Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

O blog no ano 2020

Sem Título.jpg

 

Em 2020, o blog publicou 325 posts.

Menos que no ano anterior, e com tendência a descrescer no próximo ano.

 

Que geraram 275 reações e 1230 comentários.

Menos que no ano anterior mas, ainda assim, é incrível a interacção existente nesta plataforma, e estou grata por isso!

 

Foram mais de 109.885 visitas, que geraram 146.271 visualizações. 

Missão cumprida. 

 

Os posts mais visitados do ano.

  1. Foi Sem Querer Que Te Quis
  2. Pintar os troncos das árvores com cal
  3. Última leitura do ano: Ganhei Uma Vida Quando Te Perdi, de Raul Minh'alma
  4. Existe idade certa para começar a fazer a depilação
  5. Sobre o final de Quantico - 2ª temporada
  6. Também fomos "atacados" pela Via Livre
  7. Existe idade certa para começar a usar tampões?
  8. Já Te Disse Que Preciso de Ti?
  9. Miragem - o filme
  10. Dar um tempo? Ou terminar?

Curiosamente, acho que nenhum deles é de 2020 

 

Os posts destacados do ano.

Covid-19: Outubro, e o retrocesso no combate à pandemia 

Estreou a 8ª temporada do The Voice Portugal

Big Brother: A Revolução

O preço das máscaras está a voltar ao normal

O verão já não é o que era

A importância de filtrar cada dia da nossa vida

De Junho para Julho, nada mudou

Ir à praia em tempo de pandemia

Caixas solidárias para quem mais precisa 

É urgente privilegiar a informação de qualidade e a sanidade mental 

Quem é a melhor entrevistadora?

Porque é tão difícil dar o primeiro passo? 

Coincidência ou não, 12 meses, 12 destaques.

 

O que poderia pedir mais?

Que 2021 me traga inspiração para continuar este caminho 

Obrigada a todos os que visitam este cantinho, comentam, reagem e interagem.

A todos os que são já presença habitual e constante por aqui. 

Obrigada, Sapo!

 

Encontramo-nos para o ano (que, por sinal, é já amanhã)!

Votos para 2021

sociedade-5-0.jpg

 

Em jeito de balanço de 2020, e votos para o novo ano que aí vem, que em 2021 consigamos:

 

Viver o agora

Estar seguros daquilo que queremos

Fazer as coisas por paixão, e não por obrigação

Agir pelos motivos e com os objectivos certos

Valorizar as pequenas conquistas

 

Olhar mais para dentro de nós

Filtrar cada dia das nossas vidas

Esvaziar o lixo da nossa vida

Ter coragem de ser diferente

Enfrentar os fantasmas

Arrancar pela raiz as ervas daninhas da nossa vida

Manter o equilíbrio

 

Seleccionar as cordas a que nos queremos agarrar na vida

Calçar o sapato dos outros

Ouvir mais os outros

Olhar para além do superficial

 

Ser verdadeiros e sinceros

Não nos deixarmos influenciar pelo negativismo

Dar menos importância às aparências, e mais ao conteúdo

Dar hipóteses quando for o caso, mas também saber e aprender a desistir

Não usar as pedras, que dificultam o nosso caminho, como desculpa para não avançar

 

Não procurar nos outros aquilo que nos falta a nós

Evitar discussões inúteis

Comunicar mais

Perdoar

 

Dar valor à vida que, como já percebemos, se pode esvair num segundo

Não deixar nada por dizer, por demonstrar, por fazer

E ser ainda mais felizes!

 

Feliz 2021!

Balanço da primeira semana e meia de aulas

naom_5837f96f3b32c.jpg

 

A primeira conclusão a que cheguei é que terei que fazer uma reclamação por conta das máscaras oferecidas: provocam amnésia!

É que, quando pergunto à minha filha como correram as aulas, o que disseram os professores, ou o que estiveram a fazer, diz que já não se lembra.

Brincadeira à parte, até se adaptou bem a passar horas com máscara.

 

Ainda antes do início das aulas, dizia-se que as primeiras quatro semanas seriam para rever a matéria do último período do ano anterior.

Em algumas disciplinas, no entanto, já está a dar matéria do 11º ano. E noutras, os professores avisaram, nos primeiros dias, que na semana seguinte teriam que começar com matéria deste ano.

 

As aulas são quase todas na mesma sala, com lugar marcado. A diferença em relação ao ano passado é que as secretárias, individuais, em vez de estarem juntas, estão separadas.

O acesso à papelaria e ao bar está mais condicionado. Não podem andar pela escola à vontade, como antigamente.

Os intervalos são mais curtos, mas podem sair das salas. As idas à casa de banho são preferíveis durante a aula.

