Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Duas balanças, informações diferentes

Resultado de imagem para confusa

 

No outro dia, o meu marido resolveu pesar-se numa daquelas máquinas sofisticadas da Wells, aqui em Mafra.

Por curiosidade, também o fiz.

 

Dava-me uns centímetros a menos, uma pressão arterial de 9-5, e um peso normal 53,3kg, bem como o índice de gordura e de massa corporal. Relativamente aos batimentos, dizia que os meus estavam a 111. Não liguei.

Nesse mesmo dia, ao final da tarde, foi a vez da minha filha, numa máquina da Wells, mas na Ericeira. Dava-lhe também uns centímetros a menos, peso normal e pressão de 8-4! Perguntámos à funcionária, que não achou normal e pediu para repetir. Dava-lhe o mesmo, mas tinha mirrado mais uns centímetros!

Experimentei eu. Mais peso que em Mafra, menos altura, batimentos a 60 e a pressão de 9-5 também.

 

Conclusão: nunca fiar em resultados das balanças da Wells porque, cada máquina, sua sentença! 

Erros e Virtudes

"Os erros dos outros não aumentam as nossas virtudes"

 

 

Não somos perfeitos, nem nos deveria ser exigido que fossemos.

Qualquer ser humano erra. Faz parte de nós, da nossa evolução e do nosso crescimento. Temos defeitos, mas também qualidades!

E, embora tenhamos a tendência, inata ou adquirida, de comentar e opinar sobre outras pessoas e seus comportamentos, não só quando pretendemos elogiar, mas principalmente quando queremos criticar negativamente, convém que olhemos também para dentro de nós, e que percebamos até que ponto somos diferentes dos outros.

De uma certa forma, ao emitirmos juízos de valor e críticas sobre acções cometidas por outras pessoas, ao realçarmos os seus erros, ao vincarmos os seus defeitos estamos, inadvertidamente, por comparação, a evidenciar as nossas qualidades. Como se numa balança, o nosso prato valesse mais que o da outra pessoa.

E não digo que, de facto, assim não o seja. Mas convém ter em conta que os erros dos outros não aumentam as nossas virtudes!

Somos como somos, com a nossa personalidade própria que nos caracteriza e nos distingue dos demais. No entanto, por mais "pesos" que coloquemos num dos pratos da balança, consoante os erros que outros cometeram, isso não fará com que o nosso prato suba por si só.

Será preferível desequilibrar a balança, utilizando o nosso prato, para colocar tudo os que nos diz respeito, em vez de esperarmos que ele se mova em função das outras pessoas! 

 

  

  • Blogs Portugal

  • BP