: COMO FAZER CONTA DE PORCENTAGEM SIMPLES

 

Acho que estou tão habituada ao actual sistema de registo das compras, através dos códigos de barras, que já quase nem me lembro como funcionavam as máquinas registadoras antigamente, quando os preços ainda eram etiquetados e colados em cada produto individualmente.

De qualquer forma, penso que até mesmo há umas décadas, as máquinas registadoras mais antigas faziam a conta por si (desmintam-me se estiver enganada), depois de inseridos os dados manualmente.

 

Hoje em dia, com as máquinas modernas, basta o código de barras, e ela faz tudo o resto - a soma, a subtracção em caso de anulação, o valor a pagar e o troco a dar. Quase nem precisam de saber matemática, os funcionários.

É um sistema prático, rápido e eficiente.

Quando funciona. E nunca tinha visto não funcionar. Até ontem!

 

Tive que ir a um minimercado aqui perto do trabalho comprar uma garrafa de água. Estava fila para entrar, e quem estava nas duas caixas em serviço nunca mais saía. A fila para as caixas também era grande.

Só depois percebi o que estava a acontecer.

As máquinas não estavam em funcionamento e, então, cada funcionária tinha que estar a anotar numa folha o código, o preço e a quantidade de cada produto, de cada cliente, e a fazer a soma à mão. E, como se não bastasse, ainda tinham que pedir às colegas para verem os preços de determinados produtos.

Vá lá que tinham uma calculadora para fazer as contas, senão ainda teriam mais esse trabalho, de fazer as contas manualmente, e pôr em prática os conhecimentos básicos de matemática.

Podem não acreditar mas há muito boa gente que, de tão habituada que está a fazer contas nas máquinas, desaprendeu a fazer uma simples conta de somar ou subtrair.

 

Isto aconteceu num minimercado, com meia dúzia de clientes.

Não quero imaginar o que seria uma situação destas num super ou hipermercado, com a afluência que têm. Seria impensável!

 

Ao final do dia, quando passei por lá a caminho de casa, a saga dos apontamentos continuava.

Acho que aquelas funcionárias já não deveriam poder ver mais preços à frente!

 

Depois da máquina de lavar...

 

...está a querer avariar a máquina de secar roupa!

Já apanhei vários sustos com o raio da máquina, mas ainda não descobri qual é, afinal, o problema dela. Também não me dei ao trabalho de chamar um técnico para o fazer.

A primeira vez que a pus a trabalhar, neste outono, ouvi uns estalidos, mas pensei que fosse o fecho de algum casaco ou algo de metal a bater no tambor ou na porta da máquina. Só depois me apercebi que era  outra coisa.

Depois disso, voltei a experimentar. Umas vezes faz esses estalos, outras não. Houve, inclusive, uma ocasião em que só tinha ligado a máquina na tomada, e ainda nem a tinha posto a trabalhar, e já ela estalava! Quando a liguei, não fez nada.

Ontem voltou a acontecer. Depois da Tica ter fugido, fechei a porta da cozinha e viemos para a sala. Às tantas, diz a minha filha "oh mãe, está alguma coisa a estalar". 

Abro a porta, e apanho um grande susto. Os estalos eram tão grandes que eu já pensava que a porta estava a saltar aos bocados e que a máquina ia rebentar!

Lá a desliguei no botão e na tomada, e desisti. O que vale é que, como a roupa sai da nova máquina de lavar muito menos molhada, demora menos tempo a secar e consegui enxugá-la toda.

Sim, chamem-se burra por andar a arriscar desta maneira. Mas é que uma pessoa vai evitando ao máximo chamar alguém e gastar dinheiro, e vai-se desenrascando.

Mas estou mesmo a ver que a máquina de secar roupa tem mesmo que ser arranjada, ou corro o risco de se avariar de vez, e ter que comprar uma nova!

A falta que me faz uma máquina de lavar roupa!

 

Um fim de semana inteiro sem máquina de lavar roupa, e não sei mais onde pôr a roupa suja!