 

Têm aulas normais de educação física, com a diferença de que têm que andar com um saco com garrafa de água, máscara e gel desinfectante atrás.

E são divididos em grupos, sendo que o grupo com quem a minha filha está, nem sequer são os colegas que, nas salas, estão sentados mais proximamente.

Acabaram por tocar todos na mesma bola, quando jogaram basquetebol.

Não podem tomar banho na escola, e devem ir, de preferência, já equipados de casa.

 

E, para já, é isto.

 

 

Imagem: noticiasaominuto

 

 

 

 

Amigos Improváveis Famosos - balanço do primeiro mês

fd456406745d816a45cae554c788e754.jpeg

 

Uma relação, ainda que nem sempre bem conseguida ou aproveitada, cria laços, cria memórias, e deixa marcas.

E isso passa cá para este lado.

Se, no início, estava reticente quanto a este novo formato, com famosos, agora, estou rendida.

Agora que o primeiro mês está a terminar, já dou por mim a emocionar-me com as despedidas, já dou por mim, apesar de expectante com a chegada dos novos participantes, a sentir a falta dos actuais.

Tal como no programa anterior.

 

Relativamente aos seniores, tenho que confessar que adorei conhecer o Dr. Fernando Póvoas. Um exemplo que muitos deveriam seguir, de humildade, simplicidade, simpatia e generosidade.

Calhou-lhe um jovem à altura - o Gonçalo.

 

Também gostei de ver a Io mostrar que nem sempre as primeiras impressões são aquelas que definem a pessoa, e que há muito mais para conhecer.

E para a Io, só poderia calhar alguém como a Carolina! Uma jovem segura, confiante, desafiadora (no bom sentido), com atitude, frontal mas, ao mesmo tempo, sensível, carinhosa, compreensiva, genuína.

 

Também o Nel Monteiro e a Júlia surpreenderam. Da simplicidade, à genuinidade, da brincadeira aos assuntos mais complicados, formaram, juntamente com o Bruno, o verdadeiro conceito de família.

 

As duplas que me parecem ter funcionado menos bem, foram a Manuela e a Diana, e a Graça e o Rafael, tendo falhado, a meu ver, um pouco mais o lado dos seniores, que o dos jovens.

Acredito que a Graça com a Beatriz, e a Manuela com a Mobaulath, vão resultar melhor.

 

Desta vez, e ao contrário da edição anterior em que, à partida, já tínhamos uma noção de quem seriam as possíveis escolhas dos seniores (apesar de algumas surpresas finais, nesta edição, está tudo em aberto.

 

E irá, provavelmente, ficar assim, dadas as circunstâncias.

Mas vou continuar a acompanhar, diariamente, até onde for transmitido porque, neste momento menos colorido e alegre da nossa vida, assistir aos Amigos Improváveis é uma boa forma de descomprimir.

 

 

Absentia x The Good Doctor

Comecei a ver estas duas séries do AXN, e o balanço que faço, até ao momento, é o seguinte:

 

Resultado de imagem para absentia

Absentia - começou bem, embora com pouca acção nos episódios seguintes, que fizeram decair a série de um 4 para um 2, até ao 8º episódio, em que voltou a subir na minha classificação, tendo terminado, no penúltimo episódio, com um merecido 5! Estou ansiosa para ver o último episódio, para ver se vale a nota máxima ou se volta a surpreender pela negativa, depois deste súbito despertar.

O que eu sinto, ao ver Absentia, talvez por serem episódios semanais e, além disso, muito "parados", é que parece não estar nada relacionado com nada, e muita informação vai ficando esquecida pelo caminho pelo que, quando se chegar ao último episódio, e a haver, de facto, uma ligação entre todas as personagens e acontecimentos, talvez tenha que rever os episódios anteriores para apanhar o fio à meada.

 

 

Resultado de imagem para the good doctor

The Good Doctor - estou a meio desta série, de 8 episódios, também semanal. O primeiro episódio valeu um 5, seguido do segundo e terceiro episódio com um 4. Nestes três episódios, consegui fazer várias reflexões e os temas abordados surpreenderam positivamente, tornando-a diferente de outras séries do género.

Já o quarto episódio, serviu apenas para mostrar que, por muito gratificante, bondoso e bonito de se ver, que possa ser cuidar de alguém com determinadas limitações, problemas de saúde e doenças, pode ser também muito desgastante e, por vezes, até as pessoas mais pacientes e compreensivas podem atingir, em determinadas situações, o seu limite, e passar-se, como os restantes que, muitas vezes, condenam por essa atitude. Desceu na minha classificação para um 3, e fiquei satisfeita por saber que não alongaram muito a série porque, se não derem a volta, irá continuar em queda até ao final.