A minha máquina, que já há muito tempo me andava a prevenir que não iria durar para sempre, resolveu dar o último suspiro na quinta-feira passada. Durou 12 anos! Já não se fazem máquinas assim. Aliás, já nem encontro nenhuma desta marca sequer.

Na sexta, fomos comprar uma nova, mas só a vêm entregar hoje à tarde.

Já estou a ver qual vai ser o meu passatempo nos próximos dias!

O Simplex no seu melhor

 

Depois de uma tarde em que a electricidade faltou e tornou a vir, vezes sem conta, acabou por faltar de vez, no dia seguinte, logo de manhãzinha. Além da casa dos meus pais, também a vizinha do lado se encontrava na mesma situação.

 

10.00 horas - Ligo para o número grátis de comunicação de avarias. Dizem-me que tem que ligar alguém que esteja no local para fazerem alguns testes básicos. Entretanto, como expliquei que havia mais uma casa afectada, pediram-me as informações da praxe e tive que aguardar. Disse-me que não tinha registo de qualquer avaria geral, pelo que deveria ser outro problema. Informou que ia participar à equipa técnica e ficou com o contacto da minha mãe.

 

13.00 horas - Como ninguém apareceu no local, volto a ligar. Repito a história e dou as mesmas informações. Pedem-me para aguardar. Desta feita, têm a indicação de que a avaria geral está resolvida! Então afinal sempre havia uma avaria geral?! De qualquer forma, informa-me de que o técnico tem até 4 horas para se deslocar ao local, pelo que temos que aguardar. Se ao fim desse tempo ninguém aparecer, temos que ligar novamente.

 

14.00 horas - Liga o meu pai. A mesma conversa do costume, e nada resolvido.

 

17.00 horas - (já indignada com tanta incompetência) Torno a ligar. O técnico foi ao local e têm a indicação de que a avaria está resolvida! A sério? Devem estar a brincar com as pessoas.

É inadmissível que 7 horas depois da primeira chamada efectuada, as duas casas continuem sem electricidade, que tenham ido técnicos ao local, quando ninguém lá apareceu, e considerem a avaria resolvida, quando na realidade não está.

Da última vez que aconteceu uma situação semelhante, os meus pais ligaram, e ao fim de uma hora, ou nem tanto, estavam lá em casa. Desta vez, não passamos do mesmo. A operadora disse que o técnico não vai à moradia, mas ao local. Disse-me que ia reportar novamente a situação à equipa técnica e que teria que aguardar! Ainda mais?

Aí passei-me mesmo. Disse-lhe que não andamos aqui a brincar. Então elas informam a equipa técnica, nós esperamos, esta vai ao local (nem sei bem qual) e dão a informação que está resolvida, continuamos sem electricidade, tornamos a ligar, elas informam a equipa técnica, nós esperamos, esta vai ao local (nem sei bem qual) e dão a informação que está resolvida. E não passamos disto. Quanto tempo mais vamos andar assim? 1, 2, 3 dias? As pessoas precisam de electricidade, por isso a pagam. Mas parece que pagamos um serviço que não temos, porque quando é preciso ninguém faz nada. As pessoas têm prejuízos, e alguém tem que se responsabilizar.

Reclamei, exigi saber exactamente o que é que a equipa técnica iria fazer desta vez e onde ia exactamente, disse-lhe que ia esperar até à noite e que se não aparecesse ninguém ia resolver as coisas e seriam eles a arcar com a despesa, ameacei que teria que seguir por outros meios, enfim...

 

Antes das 18 horas estavam lá os técnicos ao pé de casa! Resolveram finalmente o assunto. Tratava-se de uns fios velhos que tinham queimado.    Agora, o que é curioso é que os próprios técnicos dizem que, sempre que são contactados, têm uma hora e não quatro (como disseram as várias operadoras) para ir ao local da avaria.  Quem fala a verdade e quem mente, não sei...

Mas parece-me que o simplex chegou também à EDP, e no seu melhor!